Matérias Mais Lidas


Baixo: por que tocar o instrumento é mais difícil do que parece, segundo Paul Gilbert

Por Igor Miranda
Postado em 24 de julho de 2021

Há quem pense que é fácil tocar baixo, já que, na maioria das músicas, o instrumento não aparece tanto. Paul Gilbert, guitarrista do Mr. Big que gravou todos os instrumentos de seu novo álbum solo "Werewolves of Portland", tratou de desmentir essa crença popular.

Em entrevista a IgorMiranda.com.br no YouTube (vídeo disponível abaixo), o músico explicou que, a depender da abordagem desejada, tocar baixo não é nada fácil. É preciso ter destreza para encaixar as linhas do instrumento em meio às melodias.

Paul Gilbert - Mais Novidades

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Inicialmente, ele contou que "Werewolves of Portland" foi o primeiro álbum em que ele gravou todos os instrumentos. "Quase fiz isso no meu primeiro álbum solo, 'King of Clubs'. Cheguei a praticar bastante bateria para aquele disco, mas percebi que meu groove não era bom em algumas das músicas mais lentas, então acabei contratando outros bateristas"

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Gilbert reconheceu ser um "baterista mediano", mas conseguiu gravar o instrumento percussivo em "Werewolves of Portland" devido a ferramentas de edição de áudio, como o Pro Tools. "Pecisamos editar um pouco, mas isso acontece até com bateristas profissionais, então não me senti mal sobre isso. Mas a maior parte eu acertei direto", contou.

Sobre a gravação do baixo, Paul comentou: "Acho que o baixo pode ser diferente em diferentes estilos de música. Sou um grande fã de Judas Priest, AC/DC, bandas onde o baixo é simples, mas faz o groove progredir. [...] Porém, se a música fica mais funk ou mais pop, é preciso trabalhar mais nas linhas de baixo".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em determinado momento das gravações, ele não sabia o que tocar no baixo de uma de suas próprias composições. "Eu não sabia o que fazer em algo como um funk, por exemplo. Na música 'Professorship at the Leningrad Conservatory', o começo é uma parte funkeada e eu não sabia como fazer essa parte com o baixo. Por sorte, meu engenheiro de som era muito bom nisso. Ele dizia: 'ouça o bumbo, tente segui-lo e coloque uma nota que funcione', então trabalhávamos dessa forma", declarou.

Quando o baixo não consiste apenas em seguir a guitarra, pode ser algo bem desafiador, de acordo com Paul Gilbert. "Em uma música como 'Argument About Pie', eu não quero somente seguir a guitarra. Se eu só tocar uma nota do acorde e seguir... seria mais ou menos heavy metal, mas eu queria tocar como Paul McCartney. Quando eu tento fazer isso hoje em dia, é difícil, eu cometo erros. Envolve muito mais cérebro, porque é quase como jazz, tocar se acostumando com as mudanças... é muito mais pensamento envolvido", concluiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A entrevista completa com Paul Gilbert pode ser assistida, com legendas em português, no vídeo a seguir.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - WHIP
Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Paul Gilbert: ele foi rejeitado por Ozzy, mas por um bom motivo

Paul Gilbert: os dez discos que mudaram a vida do guitarrista

Paul Gilbert: meu impacto no mundo da guitarra é menor que pensei


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.
Mais matérias de Igor Miranda.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS