Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da Spinner

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Mauro Soares, Fonte: Spinner.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Algumas bandas lotam arenas e vendem milhões de discos, mas nem por isso estão livres de serem odiadas. O Site Spinner.com elegeu em novembro de 2011 os 10 artistas que, apesar de admirados, por algum motivo despertam a ira de muita gente. Veja abaixo alguns nomes citados e as razões. Para ver a lista completa, acesse o site da Spinner.com.

5000 acessosAs histórias por trás de 11 capas clássicas5000 acessosOzzy Osbourne: "O Rio de Janeiro é uma porra duma merda!"

Nickelback:

Nenhum grupo anda despertando tanta repulsa na cena musical. Depois de uma petição online de torcedores de um time de futebol pedindo que eles não se apresentassem no intervalo dos jogos, foi criado um aplicativo que remove todas as menções ao grupo em sites na internet. A banda está levando tudo na esportiva, e até gravou um vídeo simulando um encontro com o empresário para achar uma maneira de agradar os torcedores do time de Detroit.

Coldplay:

Já vendeu mais de 50 milhões de discos, tem uma série de imitadores como o Snowpatrol, mas o bom mocismo do vocalista Chris Martin chega a ser irritante. Pai de família exemplar, vegetariano e praticante de ioga, Martin é defensor do comércio justo entre as nações e militante da ONG Oxfam Make Trade Fair. Para piorar, um estudo experimental recente indica que fãs do grupo tem menos propensão de fazer sexo no primeiro encontro. Nada animador não?

Creed:

A banda foi responsável por manter o som pós-grunge nas paradas quando o hip-hop tomava conta. Mas o discurso “não somos uma banda religiosa” começou a incomodar quando os clips foram inundados por imagens religiosas. Os vícios do vocalista Scott Stapp começaram a atrapalhar a performance da banda, que foi processada pelos próprios fãs por que os shows estavam muito ruins.

The Eagles:

Compôs o grande hit “Hotel California”, que é conhecido em todo o mundo e já ganhou versão até do ícone da jovem guarda Ovelha, transformado na pérola “Morar com Você na California”, mas chegou ao extremo da ganância ao estipular o valor dos ingressos de seus shows “no limite do que o mercado suporta” e cobra cerca de 1000 libras dos fãs que desejam cantar a música com o grupo.

Insane Clown Posse:

As vendagens de CDS são modestas comparadas a outros nomes do hip hop, mas o grupo criou algo muito maior: sua própria sociedade. Um exército de fãs com a cara pintada de palhaço, conhecidos como “juggalos”, anualmente fazem uma verdadeira peregrinação rumo a um acampamento no centro-oeste dos EUA, onde eles consomem drogas, cometem assassinatos e assistem luta livre. Recentemente, o grupo foi considerado uma ameaça pelo FBI, por apresentar comportamento de gangue. Eles preferem ser chamados de “família”. Mas essa não é o mesmo termo que a máfia gosta de ser chamada?

Limp Bizkit:

Para o bem ou para o mal, é responsável pela popularização do rap-metal. O vocalista Fred Durst e seu indefectível boné vermelho espalharam uma verdadeira onda de ódio pelo mundo, com seus 50 milhões de discos vendidos. No Woodstock de 99, foram considerados responsáveis por uma onda de estupros, assaltos, incêndio e caos geral, que deixou o festival literalmente pegando fogo. No festival Big Day Out de 2001, uma jovem de 15 anos foi esmagada durante o show do grupo. Durst já se envolveu em várias polêmicas, chamando os fãs do SLIPKNOT de “típicos garotos gordos e feios” e certa vez disse sobre Trent Reznor, vocalista do NINE INCH NAILS, em um show: “Alguém aqui duvida que ele deveria chupar meu pau?”

Metallica:

Os pais do thrash metal chegaram a um patamar nunca alcançado por uma banda de heavy metal e se tornaram um grande nome da indústria pop. Mas uma série de fatores desgastaram a imagem da banda ao longo dos anos: a briga com o Napster devido aos downloads ilegais, o documentário “Some Kind of Monster” onde o grupo expôs suas fragilidades e lavou a roupa suja de anos na frente de todos promovendo um verdadeiro chororô com Dave Mustaine. Recentemente, a parceria “agua e óleo” do grupo com Lou Reed não foi bem recebida pelos fãs, mas o grupo insiste em dizer que foi algo incrível.

E você, concorda? Qual artista desperta seus instintos mais primitivos?

Os responsáveis são citados no texto. Não culpe os editores. :-)

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 28 de novembro de 2011
Post de 09 de abril de 2015
Post de 20 de maio de 2017

0 acessosTodas as matérias da seção Maiores e Melhores

CuriosidadesCuriosidades
As histórias por trás de 11 capas clássicas

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
"O Rio de Janeiro é uma porra duma merda!"

RockRock
As dez lendas mais macabras do gênero

5000 acessosGuns N' Roses - Perguntas e Respostas5000 acessosDavid Bowie: muito mais assustador que Michael Jackson5000 acessosShaman: baixista desabafa sobre cena brasileira2870 acessosMetallica: as dez melhores músicas dos anos noventa5000 acessosFaixas Instrumentais: VH1 elege as 20 melhores do Hard e Metal2415 acessosHeavy Metal: as dez maiores bandas britânicas

Sobre Mauro Soares

Mauro Soares é de Goiânia, formado em Publicidade e Propaganda, fã de (boa) música, filmes e seriados. Twitter: @mauro_s_lima .

Mais matérias de Mauro Soares no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online