Além do bem e do mal: um mergulho no universo raulseixista

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Evilásio Júnior, Fonte: Jornal Agora Santa Inês
Enviar correções  |  Ver Acessos

O indivíduo nunca leu uma linha sobre estética, arte, indústria cultural, sobre a abordagem temática do Rock, sobre história, antropologia, filosofia, mas se respalda no direito "achista" de discorrer sobre as letras de Raul Seixas, mais precisamente a música "Eu nasci há 10 mil anos atrás", que está no álbum "Há 10 mil anos atrás", lançado no ano de 1976. Este disco conta ainda com músicas geniais como: Canto para minha morte, Meu amigo Pedro, Eu também vou reclamar, As Minas do Rei Salomão, entre outras.

Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?Metal Alemão: as 10 melhores bandas segundo o About.com

"Raulzito" foi um artista muito à frente de sua época, suas músicas são atemporais, a profundidade de sua produção não pode ser compreendida numa simplória e pobre leitura superficial de uma letra, a obra do "Maluco Beleza" foi feita para ser dissecada, analisada, decodificada... Ele bebeu nas grandes fontes filosóficas e literárias, colocou os conceitos mais complexos da filosofia e da literatura mundial na boca do povo. Toda a obra musical raulseixista é um convite a um mergulho intertextual na grande produção de conhecimento humano.

Raul Seixas pega a mão do ouvinte e o leva para reconstruir as grandes narrativas históricas e míticas. "Eu nasci há 10 mil anos atrás" é um exemplo vivo disso, uma música na qual o eu lírico vai discorrendo sobre os principais acontecimentos da humanidade: A crucificação de Cristo, Idade Média e a caça as bruxas, Moisés e a travessia do Mar Vermelha, Pedro negando Cristo e cumprindo o que disse Jesus, A queda do Império Babilônico, Noé e arca diluviana, o Rei Salomão, Zumbi e o quilombo de Palmares, a ascensão do nazismo. Outros pontos podem ser encontrados na letra de "Eu nasci há 10 mil anos atrás, até o Conde Drácula e Rapunzel foram convidados para fazer parte deste passeio pela história e pela literatura.

A música vai se desenvolvendo numa narrativa não-linear, pois apesar de seguir uma linha histórica dos fatos, os pontos abordados não seguem uma linha cronológica reta, ascendente, de acontecimentos sucessivos, ela traz os fatos, mas sem a preocupação com que eles sigam um percurso em linha reta, linear. O primeiro acontecimento histórico que é posto na música é a Crucificação de Cristo, logo em seguida há um salto para a Idade Média, com as bruxas sendo queimadas para pagarem os seus pecados, posteriormente há uma volta no período bíblico do Velho Testamento e menciona-se Moisés guiando o povo no Êxodo.

Esta obra musical é perpassada por acontecimentos bíblicos, históricos e literários, mas os desavisados tentam manchar a grandiosidade de "Eu Nasci há 10 mil anos atrás" dizendo que a música é o registro de nascimento do diabo, dizendo que a música é satânica, que não é para ser ouvida, pois pode ter uma influência negativa na formação do indivíduo. Desta forma, cria-se uma sociedade que é construída em cima do medo, mistificação do pensamento, da alienação e que não compreende o verdadeiro papel da arte: levar o indivíduo a ser um questionador, pensar por si. Assim como Raul fez com sua música, sua arte transgressora e rebelde.

Para quem tem o pensamento pequeno, vendo demônios e diabo em tudo, por ter uma visão moldada pela fanatização de dogmas humanos, digo: "é melhor ser uma metamorfose ambulante do que ter uma opinião formada sobre tudo", eu aprendi isso há dez mil anos atrás num mergulho no universo polissêmico raulseixista.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Notícias

Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?Guitarristas
Você consegue identificar todos nesta imagem?

Metal Alemão: as 10 melhores bandas segundo o About.comMetal Alemão
As 10 melhores bandas segundo o About.com

Separados no nascimento: Paul Stanley e Ioná MagalhãesSeparados no nascimento
Paul Stanley e Ioná Magalhães

Por pouco: 15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhorRita Lee: Ela participou de suruba com o Yes e furtou a cobra de Alice CooperMegadeth: eles nunca quiseram ser glam, segundo David EllefsonSlipknot: "pastor" detecta mensagens subliminares nas capas

Sobre Evilásio Júnior

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336|adClio336