Disturbed: "Eu odeio neo-nazistas e skinheads!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Lucas Steinmetz Moita, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

David Brinn, jornalista do israelense The Jerusalem Post, conduziu em janeiro de 2011 uma entrevista com o vocalista e líder do DISTURBED, David Drainman. Confira trechos abaixo.

Rock: A história dos primórdios aos anos 90Separados no nascimento: Robert Plant e Patrícia Pillar

The Jerusalem Post: Quando sua relação com Israel começou?

David Drainman: Eu vim [para Israel] muitas vezes quando criança com a minha família. Eu acho que a primeira vez foi com seis anos. Eu costumava vir pra cá, para o acampamento de verão, algumas vezes na minha infância, e eu gastei um ano depois do colegial aqui, estudando na yeshiva de Neve Zion [N.R. yeshiva é o nome dado à instituição para estudo do Torá]. Eu era um desses caras que você costumava ver se metendo em confusão e andando por aí em Kikar Zion, em Jerusalém.

TJP: Tocando heavy metal, você ocasionalmente se depara com fãs com sentimentos anti-semitas ou neo-nazistas. Como você lida com isso?

Drainman: Eu odeio neo-nazistas e skinheads. De fato, há uma história real que aconteceu no início da banda, quando estávamos tocando em um clube no sul de Chicago. Um dos caras que veio nos assistir era um skinhead, tinha uma suástica tatuada. Um fã de carteirinha. A banda estava sentada tomando uns drinks depois de um show e ele chegou e começou a falar de negros e judeus, e eu interrompi ele e disse: "Cara, eu não sei se você percebeu isso, mas eu sou judeu." Ele respondeu: "Você é judeu! Isso muda completamente minha ideia sobre o que um judeu deveria ser." E logo após isso, ele removeu a suástica e denunciou a cultura skinhead. Eu sempre fui muito orgulhoso da minha descendência e de onde eu vim, e eu defendi isso ao ponto de ser massacrado em muitas ocasiões. Na verdade, a maioria das brigas que eu me meti na minha vida - e foram muitas - foram porque eu estava defendendo minha família ou minha fé.

Para ler a entrevista completa (em inglês), clique no link abaixo:
http://www.jpost.com/ArtsAndCulture/Music/Article.aspx?id=20...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Racismo"Todas as matérias sobre "Disturbed"


Tarja: fã de Jogos Mortais, A7x, Alice in Chains e DisturbedTarja
Fã de Jogos Mortais, A7x, Alice in Chains e Disturbed

Billboard: discos de rock/metal que atingiram o topo nos anos 2000Billboard
Discos de rock/metal que atingiram o topo nos anos 2000


Rock: A história dos primórdios aos anos 90Rock
A história dos primórdios aos anos 90

Separados no nascimento: Robert Plant e Patrícia PillarSeparados no nascimento
Robert Plant e Patrícia Pillar


Sobre Lucas Steinmetz Moita

Formado em Jornalismo pela Unisinos, atua em duas áreas bastante bipolares: música pesada e teologia. Proprietário do site CristianismoHardcore.com.br, atuou durante 5 anos com o Programa MoitaRock, entrevistando diversos artistas nacionais e internacionais (como Andre Matos, Angra, Sebastian Bach e Blind Guardian). O Programa MoitaRock foi extinto, mas o trabalho com vídeo e entrevistas continua em HeavyTalk.com.br, ao qual também administra.

Mais informações sobre Lucas Steinmetz Moita

Mais matérias de Lucas Steinmetz Moita no Whiplash.Net.

adGooILQ