Judas Priest: Rob Halford comenta Screaming for Vengeance

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 10/09/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Recentemente Toby Cook do The Quietus conversou com o vocalista do JUDAS PRIEST sobre a edição especial de “Screaming for Vengeance”, que comemora os 30 anos do álbum. Veja abaixo os principais trechos da entrevista.

1840 acessosRob Halford: participação especial em nova música do In This Moment5000 acessosMegadeth: Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos

The Quietus: Chegando nesse ponto, após “Point of Entry” que, sem ser desrespeitoso, não foi lá muito bem recebido, quais são as lembranças deixadas pela época de “Screaming for Vengeance”?

Rob Halford: Bem, Acho que é justo dizer que toda vez que escrevemos músicas para um novo álbum, não pensamos muito sobre um “plano de ataque”. E acho que isso é realmente bom, já que como um músico, uma vez que você começa a planejar demais, colocando os planos antes de tudo, isso interfere com o seu modo de compor. É uma pressão desnecessária, além daquela que já está lá quando você começa a ficar famoso, aquela que todos põem em você: Os agentes, a gravadora, os produtores, e se você não tomar cuidado pode acabar afundando com isso. Tudo que me lembro de “Screaming for Vengeance” é que nós todos realmente queríamos voltar para as gravações em Ibiza. Quem não iria querer? Só pensávamos em gravar outro disco, já que estávamos sob contrato e com um prazo de tempo apertado. Foi isso que fizemos.

Rob Halford: O interessante é que você não foi a única pessoa a falar assim do “Point of Entry”, mas é até perigoso falar que um álbum teve mais sucesso que o outro. É isso que faz você humano. Quando você vê todas as bandas de rock ou metal que já estão na estrada há um tempo, há pontos em que um disco teve mais apelo ou vendeu mais que os outros. Você não pode simplesmente apontar o porquê, mas após “Brithish Steel”, que teve bastante sucesso, segui-lo de “Point of Entry”, como fizemos, era o melhor que podíamos fazer naquele momento.

The Quietus: O quanto a fama do JUDAS PRIEST afetou o álbum?

Rob Halford: Há algumas coisas importantes que todas as bandas devem considerar. Quando você está dormindo na traseira de sua van, e todos nós fizemos isso, você obviamente se comporta diferente, como quando fizemos “Rocka Rolla”. Não é o mesmo que estar em um belo estúdio em Ibiza. Assim que as portas se fecham, você pode estar em qualquer lugar do mundo que ainda vai se lembrar quem você é que está tentando fazer novamente o melhor trabalho possível. Não acho que você relaxa quando vira famoso. Se você o faz, é um idiota, já que as pessoas não compram porcarias. Assim que funciona: se você faz péssimos discos eles não têm valor para ninguém, e acho que o PRIEST nunca esteve deste lado da moeda. Sempre fazemos o melhor possível, não importa o que aconteça.

The Quietus: E claro que este também é um álbum que lançou o JUDAS PRIEST na América. O que o “Screaming for Vengeance” tem que os ajudou a fazer sucesso por aqui, mais do que vocês já tinham feito?

Rob Halford: Somente as conexões com as rádios de rock and roll, que ainda são vitais para qualquer banda na América. Não importa quem você é, se você quer estourar nos Estados Unidos, você precisa ter algo que é tocado nas rádios, mesmo em um mundo com Internet. [...]

Para a entrevista completa, em inglês, acesse o site The Quietus no link abaixo.

http://thequietus.com/articles/09964-rob-halford-interview-j...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 10 de setembro de 2012

MastodonMastodon
Dailor sofreu após Hinds dizer que Judas Priest não é metal

1840 acessosRob Halford: participação especial em nova música do In This Moment553 acessosIn This Moment: cover de Phil Collins e dueto com Rob Halford787 acessosJudas Priest: banda lança jogo oficial "Road To Valhalla"555 acessosJudas Priest: álbum clássico "Sin After Sin" completa 40 anos880 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Judas Priest"

Rob HalfordRob Halford
"Não sou a mesma pessoa quando estou no palco!"

Heavy MetalHeavy Metal
Os vinte melhores álbuns da década de 80

BabymetalBabymetal
Painkiller e Breaking the Law com Rob Halford em vídeo

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Judas Priest"0 acessosTodas as matérias sobre "Rob Halford"

MegadethMegadeth
Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos

Hall Of FameHall Of Fame
500 Músicas Que Marcaram o Rock and Roll

AC/DC a ZZ TopAC/DC a ZZ Top
As origens dos nomes de bandas e artistas de rock e heavy metal

5000 acessosRolling Stone: as 10 melhores bandas de Heavy Metal5000 acessosEdu Falaschi: os dez vocalistas brasileiros preferidos dele5000 acessosMotorhead: a gafe nazista de Lemmy em Nuremberg5000 acessosSlayer: Kerry King acha que Black Metal norueguês é uma merda4966 acessosNirvana: Dave Grohl dormiu enquanto assistia documentário5000 acessosRatos de Porão: Jão desmente informação da Veja

Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online