Morreu Dormindo: as últimas horas de vida de Lemmy Kilmister

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

TODD SINGERMAN, empresário do MOTÖRHEAD nas últimas décadas, discorreu sobre os últimos dias do líder da banda, LEMMY KILMISTER, para o jornalista estadunidense Steve Appleford. O que segue abaixo é a tradução de um pequeno trecho do relato.

[...]

Lemmy queixava-se de dores no peito e foi até um pronto-socorro, e acabou recebendo alta no dia seguinte. Os médicos não constataram nenhuma cardiopatia. Singerman e o resto de seus imediatos decidiram que o músico precisava passar por uma ressonância, 'já que sua fala estava ficando comprometida. Havia preocupação que ele tivesse sofrido um derrame.

'Por que é que ele não está falando muito? Ele estava murmurando muito', diz Singerman. 'Nós os levamos para fazer um raio X e eles disseram, 'ah, meu deus, há manchas por todo o cérebro e pescoço dele'. No sábado, dia 26, o médico foi até a casa de Lemmy, munido com os resultados e disse a todos que ele tinha seis meses de vida.'

Era câncer, e Lemmy reagiu com calma. 'Ele aceitou melhor do que todos nós. A única coisa que ele dissera foi, 'Ah, apenas dois meses, né? ' O médico disse, 'Sim, Lem. Eu não quero te enrolar. É grave, e não há nada que ninguém possa fazer. Eu estaria mentindo se lhe dissesse que há uma chance. ''

Singerman diz ainda que quis manter o diagnóstico em segredo e anunciar somente que Lemmy estava muito doente e que precisava de privacidade. 'Ele disse, 'Não, não. Vá em frente e faça um comunicado aberto. Eu quero que as pessoas saibam que era câncer. Que é péssimo e que elas deveriam saber. Era assim que ele se sentia. '

O plano era divulgar um press release depois de informar aos amigos mais próximos e a família. Enfermeiras foram contratadas para ficarem em seu apartamento se revezando em turnos. Um kit com morfina foi providenciado para aliviar a inevitável dor que viria. Uma máquina de vídeo game que Lemmy amava jogar foi trazida do Rainbow.

Singerman e os outros começaram a ligar para os amigos e parentes. O próprio Lemmy comunicou a seus colegas de banda na noite de domingo, e planos de viagem para visita-lo começaram a ser feitos de imediato.

'O que choca a mim e a todo mundo: ele passou por mil médicos e hospitais ao redor do mundo, mas ninguém detectou isso', diz Singerman. 'Receber a notícia que você tem câncer terminal após todos os hemogramas que ele fez na vida e tudo mais? É muito difícil engolir isso. Não deram chance alguma a ele. Foi na lata: 'Você não tem mais do que seis meses. ''

Um médico visitou o músico no começo do dia da segunda-feira, 28 de dezembro. Ozzy ficou de vir no mesmo dia ou no dia seguinte. Lemmy passou horas no vídeo game, com o dono do Rainbow, Mikael Maglieri, do lado. Lemmy então cochilou e nunca mais acordou.

'Mikael me ligou para dizer, 'meu deus, ele acaba de morrer na minha frente'', conta Singerman.

[...]

Lemmy Kilmister faleceu na segunda-feira, 28 de dezembro, aos 70 anos.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Notícias

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336