Def Leppard: Joe Elliot fala sobre o álbum ao vivo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: noisecreep.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/06/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Da decadência e tragédia até shows em estádios lotados e super estrelato internacional, o Def Leppard conquistou quase todos marcos do hard rock no curso de sua carreira de 30 anos. Surpreendentemente, umas das referências que eles nunca alcançaram durante sua fenomenal corrida por álbuns de diamante e singles de sucesso foi um simples álbum ao vivo. Finalmente a espera acabou: o primeiríssimo álbum ao vivo oficial do Def Leppard chamado 'Mirrorball' saíra em 7 de junho.

972 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes5000 acessosPlanet Rock: 40 melhores discos ao vivo de todos os tempos

Por que nenhum álbum ao vivo em tanto tempo? "Nós sempre quisemos apenas continuar fazendo músicas novas quando uma turnê terminava", disse o frontman Joe Elliott ao Noisecreep. "Porque nós só paramos por um ano, é a primeira verdadeira folga que tivemos em 30 anos. Isso nos deu a oportunidade de realmente levar em consideração fazer um álbum ao vivo porque nós gravamos talvez uns 40, 50 shows durante a turnê em 2008-2009."

No álbum ao vivo, a banda encontrou uma forma de incorporar sua necessidade de continuar seguindo em frente ao incluir três músicas novas: 'Undefeated,' 'Kings Of The World,' e 'It's All About Believin'.' Elliott disse que músicas novas ajudarão na futura turnê com o Heart. "Com três músicas novas, temos a chance de tocar músicas novas também", disse ele. "(A 'Undefeated') é um grande hino para arenas de rock, então traz positividade, grande bateria, grandes guitarras, acordes simples, e uma letra que anima. A 'Undefeated' definitivamente está no rol de músicas para se tocar ao vivo."

Compor novas músicas foi fácil para a banda. "Tínhamos aquela energia, não podemos parar de compor". Disse Elliot. Finalmente fazer um álbum ao vivo, um que possa estar à altura de cada grandiosa conquista do Def Leppard foi mais difícil. Elliot tinha um álbum específico em mente a seguir para alcançar essa meta. "O que dissemos antes mesmo de nos prepararmos foi 'Temos de fazer o nosso 'Live And Dangerous' (álbum ao vivo do Thin Lizzy).' Ele foi uma moldura, uma planta. Ele foi pra mim, quando estava crescendo, meu álbum ao vivo favorito", disse ele. "O 'Live And Dangerous' foi uma melhora nas versões de estúdio das músicas deles."

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

972 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes2240 acessosDef Leppard: edição deluxe celebra 30 anos do álbum "Hysteria"1052 acessosDef Leppard: nunca mais lançarão álbuns como o "High and Dry"515 acessosWho e Def Leppard em POA: venda para público geral inicia amanhã0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Def Leppard"

GibsonGibson
Os 10 riffs mais incríveis dos anos 80

Rock Hall Of FameRock Hall Of Fame
25 bandas que ainda precisam ser nomeadas

NWOBHMNWOBHM
Os 25 maiores álbuns do gênero entre 1980 e 1982

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Def Leppard"

Planet RockPlanet Rock
Os 40 melhores álbuns ao vivo de todos os tempos

Timo TolkkiTimo Tolkki
Surtando no Facebook com a filha contra brasileiros?

AC/DCAC/DC
Brian revela segredo obscuro de Angus Young

5000 acessosMaridos traídos: Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'Anno5000 acessosAjustes e Consertos em Baixos e Guitarras5000 acessosCharles Manson: casamento era plano para expor seu cadáver5000 acessosAngra: Rafael Bittencourt fala de racismo, carnaval e Megadeth5000 acessosTony Martin: "apagado da história do Sabbath"4959 acessosNergal Darski: A música extrema de hoje é masturbação entediante

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online