Deep Purple: queriam Glenn Hughes na banda antes de Roger Glover sair

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Midlands Metalheads Radio/BBM
Enviar Correções  

O vocalista e baixista Glenn Hughes revelou, em entrevista ao Midlands Metalheads Radio transcrita pelo Blabbermouth, que estava sendo sondado para entrar no Deep Purple antes mesmo de Roger Glover sair da banda, em 1973. Hughes acabou ocupando a vaga de Glover e também seria o cantor, substituindo Ian Gillan, mas David Coverdale foi chamado para ser o frontman e dividir as funções com ele.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Inicialmente, Glenn Hughes contou sobre como conheceu o Deep Purple. "Eu os vi no Wolverhampton Civic (casa de shows em Wolverhampton, Inglaterra), pois meu empresário no Trapeze, Tony Perry, estava trabalhando lá. Eu os vi na época do 'Machine Head' (1972) e não tinha ouvido falar deles antes, pois estava morando na América desde o início da década de 1970, então perdi os discos como 'Fireball' (1971)", afirmou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O músico disse que se impressionou com o que viu no palco. "Vi (o guitarrista Ritchie) Blackmore mandando ver e uma banda muito boa, com um grande músico. Foi minha primeira lembrança. Quando estava na estrada na América, só havia ouvido músicas como 'Highway Star', 'Hush' e 'Smoke On The Water'", comentou.

Em seguida, Glenn Hughes revelou o "flerte" do Deep Purple. "Eles ficaram me chamando para entrar na banda por um ano, meio que flertando comigo, todo o tempo entre 1972 e 1973. Queriam me conhecer e eu os conheci individualmente por três vezes. Em abril de 1973, eu estava fazendo um show em Baltimore (EUA) e tive dois dias livres. Eles estavam tocando no Madison Square Garden (em Nova York, EUA) e me chamaram para jantar. Eu os vi tocar e foi incrível. No dia seguinte, estive com Jon Lord (tecladista), Ian Paice (baterista) e Ritchie Blackmore, sem Ian Gillan e Roger Glover", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Embora tenha ficado confuso de início, Glenn Hughes entendeu a situação. "Após meia hora, o advogado e os empresários deles me chamaram para entrar na banda. Só que disseram: 'queremos que você seja o baixista'. Eu pensei: 'o quê... com certeza vocês também gostariam que eu cantasse'. Ritchie disse que queria achar outro vocalista, para ter dois na banda", afirmou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Hughes comentou que tentaram trazer Paul Rodgers (Free, Bad Company) e que, por isso, ele aceitou entrar. "Claro, três dias depois, Paul começou o Bad Company. O que eu iria fazer? Já havia feito amizade com Ian Paice, estava morando na casa dele em Londres. Foi aí que começou. Começamos a receber umas 500 ou 600 fitas de audição, até que um dia, achamos um cara que enviou uma música do Righteous Brothers. Ritchie disse: 'espere, isso aqui não soa como nada que ouvimos antes'. Chamamos David Coverdale, que apareceu com uma garrafa de uísque para tocar conosco. Fizemos as audições e percebemos que a voz dele era mais profunda e ampla, enquanto a minha era mais brilhante, aguda. Tínhamos o mesmo vibrato, muita gente não percebe isso. Amo David e fiquei feliz de ele ter conseguido a vaga, pois merecia", disse.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rockMetromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Creed: nomeada pior banda dos anos 1990 pela Rolling StoneCreed
Nomeada pior banda dos anos 1990 pela Rolling Stone


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Cli336 Goo336 Goo336 Cli336 WhiFin