Sebastian Bach: "me apaixonei durante as gravações"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: noisecreep.com, Tradução
Enviar Correções  

Karen Bliss da Noisecreep.com conduziu uma entrevista com o ex-vocalista do SKID ROW, Sebastian Bach. Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

Heavy Metal: quais as 10 melhores vozes da história?

Serguei a Morrison: Os estranhos relacionamentos de Janis Joplin

Noisecreep: Quando você assinou o acordo com a Frontiers Records, ao apresentar suas demos, você sabia que trabalharia com Bob Marlette?

Bach: Eu estou sempre trabalhando em novas músicas. Com a tecnologia de hoje em dia, qualquer idiota pode gravar em Pro Tools em seu laptop. Tudo que você precisa fazer é ligar um microfone à tomada de entrada e qualquer um pode ter seu próprio estúdio de gravação. Então, eu estou sempre no meu porão, cantando sozinho ou colaborando com alguém. Na verdade, eu tinha um monte de músicas trabalhadas com Jamey Jasta do HATEBREED, mas eram pesadas ​​demais para mim, porque minha voz soa melhor quando eu canto de uma forma mais limpa. Prefiro usar minha voz de uma forma especial.

Noisecreep: Esse era o projeto que você estava fazendo com John 5?

Bach: A canção que eu escrevi com John 5 está gravada. É a faixa três do álbum.

Noisecreep: Como se chama?

Bach: Eu não quero dizer os títulos das músicas até o lançamento, em setembro. Eu me lembro que quando era criança, eu estava esperando por um álbum novo do Kiss, eu andei de bicicleta até a A&A Records em Peterborough Square para tentar saber o nome das músicas. Estava muito curioso para saber, e fiquei esperando até descobrir todos os títulos das músicas. É difícil manter um segredo com a internet e a forma como a indústria da música está nos dias de hoje, mas eu estou tentando manter algo que uma criança possa ir a loja descobrir por si própria. O álbum se chama "Kicking & Screaming".

Noisecreep: E você também disse em um comunicado à imprensa, que o álbum terá as notas mais agudas que sua voz pode alcançar.

Bach: Minha voz... como posso dizer isso sem me gabar? Ela apenas está melhor do que nunca. Minha voz tem vida própria.

Noisecreep: Fale-nos sobre a atual formação para este álbum. Está faltando alguém na banda?

Bach: Não, este é o primeiro álbum que eu fiz como um trio. Eu acho que na parte de trás nós vamos ter que vestir quimonos (risos), como o Rush. O guitarrista Nick Sterling, toca baixo e guitarra no disco, Bobby Jarzombek na bateria e eu faço todos os vocais. Eu sou o único cantor no álbum todo. Mas toquei até um sino no álbum. E eu tive muita sorte de vir para a Califórnia para gravar e eu conheci uma garota, chamada Minnie (Gupta, um modelo de 26 anos de idade), foi amor à primeira vista. Isso fez com que ficasse mais fácil em me concentrar no disco. Ela está do meu lado agora. Eu sou meio distraído. Se você visse como ela é bonita, é simplesmente inacreditável. Eu fiquei apaixonado enquanto fazia este disco. Eu estava passando por turbulências e eu me apaixonei novamente, e muitas dessas emoções estão no álbum. O amor. Essa é a coisa mais importante na vida realmente, sem querer ser o John Lennon ou qualquer merda (risos). Os BEATLES diziam que, "Tudo o que você precisa é de amor." E você precisa de amor. Na vida sem amor é impossível pensar.

Leia a entrevista completa (em inglês) no link abaixo:

http://www.noisecreep.com/2011/07/05/sebastian-bach-finds-lo...

Agradecimentos: João Renato Alves




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: quais as 10 melhores vozes da história?Heavy Metal
Quais as 10 melhores vozes da história?

Serguei a Morrison: Os estranhos relacionamentos de Janis JoplinSerguei a Morrison
Os estranhos relacionamentos de Janis Joplin


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin