Matérias Mais Lidas

imagemCinco músicos que nunca voltarão para as bandas que os consagraram

imagemO único megahit do RPM que Paulo Ricardo não toca mais no show por justo motivo

imagemMetallica anuncia novo álbum, "72 Seasons", nova turnê e libera uma música nova

imagemLed Zeppelin e a fala que Robert Plant tem vergonha mas não tem como apagar da história

imagemO motivo pelo qual Steven Tyler disse que "daria na cara" de Elvis Presley

imagemMetallica anuncia turnê mundial com Pantera, Architects, Five Finger Death Punch e outros

imagemBilly Sheehan diz que Mr. Big encontrou um novo baterista

imagemOzzy Osbourne: a chocante e nojenta cena mostrada no filme do Motley Crue

imagemA importância de James Hetfield ter desabafado sobre saúde mental em show no Brasil

imagemDeep Purple: Ian Gillan lamenta morte de esposa, com quem estava casado há 38 anos

imagemJoe Bonamassa: "Jimmy Page tem a sonoridade mais difícil de copiar"

imagemO motivo pelo qual Erasmo Carlos recusou gravar música de Serguei nos anos 60

imagemDavid Gilmour pilota o próprio avião para ir tocar em disco de Donovan

imagemA lenda de que Blackmore contratou seguranças para impedir Graham Bonnet de cortar o cabelo

imagemMetallica: camiseta exclusiva estará disponível por apenas 72 horas


Summer Breeze
Samael Hypocrisy

Ultimate Classic Rock: os dez melhores álbuns do Rush

Por Samuel Coutinho
Fonte: ultimateclassicrock.com
Postado em 31 de julho de 2011

Para comemorar os 58 anos do baixista Geddy Lee em 29 de julho de 2011, o site Ultimateclassicrock.com, analisou alguns dos melhores trabalhos da banda. Com 18 álbuns na carreira, até então, para escolher os "melhores", um tema muito debatido entre os fãs do trio canadense.

10. "Snakes And Arrows" - 2007

O impacto inicial do álbum anterior, "Vapor Trails" sofreu devido a problemas de qualidade de som, mas se você comparar "Test For Echo" e "Snakes And Arrows, dará empate. No final, a emoção contínua de "Snakes And Arrows" vence. O primeiro single "Far Cry" trás uma confiança, que sem dúvida, fez o Rush voltar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

9. "Roll The Bones" - 1991

O álbum lançado nos anos 90, mostra a banda deixando os teclados mais recuados em relação a guitarra de Alex Lifeson, tendo um merecido destaque. A faixa-título, com letras faladas, lembrando um rap, foi um tanto controverso para o gênero, e pouco esperado em um album do Rush. Após passar por fases e estilos ao longo dos anos 80, "Roll The Bones", manteve os veteranos do Canadá em terra firme, com um álbum geralmente bem recebido pelos fãs.

8. "Permanent Waves" - 1980

Em "Permanent Waves", a banda começa a abandonar seu som mais seco, deslizando para um quadro mais rádio e amigável de composições. "The Spirit of Radio" aparentemente é um tapinha nas costas em comemoração ao programa de rádio de Toronto, com o mesmo nome. O baterista Neil Peart, explica que existe um sentimento dentro da canção, mas também lamenta os métodos de programação estereotipadas e sem alma que começaram a rondar a rádio, que já foi bem apreciada pelos ouvintes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

7. "Signals" - 1982

Continuando a experimentar a evolução do som dos teclados-pesados que a banda adotou durante os anos 80. Uma das melhores faixas do álbum, "Subdivisions", começou com Neil Peart fazendo os primeiros arranjos na estrada durante a tour do "Moving Pictures".

6. "A Farewell To Kings" - 1977

O quinto álbum de estúdio do Rush, marca "Closer To The Heart" como a primeira canção escrita por alguém de fora da banda, e também considerada um hit no Reino Unido, sendo uma das favoritas entre os fãs. Presente em quase todos os setlists em turnês, com apenas algumas exceções.

5. "Hemispheres" - 1978

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Continuando a história, que começou em "A Farewell To Kings", o Rush dedicou todo o lado A de "Hemispheres" para a segunda parte do "Cygnus X-1. Book I", como parte inicial da história em 10 minutos. "Cygnus X-1. Book II Hemispheres", conta com 18 minutos de duração, enriquecendo o seu enredo místico. A faixa épica provavelmente não é o melhor ponto de partida para apresentar um álbum do Rush a um amigo. Mas se o assuto é o talento musical da banda, "The Trees" contribui, como uma bela e rápida canção.

4. "Rush" - 1974

Ouvir o vocal agudo de Geddy Lee em faixas como "Finding My Way", podem gerar algumas contradições entre alguns fãs da banda, que acham que os vocais de Lee são agressivos demais para os seus ouvidos. Mas a partir da estréia do Rush em 1974, a banda já mostrava um som excessivamente polido que eles desenvolveram em 40 anos como uma banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

3. "Fly By Night" - 1975

O segundo álbum do Rush conta com a estréia de Neil Peart, como novo baterista da banda e letrista principal. Além de Peart, houve uma outra mudança, na maneira de tocar, dando uma direção mais clara ao Rush, que já se mostrava pronto para os desafios que estavam por vir. Badaladas como "By-Tor And The Snow Dog" foi intensionalmente colocada no primeiro lado do disco, pois no vinil, os sinos no final foram prensados nos sulcos após a marca final do lado um. Em toca-discos antigos, até que o braço fosse fisicamente levantado do vinil, os sinos continuariam tocando. Na versão do ‘Archives’, a música é 28 segundos mais longa, já que sinos adicionais foram incluídos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

2. "2112" - 1976

Um dos destaques da turnê de "Test For Echo", foi a execução completa da faixa-título "2112", do quarto álbum do Rush. Muitas vezes erroneamente identificado como um álbum conceitual, porque a faixa-título, dividida em sete partes, nasceu do fracasso comercial do álbum anterior da banda, "Caress of Steel" de 1975. O famoso personagem "Starman" faz sua primeira aparição na contra-capa de "2112".

1. "Moving Pictures" - 1981

"Moving Pictures" é, obviamente, um dos melhores álbuns do Rush, contendo hits como a inegável "Tom Sawyer". O clássico é certamente uma das melhores aberturas que um grande álbum pode ter. Geddy Lee nos proporciona uma bela entrada, com seus vocais. Quem teve a chance de ver a banda tocar o "Moving Pictures" na íntegra, durante a "Time Machine Tour", teve a sensação de que cada centavo valeu a pena ser pago.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Agradecimentos: Yan Vaz

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Jeff Jones, baixista original do Rush, relembra formação da banda em 1968

Chad Smith relembra como foi conhecer Neil Peart: "Ele era muito engraçado"

Chad Smith relembra a reação de Neil Peart ao vê-lo tocar pela primeira vez

Jeff Jones, baixista original do Rush, relembra sua saída e entrada de Geddy Lee

Metallica: Lars Ulrich relembra a única vez que conversou com Neil Peart

Chad Smith relembra o primeiro (e o último) show do Rush que assistiu

Para Jeff Jones, baixista do Rush antes de Geddy Lee, "Comigo o Rush não teria sido Rush"

Jason Bonham responde se encararia um dia tocar com o Rush

NBA & Rock and Roll: uma banda de cada cidade das franquias

Les Claypool comenta álbuns do Yes, Rush e Peter Gabriel que mudaram sua vida

Rush: O baterista que ensinou Neil Peart a "dançar na bateria"

Geddy Lee apoia a Ucrânia e divulga vídeo em prol de campanha

Geddy Lee revela qual era o maior motivo de discussão no Rush

Como a música "Limelight" explica a personalidade de Neil Peart, falecido baterista do Rush

A música do Rush que a própria banda considerava "uma das piores"

Neil Peart: O presente é um presente

Rush: o álbum que deu uma guinada na trajetória da banda

Vícios: As 10 melhores músicas sobre drogas

Metallica: por que 9 entre 10 fãs odeiam "Load" e "Reload"?

AC/DC: A origem do nome da banda


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho.