Guns N' Roses: Duff McKagan acha que Axl Rose virou um mestre dos vocais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Mohr Stories / Blabbermouth
Enviar correções  |  Ver Acessos

O baixista Duff McKagan falou sobre o atual desempenho vocal de Axl Rose, seu parceiro no Guns N' Roses, em entrevista ao podcast Mohr Stories transcrita pelo Blabbermouth. O músico destacou que o cantor tem mostrado ser um "mestre" em sua função.

Rhythm: os bateristas mais influentes de todos os temposSlayer: é melhor não mexer com a família do Tom Araya...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Tive muito respeito por nós, enquanto banda, durante os pré-ensaios (da turnê 'Not In This Lifetime'). Quando Axl veio ensaiar e fizemos os shows, o que ele fez com a voz dele...", disse, inicialmente.

Em seguida, Duff se recordou da primeira vez que ouviu Axl cantar. "Eu era um garoto punk de Seattle e o ouvi cantar no fim de 1984. Ele tinha a intensidade de Henry Rollins, mas realmente podia cantar. Ele tinha essa coisa de voz dupla, grave e aguda", afirmou.

McKagan pontuou que Rose seguiu se especializando na prática vocal. "Claro, ele nasceu com certos talentos, mas ele trabalha muito. Ele estava fazendo aulas de canto, aquecimentos naquela época. Hoje, quando fazemos shows, ele faz uma hora e meia de aquecimentos vocais puros. Daí, fazemos três, três horas e meia de show. O cara se tornou um mestre", disse.

Durante a mesma entrevista, o baixista também teceu elogios ao guitarrista Slash. "Ele toca guitarra o dia todo. Ele levanta, vai para a academia e depois toca guitarra o tempo todo até o show. Ele até se perde em alguns momentos. Temos um solo dele em algum momento do repertório, só ele no palco, e ele se perde em si mesmo. É a forma mais pura de ele se comunicar. Ele até conversa, mas é um cara de poucas palavras. As palavras dele vêm pela guitarra", afirmou.

Ainda sobre Slash, Duff comentou que, por vezes, o solo de Slash se alonga, mas que nunca pensa em interrompê-lo. "As vezes, ele faz solos de 20, 25 minutos. Apenas deixamos rolar. Ele carrega uma plateia de 50 mil pessoas por toda a sua jornada. Não é apenas um solo de guitarra", disse.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"Todas as matérias sobre "Axl Rose"Todas as matérias sobre "Duff McKagan"


Steven Adler: achava que eu e Slash seríamos como Geddy Lee e Alex LifesonSteven Adler
Achava que eu e Slash seríamos como Geddy Lee e Alex Lifeson

Anos 90: em vídeo, 10 músicas de Rock que marcaram a décadaAnos 90
Em vídeo, 10 músicas de Rock que marcaram a década


Rhythm: os bateristas mais influentes de todos os temposRhythm
Os bateristas mais influentes de todos os tempos

Slayer: é melhor não mexer com a família do Tom Araya...Slayer
é melhor não mexer com a família do Tom Araya...


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGoo336