Recife: grandes shows de metal e ótima organização

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por AD Luna, Fonte: Jornal do Commercio do Recife
Enviar Correções  

Matérias publicadas em grandes veículos de comunicação do Recife relatam o sucesso da tradicional noite metal do festival Abril pro Rock, que este ano comemorou sua vigésima edição.

Trechos da matéria do Jornal do Commercio, que pode ser lida na íntegra pelo link:

http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cultura/musica/noticia...

publicidade

O grupo americano de thrash metal Exodus fechou a já tradicional noite dos sons pesados do Abril pro Rock. Cerca de sete mil pessoas (duas mil a mais do que no ano passado) compareceram, neste sábado (21) ao evento, em Olinda. A organização se mostrou quase perfeita no que se refere ao revezamento das bandas nos dois palcos armados no Chevrolet Hall. Houve poucos atrasos e, como já é comum em shows de metal, nenhum caso grave de violência foi registrado.

O público assistiu a uma excelente e divertida apresentação do Ratos de Porão. A banda de hardcore/thrash é bastante querida dos recifenses e soube responder à altura do carinho recebido. Músicas como Crucificados pelo sistema, Beber até morrer, entre muitos outros "hits" do grupo paulista com mais de 30 anos ganham ainda em peso e velocidade ao vivo. E é disso que o povo gosta.

publicidade

Vindos do México, os cabrones do Brujeria fizeram uma apresentação instigada e divertida que contou até com a participação de João Gordo, nos vocais. A comunicação com o público foi bastante facilitada devido à aproximação entre as línguas portuguesa e espanhola. Ao final do show, os músicos se despediram dos presentes ao de som mecânico de uma versão da Macarena, cujo principal refrão foi trocado por "Hei, marijuana".

publicidade

Depois do deboche sonoro do Brujeria, as atenções se voltaram para o palco ao lado. Liderada pelo carismático guitarrista Gary Holt, e formada nos 1980, a Exodus apresentou um show impecável, com repertório bem equilibrado em cima de músicas mais recentes e clássicos do passado.

Tocaram ainda, na mesma noite, os pernambucanos Pandemmy e Firetomb; Test e Leptospirose, de São Paulo; Cripple Bastards (Itália) e Hellbenders, de Goiás.

publicidade

Até pouco antes do final do show do Exodus não havia sido registrada nenhuma ocorrência policial no local e nem emergências médicas relevantes.



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Tarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 2000Tarja
Agredida sexualmente por fã durante show no México em 2000

Ozzy Osbourne: Fim do Guns foi a maior tragédia do rockOzzy Osbourne
Fim do Guns foi a maior tragédia do rock


Sobre AD Luna

AD Luna nasceu em 1971, em Porto Alegre, mas foi criado no Recife. Mora desde 2002, em São Paulo. É baterista das bandas Monjolo (SP) e TheSurfMotherfuckers (MG), que não tem praticamente nada a ver com heavy metal! Luna é formado em Jornalismo pela UFPE e é repórter, apresentador e gerente de conteúdo do Showlivre.com - portal de TV Web especializado em música. Apesar de curtir praticamente todo tipo de música, AD mantém a admiração e uma dívida de gratidão com o metal, estilo com o qual aprendeu a gostar de música com mais profundidade e paixão.

Mais matérias de AD Luna no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin