Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemMetallica: a explicação da banda para o volume do baixo no And Justice For All

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemLars Ulrich: "Não sou um baterista particularmente talentoso"

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemDave Mustaine diz que perdoa Ellefson, mas nunca mais fará música com o baixista

imagemRevista Veja diz que Rock in Rio virou "túmulo do rock" e explica motivo

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione


In-Edit

Sabaton evita política: "pessoas não conseguem lidar com opiniões diferentes"

Por Emanuel Seagal
Em 06/06/22

Joakim Brodén, vocalista da banda sueca Sabaton, conhecida pelas suas letras inspiradas na guerra, falou em entrevista ao Moshpit Passion sobre a relutância da banda em compartilhar suas opiniões políticas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Somos controversos o suficiente por cantar sobre a história militar. Sempre evitamos qualquer comentário político ou religioso por esse motivo; já somos controversos o suficiente, e também, eu acho que isso é uma declaração em si. Não quero dizer às pessoas o que comer ou em quem votar. Acho importante respeitar as pessoas com opiniões diferentes, mesmo que você pense que essa opinião está completamente errada. É essa falta de respeito de todos os lados que criou essa situação em que estamos agora. Então, nesse sentido, eu não quero me colocar nessa situação e não quero colocar um alvo na banda também. O lance é o seguinte, todos nós na banda pensamos sobre coisas diferentes, mas o que realmente temos em comum é que, bem, vamos concordar em discordar e está tudo bem. Não há problema em ter discussões, tudo bem ficar quase zangado um com o outro, mas isso não significa que vocês devam se odiar; não significa que você tem que dar um soco em outra pessoa", disse o vocalista.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ele acrescentou: "Às vezes as pessoas nos questionam: 'Bem, como você pode cantar sobre isso?' Ficamos, tipo, 'por que não?' 'Como você pôde ir fazer um show em tal lugar por causa desse e daquele governo?' E é, tipo, nenhuma das pessoas que vieram ao nosso show teve qualquer influência nessa decisão."

O músico criticou a incapacidade das pessoas aceitarem opiniões diferentes e a necessidade de concordar com tudo. "Fomos ensinados que todos devemos viver em um mundo dourado onde todos concordamos, onde tudo é preto e branco, ruim e mau. Sabe de uma coisa? As melhores pessoas da história, alguns dos maiores heróis fizeram coisas muito ruins, e onde está o bom? Onde está o mau? E a única maneira de julgar isso… se você tem alguém com quem você discorda, okay, você tem uma discordância enorme com essa pessoa, mas aquela pessoa tem muitas qualidades. Então uma coisa deve destruir a outra? Acredito que as pessoas se tornaram fracas, elas não conseguem lidar com pessoas com opiniões diferentes. Todo mundo tem que concordar o tempo inteiro (risos). Ah, e todos tem direito a compartilhar minha opinião (risos)", concluiu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Assista o bate-papo completo clicando no player abaixo.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Heavy Sword: O Power Metal morreu? (vídeo)

Crypta e Sabaton no episódio 36 do podcast Papo Metal

Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com Iron Maiden e Black Sabbath até chegar ao metal extremo e se apaixonar pelo doom metal. Considera Empyrium e X Japan as melhores bandas do mundo, Foi um dos coordenadores do finado SkyHell Webzine, escreveu para outros veículos no Brasil e exterior, e sempre esteve envolvido com metal, seja com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa. Escreve para o Whiplash! desde 2005 mas ainda não entendeu a birra dos leitores com as notícias do Metallica. @emanuel_seagal no Instagram.

Mais informações sobre

Mais matérias de Emanuel Seagal.