Tesla: "licks de guitarra e letras de arrasar"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Brave Words, Tradução
Enviar Correções  

O site KNAC.COM, conversou recentemente com o guitarrista do TESLA, Frank Hannon, sobre o novo álbum da banda, "Real To Reel".

Excessos: como os rockstars gastam os seus milhões

Garagens: adolescentes frustrados, guitarras baratas e energia

KNAC.com: Fale sobre "Real To Reel". O que levou o TESLA a gravar um álbum inteiro de covers e como vocês selecionaram o material?

Hannon: "Estávamos pensando em gravar um álbum de covers e pensamos que seria mais simples fazer isso rápido. Mas queríamos que fosse o melhor álbum de covers possível, então deixamos as coisas correrem naturalmente. Quando começamos, cada um na banda trouxe suas músicas favoritas e tocamos todas, mas aí percebemos que algumas delas simplesmente não iriam funcionar. Tentamos tudo, desde GOO GOO DOLLS e NIRVANA até músicas mais atuais. Estávamos tentando ser originais porque, quando bandas gravam covers, elas tentam ser originais. Foi aí que surgiu a idéia do ‘Real To Reel’. Quisemos mantê-lo o mais real e honesto possível e, para fazer isso, tivemos que gravar músicas que estivessem em nossas raízes – especialmente dos anos 70, porque crescemos ouvindo essas músicas. Então experimentamos músicas que destacassem o som das guitarras e estivessem mais voltadas para o rock dos anos 70 e eliminamos as que percebemos que não iriam funcionar".

KNAC.com: Bem, é claro que esta não foi a primeira vez que o TESLA gravou covers.

Hannon: "Sempre gravamos covers, como no álbum 'Five Man Acoustical Jam', e em nossos shows sempre tocamos sucessos dos BEATLES, do FRAMPTON, ou seja, sempre experimentamos gravar ou tocar covers ao vivo. Para este álbum, passamos quase dois anos experimentando músicas. No início, quando Tommy Skeoch ainda estava na banda, gravamos alguns covers no estúdio do Brian [Wheat, baixo] que provavelmente serão incluídas em um box set. Então gravamos digitalmente com o ProTools no estúdio do Brian, mas depois decidimos que deveríamos gravar este álbum de forma totalmente analógica para que ficasse o mais fiel possível ao som dos anos 70. Então escolhemos gravar em um estúdio totalmente analógico no Texas – um lugar chamado Sonic Ranch. O proprietário, Tony Rancich, possui um monte de guitarras, amplificadores e pedais vintage, além de todo tipo de equipamento legal dos anos 70 e que acabamos usando no álbum".

KNAC.com: Você tem preferência por alguma música ou solo deste álbum?

Hannon: "Neste álbum seria ‘Rock Bottom’, com certeza".

KNAC.com: Quais álbuns do catálogo do Tesla você diria que são essenciais?

Hannon: "Eu diria que são ‘Five Man Acoustical Jam’ e este álbum, ‘Real To Reel’, porque foi gravado com a mesma idéia – a energia e a qualidade de uma apresentação ao vivo. Essas não são nossas músicas, mas tocamos como se fossem. Para fazer este álbum, gastamos o mesmo esforço e tempo que normalmente gastamos em todos os outros. Este novo álbum é, com certeza, material de primeira para o Tesla porque são 25 músicas e nos esforçamos tanto quanto se fossem nossas próprias músicas. Acho que as melhores são ‘What U Give’, que é uma música com guitarra acústica muito sincera e profundamente emotiva, e ‘Modern Day Cowboy’, que é o típico hino político do Tesla, com o maior número de riffs de guitarra rápidos que pudemos tocar, além de uma letra matadora. Isso é o que nos interessa – licks de guitarra e letras de arrasar"

O artigo completo (em inglês) pode ser encontrado no www.knac.com/article.asp?ArticleID=5605.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guitar World: os 20 melhores álbuns de Hair Metal dos anos 80Guitar World
Os 20 melhores álbuns de Hair Metal dos anos 80

Tesla: o Guns N' Roses teria roubado Patience?Tesla
O Guns N' Roses teria roubado Patience?


Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

Garagens: adolescentes frustrados, guitarras baratas e energiaGaragens
Adolescentes frustrados, guitarras baratas e energia


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin