Madness Factory: a força do metal paraibano

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá, Fonte: Metal Media, Press-Release
Enviar correções  |  Ver Acessos

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

Banda paraibana que tem um som bem diversificado, com uma mescla bem interessante entre thrash metal, crossover, stoner hard e até classic rock, o MADNESS FACTORY acaba de lançar o ótimo "Follow the Madness". O baterista Jorge Augusto nos conta um pouco sobre o novo álbum, bem como os planos da banda para o futuro. Confiram:

Cachorros: As raças que melhor combinam com cada gêneroKiss x Secos & Molhados: o fim da polêmica

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

1. Falem-nos um pouco da recepção do álbum 'Follow The Madness'. Vocês estão satisfeitos?

Jorge: Inicialmente agradecemos pela oportunidade da entrevista! A recepção do disco tem nos dado ótimas resenhas nos meios especializados, além do respaldo dado pelos compradores do mesmo! Estamos plenamente satisfeitos com os resultados até agora conquistados e esperamos ir além!

2. Como é o processo de composição do grupo? Existe algum ritual seguido?

Jorge: Não existe um ritual específico, um dos integrantes chega com a parte estrutural de uma música de acordo com sua inspiração, dai todos analisam, aparam algumas arestas, modificam algumas coisas e então pomos em prática! Temos músicas compostas do zero dentro do estúdio, como as mais antigas e temos composições que partiram de ideias feitas no Guitar Pro!

3. Um dos destaques de 'Follow The Madness' é a parte lírica. Como são criadas as letras?

Jorge: Nesse disco o compositor master das letras fora nosso antigo guitarrista Diego Nóbrega que as fez de acordo com seus sentimentos, colocando-as no papel. Todos na banda acharam legal a forma dele compor, parecia uma poesia divertida, satírica, cheio de ambiguidade e subjetividade. A faixa "Le Monde Bizarre" foi composta pelo baixista e vocalista Fillipe Alves e segue na mesma "vibe".

4. Metal em português ou em inglês?

Jorge: Achamos que a música em geral não tem língua oficial... Falando especificamente do metal o importante é o que a música passa, independente que essa mensagem seja em inglês ou português, a diferença em você fazer letras em sua língua será o cuidado que você terá para não falar besteiras, cometer alguns erros e escrever palavras que se encaixem perfeitamente com a dinâmica da música, acaba sendo até mais criterioso.

5. Contem-nos um pouco da cena nordestina. Vocês acham que ela é desvalorizada mesmo com a enorme quantidade de bandas de alta qualidade?

Jorge: A cena do Nordeste é forte e rica, vale a pena passar algum tempo na caça de materiais de bandas dessa região! Não creio que a palavra certa seja desvalorização e sim estagnação, nossa cena ultimamente é carente em movimentação de bandas e circuitos por cidades vizinhas. Nossa sensação é que falta uma centelha que faça fervilhar esse negócio todo! Usando nosso lado otimista (risos), esperamos que isso aconteça!

6. O álbum foi lançado em formato físico. O que vocês pensam sobre o material virtual?

Jorge: Pensamos que é mais uma forma de se adquirir e divulgar materiais de bandas! Não temos preconceitos sobre a forma de lançamento, o importante é produzir e lançar! Os mais saudosistas preferirão adquirir o material físico (CD, LP, entre outros) e os não saudosistas poderão adquirir virtualmente, ou seja, tem para todos os gostos!

7. Contem sobre os planos do Madness Factory.

Jorge: Bem, no momento estamos "ajeitando a casa", pois perdemos nosso guitarrista e fundador Diego Nóbrega. Logo que tivermos com o novo guitarrista a pleno vapor, tocando nossas músicas, daremos seguimento aos shows de divulgação de "Follow the Madness".

https://soundcloud.com/madnessfactory-para-ba/sets/follow-the-madness




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Madness Factory"


Cachorros: As raças que melhor combinam com cada gêneroCachorros
As raças que melhor combinam com cada gênero

Kiss x Secos & Molhados: o fim da polêmicaKiss x Secos & Molhados
O fim da polêmica


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor