Stone Temple Pilots: "Apesar de tudo, somos irmãos!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar Correções  

O The New Zealand Herald entrevistou recentemente o guitarrista do STONE TEMPLE PILOTS, Dean DeLeo. Seguem alguns trechos da conversa.

Sobre ser a melhor babá da música, tendo cuidado do notório e desastroso cantor Scott Weiland:

"Se tivesse um prêmio por paciência e compaixão, eu teria uma prateleira cheia deles. Tem 20 anos que estou nessa banda e se eu me permitisse me curvar à raiva e ficar perdido nesse mundo de ódio, então quem seria o idiota aqui? E olha, apesar de tudo que aconteceu, nós quatro somos irmãos. Nós crescemos juntos."

publicidade

Sobre a separação do STONE TEMPLE PILOTS em 2003:

"Estivemos literalmente ombro a ombro – e o Scott e eu vivíamos juntos na realidade, dividindo um quarto quando nós começamos a fazer turnê, e morávamos juntos – por muito tempo, e sabe o que?! Nós começamos a nos cansar das rotinas um do outro. Era muito necessário dar um tempo."

publicidade

"Não acho que nenhum de nós planejava que fosse tão longa (a separação) mas o Scott teve muito sucesso com o VELVET REVOLVER, e todos nós respeitamos isso, e não queríamos ser um entrave. Mas então eventualmente todos os rios tornam a correr para o mar, não é?"

Sobre a paternidade:

"Antes era só a banda, mas agora a banda está em segundo plano para todos nós. Primeiro e antes de mais nada todos nós nos tornamos pais, e isso toma precedência sobre tudo. Mas sim, falando pessoalmente, a vida mudou, porque ser pai te coloca numa posição em que você quer fazer tudo o que pode como ser humano, como pai e como amigo. É nossa responsabilidade moldar esses macaquinhos."

publicidade

Sobre o último auto-intitulado álbum da banda:

"Todos nossos discos foram diferentes uns dos outros, o que foi por um esforço muito combinado de nossa parte de tentar não ficar nos repetindo, e como guitarrista e compositor eu tento trombar em coisas novas e é claro que elas são sempre novas inspirações. Para nós, e para mim pessoalmente, eu não gosto de visitar um lugar onde já estive antes."

publicidade

Leia a entrevista na íntegra no The New Zealand Herald.

http://www.nzherald.co.nz/entertainment/news/article.cfm?c_i...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Grunge: por que as músicas do estilo trazem tanta angústia, segundo Eddie VedderGrunge
Por que as músicas do estilo trazem tanta angústia, segundo Eddie Vedder


Grunge: quem realmente abriu a porta para o gênero entrar?Grunge
Quem realmente abriu a porta para o gênero entrar?

Stone Temple Pilots: Scott não tinha condições de ser o vocalistaStone Temple Pilots
Scott não tinha condições de ser o vocalista


Discórdia: alguns dos maiores insultos entre artistasDiscórdia
Alguns dos maiores insultos entre artistas

Jared Leto: a reação ao se ver no papel do CoringaJared Leto
A reação ao se ver no papel do Coringa


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin