Duff McKagan: escolhendo entre Led Zeppelin e Black Sabbath

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Site do Jornal Seattle Weekly, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

DUFF MCKAGAN (LOADED), como é sabido, tem uma coluna fixa no jornal norte-americano SEATTLE WEEKLY. A coluna, de nome REVERB, não se atém a nenhum tema ou programa em específico e por vezes tem um conteúdo bem descomprometido e leve. O que segue é a tradução do texto publicado no dia 9 de dezembro de 2010.

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1983Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko Loureiro

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu me diverti tanto semana passada com algumas de suas perguntas que eu achei que deveria tentar de novo. Além disso, parece haver uma quantidade infindável de curiosidade sobre as quais posso dar minha opinião em uma vasta gama de assuntos. Garotas? Rock? Baixo? Casamento? Eu vou responder mais algumas perguntas ao longo da semana.

Vamos começar...

P: Zeppelin ou Sabbath, e por quê?
-- Pete, Nova Iorque

Se você está me perguntando agora, eu não conseguiria escolher um ganhador ou perdedor exatamente. Pra mim, como baixista, e um recente estudante sério de minha arte, eu teria que puxar mais pro Zeppelin e John Paul Jones (tenho noiado no baixo recentemente, algo que eu NUNCA tinha feito antes).

Em Seattle, e quando eu era moleque, havia uma séria divisão no debate Sabbath/Zeppelin. Se você fosse de fora da cidade, era Sabbath, e pra nós, colegas urbanos, TUDO era em torno do Zeppelin.

Nós parecíamos sabichões demais pra eles. Eles pareciam muito brucutus pra nós. Sim, mas todos nós éramos jovens e burros e cheios de arrogância e certeza. A verdade é que essas bandas são tão diferentes que NAO HÁ maneira alguma de realmente compará-las ou contrastá-las. Na verdade, você não pode comparar NENHUMA outra banda a essas duas criaturas.

P: O que aconteceu com o Jane's Addiction?
-- T

Eu realmente acho que já respondi a essa em algum lugar em uma entrevista. Mas pra me certificar, eu vou tocar nesse assunto de novo.

Ano passado nessa mesma época, eu fui solicitado por Perry quanto a ir lá e dar uma mão na composição de um novo disco do Jane. Eu fiquei e ESTOU realmente honrado.

Nós começamos o processo, e os rumores começaram a girar, ferver e fluir AO MÁXIMO! Eu estava apenas tentando me concentrar o tempo todo e trabalhar com aquela banda o tanto quanto pudesse. Eles são grandes homens e cavalheiros, todos eles. Um grupo de caras mais legais seria difícil de achar.

Lamentavelmente, chegou a hora deu partir e voltar pras minhas coisas, que são o LOADED o tempo todo, escrever meu livro, desenvolver um novo negócio e a sempre presente busca por um vocalista para o VR. A imprensa deu uma proporção indevida à coisa pra começo de conversa, e no fim me sobrou tentar explicar uma situação que era tão simples. Caras criativos... ficando criativos.

Q: Você já sentiu que uma mulher como Susan era muita areia pro seu caminhão?
-- Jake, Ukiah, CA

Sim! E ainda sinto."

Comente: E você? Prefere Led ou Sabbath?




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Loaded"Todas as matérias sobre "Guns N' Roses"Todas as matérias sobre "Duff McKagan"


Slash: guitarrista flagrou a mãe pelada com David BowieSlash
Guitarrista flagrou a mãe pelada com David Bowie

Slash: um resumo de suas experiências ao longo dos anosSlash
Um resumo de suas experiências ao longo dos anos


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1983Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1983

Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko LoureiroMegadeth
Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko Loureiro


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336