Matérias Mais Lidas

imagemTitãs: traído, o baterista destruiu o quarto; Paulo Ricardo viu na TV a traição

imagemPaulo Ricardo e a loucura em hotel nos anos 1980: "Eu já tinha perdido o pudor!"

imagemCinco discos de heavy metal para ouvir sem pular nenhuma faixa

imagemO maior álbum de todos os tempos, na opinião do saudoso Ronnie James Dio

imagemMetallica: se você achou caro o pacote do Titãs, fuja dos preços da turnê de Hetfield & Cia

imagemWandinha, da Netflix, resgata banda icônica do Rock em canção com letra sacana

imagemO curioso ritual do Fleetwood Mac antes de subir ao palco, revelado por Christine McVie

imagemGene Simmons relembra como passagem pelo Brasil levantou o Kiss em 1983

imagemMarko Hietala anuncia retorno ao mundo da música e fãs pedem volta ao Nightwish

imagemPor que Bono é odiado por muitos mas sobrevive a tanto hate? Regis Tadeu analisa

imagemMatt Sorum: ex-baterista do Guns N' Roses conta porque não deseja voltar à banda

imagemBandas de rock que lançaram poucos discos, mas continuam fazendo muito sucesso

imagemCinco músicos que nunca voltarão para as bandas que os consagraram

imagemIggor Cavalera diz que o metal às vezes é muito conservador

imagemKiko Zambianchi foi proibido de ir no Silvio Santos após apresentador errar seu nome


Stamp
Summer Breeze

Maneskin e o grande temor que Gastão Moreira tem em relação à banda

Por Bruce William
Postado em 25 de setembro de 2022

Em um vídeo publicado no seu canal do youtube, o Kazagastão, o jornalista e comentarista musical Gastão Moreira faz uma análise sincera da carreira do Maneskin, banda italiana que inclusive se apresentou na edição de 2022 do Rock in Rio.

Gastão começa o vídeo já deixando claro, logo de cara: "Eu gosto do Maneskin. Com algumas ressalvas, eu vou falar sobre isso". Ele então faz uma pequena retrospectiva sobre a banda, e depois aponta o que ele gosta no Maneskin: "O visual, aquela coisa meio andrógina, meio sensual, eles parecem ter um compromisso com a diversão no palco", diz Gastão.

Em seguida, Gastão comenta o que ele julga como os pontos positivos da banda, dentre eles o fato de improvisarem ao vivo sem se preocupar em reproduzir nota por nota as músicas - "Eles estão interessados em passar o que o Rock tem de melhor, que é você se divertir, (há) uma certa sensação de liberdade ali", e também os pontos negativos - visual não correspondendo ao som em algumas situações, melodias que Gastão acha estranho e outras coisas.

Até que, mais ao final, Gastão diz: "É uma banda que ainda tem muito para evoluir, o que eu acho muito legal, eles representam bem o Rock italiano, eles são jovens, são competentes, todos ali tocam bem", e em seguida ele revela o principal medo que ele tem em relação à banda: "O que eu espero é que a banda não caia na tentação do mercado pop e termine dissolvendo, diluindo seu som e se torne um pop anódino e inofensivo como essas bandas que a gente fala - sem querer ofender ninguém - mas tipo Maroon 5, Imagine Dragons, acho que essas bandas são ideais para um público que não se importa muito com música, não é muito fã de Rock, gosta de ouvir uma música 'agradável', seja lá o que for - o que não é o nosso caso" diz, enquanto abre um largo sorriso.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp