Megadeth: "Eu e Glen que escolhemos o Chris!", diz Shawn

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Vitor Hatum de Mendonça, Fonte: Rust In Page, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 04/09/09. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Kevin Stewart-Panko do site Hellbound.ca conduziu recentemente uma entrevista com Shawn Drover. Confira alguns trechos abaixo.

3425 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosMegadeth: "Magia negra arruinou minha vida", diz Mustaine

Hellbound.ca: Seu irmão [Glen Drover] deixou a banda. Da sua perspectiva, estando em uma banda com seu irmão, qual o impacto que isto teve em você?

Drover: Eu odiei, mas quando percebi que esta era a coisa certa a se fazer pra ele, eu o apoiei. Claro, eu sinto falta do meu irmão. Nós sempre nos demos muito bem e basicamente tocamos juntos nas mesmas bandas a vida inteira, exceto por alguns pequenos períodos, como quando ele esteve no King Diamond por três anos. Inicialmente, eu fiz de tudo pra fazê-lo mudar de idéia. Depois percebi que esta era a coisa certa a se fazer. Ele elegantemente se retirou e o fez na hora certa. Nós tínhamos uma pausa de 11 semanas antes de começarmos a turnê na Europa. Ele tinha uma escolha: aguentar a turnê no resto do mundo e então dizer que não poderia mais ou sair naquele momento. Nós conversamos sobre isto e ele disse que não poderia continuar. Ele não poderia dar 100% e eu entendi isto e respeitei. Com isto, quando tudo aquilo acabou, nós tínhamos que encontrar um guitarrista. No fim das contas, eu e Glen fomos quem escolheu Chris [Broderick]. Tínhamos uma lista muito pequena de pessoas que conhecíamos que poderiam, em primeiro lugar, tocar as músicas e em segundo lugar, que fossem pouco problemáticas. Há todas estas bobagens que vêm com os músicos às vezes, como a pessoa ter um grande ego ou gostar de cheirar formigas ou qualquer outra coisa. Você quer alguém que seja o menos problemático e Chris era o cara e dentro de 24 horas depois da saída de Glen, Chris estava na banda. Ele veio e falou com Dave e foi tudo muito rápido. Mas isto aconteceu por causa de mim e Glen recomendarmos Chris. Tudo deu certo, mas com certeza foi difícil

Hellbound.ca: Você já teve que levar em consideração em algum momento ao longo dos anos este tipo de decisão familiar?

Drover: Não, porque minha situação é diferente. A única razão de Glen ter decidio fazer isto foi porque ele tinha um menino muito novo. Quando ele se juntou ao Megadeth, seu filho estava com apenas dois anos e com o tempo dois e meio ou três, e ele realmente sentiu falta de estar com seu filho e isto o consumia. Foi muito difícil, perceber que ele tinha apenas um filho - o único filho que ele terá - e ele só tem uma chance de ver seu filho crescer e ele não estava bem com isto. Meus filhos são crescidos, então minha situação é completamente diferente.

Hellbound.ca: Continuando, o novo álbum foi gravado no estúdio Vic's Garage?

Drover: Sim, o Vic's Garage foi construido no sul da Califórnia, no norte de San Diego que é onde James [Lomenzo] e Dave moram. Chris mora perto de L.A. Eu sou o único que mora fora do estado. Mas sim, tivemos o estúdio construido exatamente para isto, gravar o "Endgame", e para gravações futuras também. Também tínhamos uma grande área de depósitos e ensaios; é meio que um lugar multi-uso e foi realmente uma jogada muito esperta de Dave porque sempre que você vai ensaiar em L.A., você tem que ir ao prédio de ensaio e isto lhe custa o olho da cara e isto é um pé no saco porque você depende das pessoas que são donas do prédio para saber quando o prédio está disponível. É a mesma coisa com o estúdio onde você depende do horário. Agora estamos em uma situação diferente e com uma atmosfera tranquila para as gravações do disco e este é o nosso espaço. Estou muito feliz que ele tenha feito isto, no fim das contas se tornou algo muito legal e obviamente iremos usá-lo no futuro porque é o nosso estúdio.

Hellbound.ca: Como as coisas acontecem do ponto de vista logístico quando vocês querem se reunir para compor ou ensaiar?

Drover: Estou a um avião de lá. Estou a quatro horas de distância. Então, caso precise, é só organizar as coisas na gerência e tudo mais e você vai. É bem fácil. Várias bandas hoje em dia não vivem exatamente no mesmo local e elas funcionam. É extremamente mais fácil do que em 2004 quando Dave era o único que vivia na California. Glen estava em Toronto, eu em Atlanta e James [MacDonough] vivia na Flórida. É com certeza bem mais fácil ter três caras da banda vivendo na mesma área.

Hellbound.ca: Até aqui, a reação, discussões online e até alguns comentários que Chris fez em entrevistas mencionam que o novo diso tem uma pegada mais old-shcool. Eu estava me perguntando qual sua influência na direção que o novo disco tomou?

Drover: Sabe de uma coisa cara? É apenas um punhado de música de metal. Se as pessoas acham tudo isto, num bom sentido, e isto as fazem feliz, então é ótimo e eu estou com eles. Nós não fomos lá e falamos, "Ok, temos que fazer esta música soar como algo do 'Peace Sells'" e coisas do tipo. As coisas sairam assim e isto dá a impressão às pessoas de que lembra este ou aquele disco, então é ótimo. Mas não fomos lá com esta intenção. Apenas queríamos ir lá e fazer o melhor disco que podemos e espero que o consenso seja positivo. Os que ouviram o disco até agora, a maioria das reações têm sido muito positivas e estou grato por isto, mas não temos uma fórmula específica.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3080 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa519 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3525 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

ClipesClipes
10 vídeos de rock/metal bem legais lançados em 2016

Glen DroverGlen Drover
Tocar no Megadeth era algo tedioso

MegadethMegadeth
Dez álbuns que marcaram a vida de David Ellefson

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

MegadethMegadeth
"Magia negra arruinou minha vida", diz Mustaine

MetallicaMetallica
Por que 9 entre 10 fãs da banda odeiam "Load" e "Reload"?

Phil AnselmoPhil Anselmo
"Sou o rei da falsidade! É isso que a heroína faz!"

5000 acessosMotörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura5000 acessosMetallica: NME elege as 10 melhores músicas do grupo5000 acessosFotos de Infância: Cradle Of Filth5000 acessosHeavy Metal: os 10 maiores hinos de todos os tempos5000 acessosNu-Metal: as quarenta melhores músicas do estilo4662 acessosMastodon: "Percebemos que os vocais são o ponto fraco da banda"

Sobre João Vitor Hatum de Mendonça

Nascido no interior de São Paulo em 1988, hoje graduado no curso de Bacharelado em Ciência da Computação, fanático por Rock e Heavy Metal desde pirralho, sendo, hoje, um dos responsáveis pelo site Rust In Page e criador do blog Inside Loud. A paixão pelo Rock surgiu lá pelos 10 anos de idade com um álbum do Aerosmith e, desde então, teve (e ainda tem) entre seus músicos e bandas favoritas nomes como Iron Maiden, Judas Priest, Megadeth, Rush e Van Halen. Mas, independente de rótulos e conceitos pré-definidos, seu gosto musical viaja desde o som mais pesado de um Carcass, até os experimentalismos de um Mr. Bungle e o som mais moderno de um Stone Sour, apenas ouvindo o que lhe agrada e soa bem aos ouvidos. Hoje, além de trabalhar na área de Computação e ser um 'músico' casual, despende parte de seu tempo no blog Inside Loud, em homenagem a uma de suas maiores paixões: a boa e velha música.

Mais matérias de João Vitor Hatum de Mendonça no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online