Vinnie Vincent: ele estava com receio de se apresentar?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marco Almada, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O lendário baterista Carmine Appice conversou com a WSOU sobre o recente cancelamento dos shows de retorno do ex-guitarrista do Kiss, Vinnie Vincent.

Kiss: Vinnie Vincent relança disco instrumental em edição limitada e com preço salgadoPink Floyd: a história por trás de "Animals"

Os shows, que deveriam acontecer em 8 e 9 de fevereiro em Nashville, foram marcados para apresentar Vincent ao lado de Appice e do baixista Tony Franklin (DAVID GILMOUR, JIMMY PAGE, THE FIRM).
"Algo aconteceu entre Vinnie e o promotor", disse Carmine.

"Eu sei que estava acontecendo alguma coisa. Eu conversei com o Vinnie algumas vezes, ele e o promotor não estavam de acordo em um monte de coisas. Mas eu sempre achei que se o Vinnie estragasse tudo isso não haveria outra chance porque esse é o seu retorno e ele já cancelou anteriormente, então se for cancelado novamente, ninguém vai se importar mais.

As pessoas dirão: 'eu' não vou nem comprar o ingresso, pois ele não vai aparecer, ou algo vai acontecer.

Mas eu estava ansioso por isso, porque eu e Tony Franklin - eu amo tocar com Tony, íamos tocar as músicas do Vinnie, do KISS, e teria sido divertido".

De acordo com Carmine, ele estava um pouco preocupado com a habilidade de Vincent em fazer um bom show depois de assistir a um vídeo do guitarrista tocando três músicas do KISS com FOUR BY FATE em outubro passado na festa pré-Kiss Kruise em Miami, Flórida.

"Vinnie tocou comigo em uma banda antes de entrar pro KISS, chamado CARMINE AND THE ROCKERS, e eu sei que ele é um ótimo guitarrista, um grande compositor e um bom cantor, e é um bom artista de palco", disse Carmine.

"Mas depois que eu vi a filmagem... Vinnie sempre foi como um show à parte, e ele apenas ficou lá. Parecia que estava com medo de mim. Eu perguntei à ele: "Você ainda pode tocar? Pois ficou fora por uns 30 anos" e ele disse: "Sim. Eu tenho tocado em casa. Sim, claro, eu ainda posso tocar." Eu disse: "Tudo bem, eu acredito em você".
Mas eu não sei o que aconteceu. Todas essas outras coisas malucas que aconteceram com os vocalistas e isso e aquilo, e o promotor é muito ruim, porque teria sido divertido."

Robert Fleischman, ex-integrante do JOURNEY e da VINNIE VINCENT INVASION deveria cantar para o Vinnie, mas saiu abruptamente do projeto em novembro, dizendo que estava insatisfeito com os elementos da produção.

Derek Christopher, o promotor de shows, disse que ficou "chocado" com a decisão de Vincent em desfazer os shows duas semanas antes deles estarem programados para acontecer.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Vinnie Vincent"


Kiss: Vinnie Vincent relança disco instrumental em edição limitada e com preço salgadoKiss
Vinnie Vincent relança disco instrumental em edição limitada e com preço salgado

Vinnie Vincent: eterno ex-Kiss anuncia "Natal do Metal" em Nashville

Kiss: Vinnie Vincent confirma 1ª aparição pública em 20 anosKiss
Vinnie Vincent confirma 1ª aparição pública em 20 anos

Vinnie Vincent: ele ganhava US$ 550 por semana no KissVinnie Vincent
Ele ganhava US$ 550 por semana no Kiss


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Black Metal: o lado mais negro da cena brasileiraBlack Metal
O lado mais negro da cena brasileira


Sobre Marco Almada

Iniciou a carreira de músico com apenas 12 anos de idade, tornando-se profissional aos 16 tocando no circuito paulista. Já participou de vários projetos, tocando com o guitarrista Gil Vieira, Markko e Banda, Stone Hawks (onde gravou um CD com composições próprias). Tocou também no grupo solo do guitarrista Márcio Augusto (ex-The Originals) entre outros projetos. Leciona o instrumento desde 1991, com método de ensino didático!!! É o baterista fundador da Rainbow Rising (banda tributo ao Rainbow) que estreiou no Blackmore Rock Bar, na abertura do vocalista Tony Martin (Ex-Black Sabbath). Faz esporadicamente sub com algumas bandas do circuito, e formou em 2013 a In Trance (Brazilian Scorpions Tribute), banda que homenageia uma das mais respeitadas bandas alemãs do mundo!

Mais matérias de Marco Almada no Whiplash.Net.

adGooILQ