Metallica: "St. Anger foi uma declaração", diz Hetfield

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Douglas Morita, Fonte: Metallica Remains
Enviar Correções  

publicidade

Andrew Dansby do Houston Chronicle entrevistou em 2008 o guitarrista/vocalista do METALLICA, James Hetfield. Confira abaixo alguns trechos da conversa.

Led Zeppelin: "Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

Sepultura: Derrick Green elege seus 10 vocalistas preferidos do heavy metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Houston Chronicle: Você sente que a sobriedade mudou a forma com que você compõe?

Hetfield: "Eu posso dizer que eu tirei os óculos escuros. É bem impressionante e continua sendo assim. Eu não estou aqui para pregar sobre isso, para dizer que tem que ser dessa forma para todos. Mas parece que as coisas aconteceram onde eu não tinha o efeito completo, e agora eu tenho. Antes tarde do que nunca".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Houston Chronicle: Ainda assim você tem um álbum chamado "Death Magnetic", cheio de morte.

Hetfield: "Bem, você não pode desligar isso (Risos). Nós focamos nas coisas bem principais. Quando eu tento contar uma estória ou explicar história ou algo assim, sempre sai errado. Quando eu consigo ficar sombrio e universal com isso, é um pouco mais real. Mas nós ouvimos muitas coisas como, 'eu te peguei sorrindo. Como você vai escrever músicas?' Isso acontece, cara. Eu não vou passar o resto da minha vida tentando lidar com a primeira parte dela. É um trabalho em andamento".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Houston Chronicle: "St. Anger" foi massacrado pela imprensa, até por vocês. É seguro dizer que você não ama seus álbuns igualmente?

Hetfield: "Eu adoraria amar todos eles igualmente. Todos eles têm seu próprio coração e história. Eu amo o disco 'Death Magnetic'. E eu acho que você está meio que treinado a falar mal do disco anterior. 'St. Anger' foi uma declaração. Foi mais uma declaração do que uma coleção de músicas".

Houston Chronicle: Mais do que qualquer outro, ele parece ter a menor distância entre o cantor e o narrador.

Hetfield: "Ele soa fragmentado e nervoso, que é como nós éramos. Eu ainda acho que ele terá seu lugar. Certos álbuns, eles sobem e descem. Há tantos discos que eu ouço agora que eu não ouvia quando criança; Eu achava que eram podres. Eu ouço agora e penso, 'esse é um álbum realmente bom'.

Houston Chronicle: Vocês tem uma história difícil com o Guns N' Roses. Você já ouviu o disco novo do Axl Rose? Você ao menos se importa?

Hetfield: "Eu certamente o ouvirei. Mas eu não perdi o sono esperando por ele. Eu achei que nós demoramos um bom tempo para fazer um álbum. Mas você sabe, ele está atrasado para tudo então faz sentido totalmente. Nós o vimos tocar em um festival na Alemanha dois anos atrás. Ele é um bom frontman. Ele é excêntrico, mas todos os artistas são. Se eles não mostrarem que eles são estranhos, eles estão mentindo pra você. Eles estão ou fingindo que não são ou fingindo que são um artista".

A entrevista completa pode ser lida, em inglês, clicando aqui.

Comente: Qual a sua opinião sobre St. Anger tantos anos depois?




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Led Zeppelin: Stairway To Heaven vale mais de US$500 milhões?Led Zeppelin
"Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

Sepultura: Derrick Green elege seus 10 vocalistas preferidos do heavy metalSepultura
Derrick Green elege seus 10 vocalistas preferidos do heavy metal


Sobre Douglas Morita

Douglas Morita acha que se existem constantes em sua vida, uma delas definitivamente é o Metallica. Fã da banda desde que se conhece por gente, criou o site Metallica Remains em 1998 e considera o grupo como sua principal - porém, obviamente, não única - influência musical. Além do Metallica, tenta ouvir de tudo um pouco, sem se limitar a estilos ou rótulos.

Mais matérias de Douglas Morita no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280 GooInArt