The Haunted: Ex-vocalista solta verbo sobre saída da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Carlos Almeida, Fonte: Facebook, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 13/08/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Quando saiu do The Haunted em Fevereiro deste ano, o vocalista Peter Dolving não quis dar detalhes sobre o motivo, limitando-se a dizer que “não aguentava mais” e que não responderia perguntas sobre o porquê, já que, em suas palavras “ninguém tem nada a ver com isso”. Passados alguns meses, parece que Peter mudou de ideia. Em um longo pronunciamento em sua página oficial no Facebook, Dolving não poupou palavras para explicar os motivos que o levaram a deixar a banda sueca.
Acompanhe a versão do vocalista sobre os fatos:

5000 acessosBruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metal5000 acessosGuitarras e Baixos: Perguntas e Respostas

Saí do THE HAUNTED no início da Primavera porque estava farto com toda aquela besteira disfuncional.

Eu sabia que havia isso na banda, porra, eu já tinha a deixado, mas naquela época eu não sabia muito sobre disfuncionalidade emocional e o quão fodidas pessoas cínicas podem ser.

Quando saí, éramos um bando de caras tristes. Não havia amor ali. Nenhum. E realmente, eu duvido muito que já tenha havido algum. Na verdade, eu questiono profundamente se Anders e Jonas Björler (respectivamente guitarrista e baixista do The Haunted e At The Gates) têm a menor ideia do que amizade verdadeira, alegria e carinho possam ser. Eles só pensam completamente neles mesmos.

O motivo que me fez levantar e dizer "foda-se tudo isso", foi o seguinte: Havia envolvimento de drogas dentro da banda e membros da equipe cujo alcoolismo/abuso de drogas eram ignorados, pois os indivíduos em questão eram mais baratos do que se contratar outras pessoas, além de conseguirem tudo o que os caras queriam. Promotores locais e membros da equipe eram tratados como se fossem subalternos e os promotores tinham que conseguir drogas, mesmo em lugares com risco extremamente alto para isso, como China e Tailândia. Era contrabando de drogas.

Eu tenho dois filhos lindos e incríveis os quais amo e respeito. Eu venci o vício sozinho e uma das coisas que aprendi é a de não fazer concessões com essa merda. Por causa dos meus filhos eu preciso saber que voltarei para casa. Que serei pago. Que ninguém será preso por porte de drogas e meus filhos terão que ler nos jornais sobre a banda do pai ter sido presa. É um mundo sórdido e mesquinho lá fora, é preciso um pouco de respeito mútuo e cuidado. É necessário ter uma determinação.

Eu trouxe esse assunto para discussão com a banda. Eu sempre trouxe. Sobre tudo o que estava acontecendo com a banda espiritualmente.

A resposta que recebi foi de que ninguém mais se importava e que, obviamente, eu era o único que tinha um problema com isso. Meu problema era se importar.

O dia em que os Björlers decidiram nos contar sobre a “turnê de despedida” do AT THE GATES (turnê de despedida que já vai para o terceiro ano...), estávamos acabando de lançar e promovendo (o álbum) “Versus”.

Eles nos disseram que só fariam 14 shows. Eles ainda estão em turnê...

Eles realmente estão ganhando uma grana com isso. Bom para eles. É bom ter dinheiro em um mundo capitalista.

Jensen (guitarrista do The Haunted) é o único que viu claramente o que estava acontecendo.

No momento em eles nos disseram sobre a turnê, sua resposta foi: "Vocês sabem que isso vai matar o The Haunted.". Os gêmeos (Anders e Jonas) foram extremamente defensivos sobre isso, e agora sabemos o porquê. Eles estavam mentindo descaradamente.

Jensen não é bobo. Ele fez outro álbum com o WITCHERY, excursionou como um filho da puta com esse projeto e conseguiu um diploma no mesmo período.

Bom para ele. É bom ter um diploma em um mundo capitalista.

Eu fiquei de boa, mas achei ridículo o fato de levarmos dois anos para fazer o (álbum) “Unseen”. Eu devo ter escrito umas 40 músicas pra essa porra de álbum. Toda vez que eu apresentava algo que não era "bom o suficiente" ou "não é era The Haunted". Jonas apresentou algumas idéias surpreendentes. Mas não havia coração.

Na verdade, eu desisti da banda nesse processo.

Os gêmeos estavam indispostos ao extremo. Eles não gostaram do local de ensaios, então nós tentamos trabalhar aqui em casa, que é um ambiente incrivelmente bonito. Mas foi desconfortável. Era muito afetuoso. Era exigir demais falar uns com os outros. Em um ponto eu disse para o Jonas "Cara, você nem sequer ouve o que as pessoas te dizem, não é?", "Sim, eu ouço!" "Então o que eu acabei de falar?" Ele tentou explicar o que ele pensou que eu tinha dito e ficou claro que ele tinha parado de ouvir depois que eu terminei a minha primeira frase. Eles não gostavam de trabalhar com (o produtor) Tue Madsen. Ficavam resmungando como moleques mimados de 5 anos idade. Tornou-se tão claro que eles simplesmente não se importavam. Sobre ninguém, exceto o absoluto mais próximo de si. Completamente indiferentes, a menos que houvesse conseqüências que os afetassem.

Não. Eles não têm filhos. Graças a Lúcifer.

O único que realmente me deu um feedback real foi Per Möller Jensen (baterista).

Nas ideias do Jensen, eu realmente dei tudo de mim para fazer boas canções com elas e isso estava dando certo, mas os gêmeos não queriam usá-las ou mesmo trabalhar com elas.

Eventualmente, conseguimos fazer um álbum. Alguns gostaram, outros não. Jonas marcou shows. Como ele fez para o At The Gates. Mas a banda estava morta.

A ultima turnê se limitou a esclarecer tudo muito bem. Horas e horas de silêncio. Como sempre com o The Haunted. Silêncio. Indiferença.

Eu não sou uma pessoa muito animada. Eu prefiro trabalhar a sair. Porque eu amo meu trabalho mais do que eu amo as pessoas. Eu não minto ou finjo que é de outra maneira. Mas quem me conhece vai testemunhar que eu não sou um mentiroso, infiel, insensível ou indiferente cujas incapacidades emocionais tornaram-me desprovido de tratar as pessoas com respeito.

Isto é o que eu tenho que dizer: Anders e Jonas Björler são dois dos mais fodidos merdas emocionalmente disfuncionais com quem já trabalhei, com exceção do (empresário) Petri H Lunden (que é um completo psicopata). Eu teria dado a eles a minha vida, porra.

Eles mal davam uma gota de suor em troca.

Eles partiram meu coração, porra.

A meu ver, Anders e Jonas Björler não são nada mais do que dois contadores enganosos. Tenho certeza que muitas outras coisas também.

Mas algo que eles nunca mais terão novamente são meu respeito, minha confiança ou preocupação.

Eu quase me matei de trabalhar para me recompor novamente depois desta merda fracassada toda. Eu não estou agindo emocionalmente. Porra, eu nem faço idéia se o Per Möller Jensen está vivo. Eu não tenho notícias dele há meses, e os últimos seis meses em que eu ainda estava na banda ele era um sem-teto.

Os fatos permanecem; Eles mentiram. Eles foderam os outros três caras da banda. E eles desprezaram cada momento de dor, paixão e admiração que compartilhamos. E para mim, isso significa que eles foderam todos os fãs do The Haunted e do At the Gates também.

Eu sinceramente acredito que eles sejam muito perturbados emocionalmente.

Triste, muito triste.

/ Peter Dolving

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 13 de agosto de 2012

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "At The Gates"

HailMetal.comHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal

Metal RulesMetal Rules
Site lista os 5 melhores álbuns de reestréia

Já tem 20 anos!Já tem 20 anos!
Os dez melhores álbuns de metal de 1995

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Haunted"0 acessosTodas as matérias sobre "At The Gates"

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do Metal

Guitarras e BaixosGuitarras e Baixos
Perguntas e respostas sobre os instrumentos

Maquiagem, spikes e sorrisosMaquiagem, spikes e sorrisos
Conheça o Happy Black Metal

5000 acessosSeparados no nascimento: Phil Lynott e Tiririca5000 acessosSaúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais5000 acessosCensura: 53 nomes que você não pode dizer em uma rádio5000 acessosGaleria - Musas do Metal5000 acessosEm vídeo: Seguidores do Demônio, as 10 bandas mais perigosas segundo pastor americano5000 acessosKiss: filho de Gene Simmons desmistifica pai

Sobre Carlos Almeida

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Carlos Almeida no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online