Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba


Stamp

Portnoy: "Não precisa de uma calculadora para se divertir"

Por Fernando Portelada
Fonte: Bravewords
Em 15/10/12

A seguir você pode ler trechos de uma entrevista concedida pelo baterista Mike Portnoy à revista Rolling Stone Índia, enquanto ele estava na estrada com o ADRENALINE MOB.

Rolling Stone: Como é a experiência de começar uma banda totalmente nova pela primeira vez em 25 anos?

Portnoy: "É interessante, porque o ADRENALINE MOB foi a primeira coisa que tive que começar do nada (desde o DREAM THEATER). Eu fiz muitos outros projetos, com o TRANSATLANTIC, LIQUID TENSION EXPERIMENT e OSI, mas em todos estes casos eu podia contar com o público do DREAM THEATER ou meu próprio público para nos acompanhar. O ADRENALINE MOB é um gênero completamente diferente onde nós temos que começar do nada, exceto talvez por um punhado de gente devido o meu nome ou o de Russel (Allen). É excitante e assustador. Há muitas preocupações, muitos ajustes, especialmente para mim e John (Moyer). Ele teve muito sucesso e conforto com o DISTURBED, como eu tive com o DREAM THEATER. Voltar a tocar em bares e dividir o mesmo ônibus com a equipe é algo que John e eu não fazemos há um bom tempo. Mas é em prol do amor por esta banda e esta música. Nós acreditamos nisto. As músicas são fortes, temos muita química. Quando você assistir o show você entende. As pessoas que estão indecisas sobre a banda pelo álbum saem do show felizes. A música não é prog, ela não é complexa, mas eu sinto que somos uma das bandas mais fortes do mundo. De qualquer gênero. Russel Allen é um mosntro. Mike Orlando é um Deus da Guitarra. John Moyer é um dos caras mais badass por aí. Sinto que faço parte de uma excitante nova onda."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Rolling Stone: O seu trabalho com o AVENGED SEVENFOLD teve algo a ver com sua decisão de se juntar a uma banda de Hard Rock/Heavy Metal?

Portnoy: "Absolutamente. Foi minha experiência com eles que me fez perceber o quanto eu estava me divertindo e que eu precisava de um escape neste gênero após o meu tempo com o AVENGED SEVENFOLD chegasse ao fim. Foi muito divertido trabalhar com eles, e nós estávamos em turnê com o STONE SOUR, DISTURBED e HELLYEAH, estávamos envoltos por este tipo de música, que era orientada pelos riffs e pela própria música, e eu sabia que queria explorar este estilo mais a fundo. E isso não é uma mistura louca que não faz sentido para mim. Eu sempre fui um fã de Hard Rock e Metal, eu era o cara que trazia estas coisas ao DREAM THEATER. Eu cresci ouvindo BLACK SABBATH, JUDAS PRIEST, IRON MAIDEN e MOTORHEAD, é que tudo que eu fazia de mais pesado no passado ainda tinha uma raiz progressiva. Agora é sobre uma música que você pode ouvir apreciar. Você não precisa de uma calculadora para se divertir."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Você pode ler a entrevista completa em:
http://rollingstoneindia.com/backstage-with-mike-portnoy/

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

[an error occurred while processing this directive]

Heart: "Barracuda" surgiu a partir de uma insinuação incestuosa

Mike Portnoy e Vinny Appice: assista duelo de bateria

Portnoy: "Não precisa de uma calculadora para se divertir"



Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada.