Grave Digger: 'você não pode matar o heavy metal'

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Fonte: AOL Música
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 03/05/05. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Completando 25 anos de estrada, os alemães do Grave Digger vêm ao Brasil prestar tributo aos fãs tupiniquins com a gravação de um DVD especial

Por Thiago Cardim, da Redação AOL

667 acessosGrave Digger: tradição ou acomodação?5000 acessosWonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e crítica

Não há como negar que o Brasil é, definitivamente, um país importantíssimo para o rock pesado. A quantidade de bandas gringas de heavy metal que aportam por aqui todos os anos é prova mais do que definitiva disso. "Vocês têm os fãs mais insanos", tenta definir Chris Boltendahl, vocalista do grupo Grave Digger - que, em maio, passa com uma turnê especialíssima por nossos palcos, comemorando os 25 anos de carreira da banda. "E também têm a sorte de ter o melhor clima do mundo", brinca.

No entanto, assim como fizeram no ano passado os conterrâneos do Edguy, eles não querem deixar suas apresentações por aqui passarem em branco e já avisaram: dia 7 de maio, no DirecTV Music Hall, tem a gravação de um DVD comemorativo. "Nosso setlist especial terá exatamente 25 músicas", revelou o frontman, evitando maiores detalhes.

Em entrevista exclusiva para a AOL, ele comentou o recente (e elogiadíssimo) "The Last Supper", o mais recente álbum de estúdio do quinteto, e aproveitou para fazer uma breve análise da trajetória da banda e também do heavy metal como um todo. "Na minha opinião, os fãs e suas reações continuam os mesmos. O metal sobrevive a todas as marcas e rótulos".

Primeiro de tudo, vamos esclarecer uma coisa: "The Last Supper" é ou não um disco conceitual? Muitos fãs estão insistindo em chamá-lo desta forma porque o disco carrega diversas referências a religião.
Chris Boltendahl: Na verdade, não é um disco conceitual. Mas todas as canções abordam religião ou entâo qualquer uma das diferentes formas de crer em algo.

E sobre a polêmica envolvendo a capa (que traz uma imagem de um Jesus Cristo cabisbaixo, na mesa da Santa Ceia, sendo observado pela Morte)? Os fãs continuam falando sobre isso - vocês chegaram a ser acusados de satanistas?

Não, não, não chegamos a extremos assim. O que aconteceu foi que dois fãs dos Estados Unidos começaram a reclamar da capa, dizendo que tínhamos exagerado. Para evitar maiores irritações, postamos uma mensagem em nosso livro de visitas do site oficial, dizendo que não se tratava de uma mensagem satânica ou algo nesta direção, não há nada nela contra os cristãos. A arte mostra a solidão de Jesus abandonado por seus seguidores.

Os críticos estão sendo praticamente unânimes ao afirmar que este álbum é mais "orgânico" e menos "rude" do que o anterior, "Rheingold". Você concorda?

Sim. Na verdade, nossa idéia era voltar, de maneira extrema, às nossas origens, fazendo uma mistura da sonoridade dos álbuns "The Grave Digger" (de 2001, o primeiro com o guitarrista Manni Schmidt) e "Rheingold" (2003).

O vídeo da faixa-título, "The Last Supper", é muito polítuico, fazendo inclusive alguns "comentários" sobre o presidente George W.Bush. Esta é a opinião da banda sobre os EUA e seu relacionamento com o mundo?

O mundo não é o bastante, não? Quero dizer, os Estados Unidos são a auto-proclamada polícia do mundo e isso pode significar rapidamente o seu fim. É isso.

Por que vocês escolheram justamente o Brasil para gravar seu DVD especial de 25 anos?

Porque vocês têm os fãs mais insanos e São Paulo é, definitivamente, a capital do heavy metal.

Que surpresas podemos esperar do show? O setlist vai ser maior do que o da turnê comum?

Vou guardar as surpresas para o show. Mas tudo que posso dizer é que nosso setlist especial terá exatamente 25 músicas.

Vinte e cinco anos depois - nesta duas décadas, o que você acha que mais mudou no heavy metal e especificamente no Grave Digger?

Naturalmente, a parte técnica mudou bastante, seja no que concerne os shows ao vivo ou os estúdios. Mas o que é mais estranho é que, na minha opinião, os fãs e suas reações continuam os mesmos. Não dá para matar o heavy metal. Sobrevive a todas as marcas e rótulos. Quanto ao Grave Digger, naturalmente nós envelhecemos e ficamos mais relaxados, mas ainda é uma aventura entrar em turnê ou ir para o estúdio, exatamente como era nos primeiros anos.

Por que diabos a Alemanha faz tantas e tantas boas de heavy metal? O segredo está na água? [risos]

Porque nós temos um desejo extremo de sobreviver e...bem, você sabe...só os melhores sobrevivem [risos]. Não, eu não posso te dizer o motivo exato. Mas tivemos muita sorte de ouvir monstros sagrados como Black Sabbath, AC/DC, Judas Priest e aprendeu o que eles queriam dizer. Mas eu te digo: não importa o que aconteça, vocês têm a sorte de ter o melhor clima do mundo [risos].

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

667 acessosGrave Digger: tradição ou acomodação?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Grave Digger"

Kai HansenKai Hansen
Escolhendo as dez maiores bandas de metal da Alemanha

Metal AlemãoMetal Alemão
About.com elege as melhores bandas

Anos 90Anos 90
10 shows pouco comentados

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Grave Digger"

Wonder YearsWonder Years
O soundtrack deste grande sucesso de público e crítica

Guns N RosesGuns N' Roses
Algumas curiosidades sobre o vocalista Axl Rose

Mulheres e guitarrasMulheres e guitarras
As mais importantes segundo a Gibson

5000 acessosDebandados: saíram de uma banda e formaram outras de igual pra melhor5000 acessosMorte: confira 15 das melhores músicas sobre o tema5000 acessosMetallica: membros entre os maiores maricas de todos os tempo5000 acessosHeavy Metal: O homem tem que ser na vida o que prega no palco?5000 acessosRock in Rio: mais três atrações internacionais e uma nacional5000 acessosPirataria: enquanto isso, em uma loja de CDs na Rússia...

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online