Matérias Mais Lidas

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemO arrependimento que David Bowie carregava em relação a Elvis Presley

imagemTestament está confirmado na edição brasileira do Summer Breeze, segundo jornalista

imagemRick Wakeman relembra época em que o Yes abria show para o Black Sabbath

imagemA dura bronca dos Titãs em Nando Reis durante gravação de "Titanomaquia"

imagemRolling Stones: Keith Richards compara tocar com Brian Jones, Mick Taylor e Ron Wood

imagemShow do Dream Theater em São Paulo não será mais realizado no Pavilhão Pacaembu

imagem4 hits do Deep Purple cujos riffs Ritchie Blackmore já confessou ter copiado

imagemA reação de Stevie Ray Vaughan ao ouvir Jimi Hendrix pela primeira vez

imagemRob Trujillo presta tributo ao Rage Against The Machine após shows em Nova Iorque

imagemThin Lizzy e o álbum picareta de covers do Deep Purple que garantiu sua sobrevivência

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemPor que o processo de composição da Legião Urbana e Engenheiros era tão diferente?

imagemCinquenta grandes músicas lançadas por bandas de rock e heavy metal em 2022


Entrevista: Bumblefoot fala sobre shows do Sons of Apollo no Brasil e poder da música

Por Igor Miranda
Em 02/08/22

A pandemia nos tirou, entre muitas outras coisas, o Sons of Apollo. A banda viria ao Brasil em abril de 2020, mas no mês anterior a pandemia obrigou todos os artistas do mundo inteiro a cancelarem seus planos. Adiamentos sucessivos nos trouxeram até agosto de 2022, quando a tour, de fato, acontecerá.

O supergrupo que une elementos de hard rock, heavy metal e progressivo fará quatro apresentações em território brasileiro.

09/08 – Ópera de Arame, Curitiba (PR)
11/08 – Circo Voador, Rio de Janeiro (RJ)
13/08 – Tokio Marine Hall, São Paulo (SP)
14/08 – Toinha Brasil Show, Brasília (DF)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Serão apresentações únicas, inclusive por um motivo peculiar: o baixista Billy Sheehan (Mr. Big, Talas, David Lee Roth) não poderá vir por, segundo a produtora Top Link Music, "restrições de viagem". A crença do músico na cientologia fez com que muitos rumores sobre ele supostamente não ter se vacinado contra a Covid-19 fossem divulgados. O próprio Sheehan colocou lenha na fogueira ao dar a entender, em comentários nas redes, que só é contrário ao imunizante do novo coronavírus, não a outras injeções.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Felipe Andreoli substituirá Billy Sheehan em tour sul-americana do Sons Of Apollo

Derek Sherinian reclama dos "regulamentos e loucuras" que tiraram Billy Sheehan de turnê

Controvérsias à parte, Felipe Andreoli (Angra) ocupará a vaga de Billy. O restante da banda é composto por Jeff Scott Soto (Yngwie Malmsteen, Journey, Talisman etc) nos vocais, Ron "Bumblefoot" Thal (Guns N’ Roses, Asia etc) na guitarra, Mike Portnoy (Dream Theater, The Winery Dogs, Neal Morse Band etc) na bateria e Derek Sherinian (Dream Theater, Black Country Communion, Alice Cooper, Kiss etc) nos teclados. Um supergrupo por direito.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em entrevista exclusiva ao Whiplash.Net – conduzida antes do anúncio de que Billy Sheehan seria substituído por Felipe Andreoli na turnê –, Bumblefoot não escondeu sua empolgação pelo retorno aos palcos. Serão os primeiros shows do Sons of Apollo desde março de 2020. A banda mal teve a oportunidade de promover seu segundo álbum, "MMXX", quando a pandemia os parou.

"Espero que os fãs sejam incríveis, que as multidões sejam incríveis. Espero ter a chance de ver meus amigos lá que raramente vejo. A única diferença desta vez é que temos que ter muito cuidado para não pegar nada e não poder fazer o próximo show, coisas assim. Antes da pandemia, se alguém ficava doente, o show continuava; estamos tossindo, vomitando, seja lá o que for, mas ainda fazemos o show. Agora é tipo, ‘oh, você não pode entrar no país’, então teremos que ser mais cuidadosos e manter distância. É uma m#rda, mas temos que fazer isso, para o benefício de todos", afirmou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Perguntado sobre o que os fãs podem esperar do repertório, Thal aponta que certamente rolarão músicas dos dois primeiros álbuns, mas o tradicional cover posicionado no bis pode acabar não rolando. Nas apresentações de 2020, eles tocavam "Perfect Strangers", do Deep Purple, mudando de instrumentos: Ron cantava, Jeff ia para a bateria, Billy operava os teclados, Mike tocava o baixo e Derek empunhava a guitarra.

"Definitivamente, músicas do primeiro e segundo álbuns. Vamos tocar covers? Não sei. Não tenho certeza se vamos ou não, acho que veremos. Vamos votar. Pessoalmente, não quero cantar ‘Perfect Strangers’, prefiro cantar Iron Maiden. E eu disse isso desde o início! Eu disse: ‘olha, se você quer que eu cante alguma coisa, deixe-me cantar Maiden!’", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quis saber qual música da Donzela de Ferro o guitarrista gostaria de interpretar nos vocais. Ele me devolve a pergunta: "qual devemos tocar?" Dada a atmosfera prog da banda, sugeri que pegassem algo do álbum "Brave New World" (2000) ou além. O guitarrista não aprovou, infelizmente.

"Não pode ser muito progressivo porque todo mundo está em instrumentos diferentes que usualmente não tocamos. É o Derek na minha guitarra, então se for muito difícil de tocar... Jeff está na bateria, então é... Eu sempre digo ao Mike, é tipo ‘por favor, não faça isso’. Mas ele adora fazer isso, ele adora", disse o simpático músico.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Atividades na pandemia

Ainda que trancado em casa, Bumblefoot não deixou de trabalhar durante a pandemia. Ele afirma ter passado a maior parte dos anos de 2020 e 2021 em seu home studio "compondo, gravando, mixando álbuns de outros artistas, dando aulas e produzindo muitas bandas". Chegou a citar um grupo israelense que produziu: The Dodies, com quem trabalhou na Irlanda.

"Em 2020 também fiz shows com David Ellefson. Tocamos juntos e fizemos um monte de coisas para aquele álbum de covers, ‘No Cover’. Foi legal. Mas, na maioria das vezes, passei o tempo aqui, apenas fazendo as coisas que amo: ensinando o que posso e fazendo música e solos", contou ele, antes de tocar um solo que entrará em um projeto não especificado de Carmine Appice, lendário baterista.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Brasil e mercados alternativos

A agenda de Ron "Bumblefoot" Thal costuma ter compromissos em locais pouco prováveis para um artista americano de música pesada conhecido mundialmente. Além de passagens diversas pelo Brasil – seja com o Guns N’ Roses ou sozinho –, o guitarrista realizou turnês recentes por China, África do Sul, Indonésia e Coreia do Sul, entre outros mercados considerados "alternativos".

O músico garante não enxergar diferença entre os públicos. No fim das contas, todos amam som pesado de forma incondicional, independentemente de onde estão.

"Vou para o Bahrein e sabe o que você vê lá? Um bando de garotos de cabelos compridos com camisas do Metallica tocando Iron Maiden ou com camisetas do Iron Maiden tocando Metallica. Na Albânia ou qualquer outro país é a mesma coisa. Não há diferença além de geografia e cultura – o que parece muito. Todo mundo é igual quando se trata de música, de rock e da paixão por isso. Quanto mais eu viajava, mais percebia a semelhança. Trabalhei muito com o Estado de Bahrein, com o governo, diferentes embaixadas me chamavam para fazer esses programas e eles realmente diziam: ‘a música faz o que a política não pode, a música une as pessoas’. E é verdade. Fui para a Bielorrússia em 2014 e os melhores músicos tocavam, estávamos tocando AC/DC, covers de Ghost, todo tipo de coisa. Era como tocar em casa. [...] A política divide, a música une", declarou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quanto ao Brasil, as lembranças de Bumblefoot são mais "extrapalco", especialmente por causa de nossa elogiada culinária. Mas ele faz um elogio especial a um músico com quem trabalhou por aqui. "Marcelo Barbosa (guitarrista do Angra) me trouxe para workshops, fiz turnês em escolas e tocamos juntos... amo esse cara, tão maravilhoso e um guitarrista incrível, ele é o melhor. Há tantos amigos maravilhosos e tantos bons momentos. Os shows em si são os que eu menos lembro. Eu mal me lembro dos shows em si. Lembro-me de todo o resto, tipo, sair com as pessoas, conversar e comer. Especialmente comer. Sempre digo que se você vai fazer sua última refeição na vida, deve ser churrasco brasileiro", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"MMXX" e terceiro álbum

Poder perguntar a um músico sobre um álbum que ele lançou dois anos e meio atrás é um privilégio. As impressões estão bem mais sólidas e as opiniões podem ser discutidas de forma bem mais aprofundada.

Como "MMXX" foi lançado no início de 2020 e o bate-papo com Bumblefoot ocorreu na metade de 2022, deu para notar que o guitarrista estava com uma visão bem diferente de seu próprio trabalho após tanto tempo. Curiosamente, ele admitiu que se a entrevista rolasse na época em que o disco saiu, poderia ouvir dele que sua satisfação com o material não era das maiores.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Acho que gosto mais de ‘MMXX’ agora do que quando o lançamos. Na época, senti que havia muito bolo e nada de glacê. Não me tocou tanto. Com o tempo, meu próprio álbum cresceu em mim, gosto mais agora. Acho que talvez eu estivesse muito próximo de passar tempo demais nele, porque desta vez tivemos tempo para nutri-lo e continuar refazendo ou mudando", disse.

A situação foi diferente com o primeiro álbum do projeto, "Psychotic Symphony", de 2017. "Com o primeiro, estávamos compondo no estúdio e gravando como criamos. Não dava para voltar atrás. E há algo nisso, uma espontaneidade que não dá para tirar. É o que é, para o melhor ou para o pior. É sua identidade. No segundo álbum, tivemos mais tempo para ‘lutar’ com ele. E isso pode tê-lo feito melhor. Acabou sendo o que deveria ser. E talvez eu estivesse um pouco cansado na época em que estava sendo lançado, mas agora eu realmente aprecio os dois álbuns como uma coleção de músicas e estou ansioso para tocar músicas de ambos para todos", declarou.

Será que vem um terceiro álbum do Sons of Apollo por aí? "Eu adoraria", disse o guitarrista, que acabou elaborando sobre outros assuntos após dizer isso. "Acho que durante a pandemia, houve esse presente inesperado de tempo em que todos nós fazemos as coisas que não podíamos fazer. Para mim, eu tenho que voltar a fazer muito mais mixagem e produção e tudo isso... e solos como convidado e dar aulas, o que amo fazer", completou.

Ele se mostrou mais empolgado ao falar sobre seu próximo trabalho solo. "Estou trabalhando no meu próprio álbum, outro álbum instrumental. Eu não faço um álbum instrumental completo desde 1995, então estou bem atrasado. E eu tenho trabalhado nisso enquanto estou fazendo todo o resto, colaborando com as pessoas e fazendo todo tipo de outras coisas. Espero que ano que vem eu tenha um álbum para lançar, de minha própria música", concluiu.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Sons of Apollo une carisma e técnica em show no Rio com direito a piada de Mike Portnoy

Lutador Wanderlei Silva curte noite curitibana com Angra e Sons of Apollo

Músicos do Sons Of Apollo batem um rango com lendário lutador brasileiro de MMA

Entrevista: Bumblefoot fala sobre shows do Sons of Apollo no Brasil e poder da música

Mike Portnoy celebra 28 anos de casamento; "Nem sempre é fácil, mas sempre vale a pena!"

Derek Sherinian reclama dos "regulamentos e loucuras" que tiraram Billy Sheehan de turnê

Felipe Andreoli substituirá Billy Sheehan em tour sul-americana do Sons Of Apollo

Jeff Scott Soto lamenta a perda de seu pai, Joe V. Soto

Os dois conselhos de Portnoy para Scott Soto para cantar certo "Comfortably Numb"

Scott Soto diz que ama ver brasileiros com sucesso lá fora e cita caso que sente orgulho

Sons Of Apollo: Mike Portnoy convida fãs para shows na América Latina

Antes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

Mike Portnoy se diz chocado com a morte de Alan White, baterista do Yes

Sons Of Apollo: fã reclama que Portnoy só toca covers e ele responde

Sons Of Apollo: Jeff Scott Soto nunca foi grande fã de Dream Theater

Mike Portnoy: na bateria, filho tem habilidades além das que ele possui

Gibson: os 50 melhores covers da história do rock

Nirvana: Dave Grohl comenta sobre o funeral de Kurt Cobain


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.