Deep Purple: Ritchie Blackmore é quem ele é, ninguém pode substituí-lo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruce William
Enviar Correções  

Durante entrevista com a Planet Rock, Roger Glover comentou um momento turbulento pelo qual passou o Deep Purple no final de 1993, quando Ritchie Blackmore decidiu sair da banda após um show na Finlândia.

Deep Purple: Gillan diz que havia saído da banda por estar "comercial" e culpa Blackmore

Slayer: Tom Araya revela seus ídolos do baixo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Fiquei surpreso quando ele anunciou que não ia mais tocar conosco, estávamos no meio de uma turnê e foi muito difícil aceitar aquilo. Decidimos seguir em frente e Joe Satriani foi um substituto temporário, que nos mostrou ser possível existir sem Ritchie, mas eu senti intensamente que não se pode substituir Ritchie. Ele é quem ele é, ninguém pode substituí-lo"

Glover prossegue: "Se você conseguir alguém que toque como ele será uma comparação horrível. Precisávamos de alguém diferente. E pra mim, o Purple era representado por Ritchie e Jon (Lord, tecladista) como instrumentistas, e ambos são virtuosos. Por este motivo precisávamos de alguém também virtuoso. Há milhares de guitarristas que tocam muito, mas poucos se destacam por serem individuais e completamente diferentes. E eu senti que Steve (Morse, atual guitarrista do Deep Purple) é assim. Ele quis saber quando nos conhecemos 'O que você quer de mim?' e eu respondi 'Quero que você seja você mesmo, não poderá ficar na banda caso não seja você mesmo, cem por cento'. E ele perguntou 'Então posso tocar qualquer coisa' e eu disse 'Sim. Qualquer coisa, a gente avisa se quer ou não'".


Goo336x280 GooAdapHor