Arandu Arakuaa: entrevista com o baixista Saulo Lucena

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jakline Costa, Fonte: Fãs Arandu Arakuaa
Enviar correções  |  Ver Acessos

Geralmente as entrevistas com a Arandu são respondidas pelo guitarrista Zândhio Aquino, ou, em alguns casos, pela vocalista Nájila. Na entrevista concedida ao programa Matéria Prima, quase houve a participação do baterista, Adriano Ferreira; mas por problemas no som, ele só pode dar um "apoio moral" ao Zândhio. Então decidimos correr atrás desses músicos e tentar descobrir um pouco mais sobre eles. Já conseguimos uma entrevista exclusiva com o novo guitarrista, Juan Bessa; agora apresentamos a entrevista com o baixista, Saulo Lucena.

Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palcoMegadeth: fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fãs Arandu Arakuaa: Gostaríamos de saber quais são suas principais influências, qual seu artista preferido na música e um pouco sobre sua história como músico. Como foi seu primeiro contato com o baixo e, principalmente, como aconteceu o seu contato com a Arandu Arakuaa?

Saulo: Antes de mais nada é um prazer conceder essa entrevista... Bom, minhas principais influências são as linhas de baixo de Steve Harris, o qual me inspirou a tocar; também Marco Porcaro da banda Toto... Já, daqui do Brasil, as linhas de Chico Guedes, músico do Zé Ramalho...

Minha história como baixista começou aos 17 anos, em um shopping - na discoteca 2001- quando comprei meu primeiro baixo; com banda foi aos 18. A banda se chamava Bagunça Organizada, já com o Adriano como parceiro musical; depois um power trio chamado Psyco, e após o ingresso do Adriano na Arandu Arakuaa eu entrei em fevereiro de 2011 a convite dele.

Fãs Arandu Arakuaa: Sempre vemos o Zândhio se apresentando com algum elemento da cultura indígena, seja através da arte plumária, com seus brincos e outros acessórios, ou com as pinturas corporais; a Nájila também utiliza alguns acessórios que fazem referência a essa cultura, mas você e o Adriano estão sempre neutros com relação a isso. Sabemos que cada pessoa se expressa de uma forma, mas por não aderir, visualmente, à temática da banda, gostaríamos que você falasse um pouco sobre seu interesse na cultura indígena.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Saulo: Nem tanto... No clip Guyrá me caracterizei. Claro que a cultura indígena é uma das vertentes da Arandu, mas como sou um Paraíba nascido em Brasília, minhas principais influências são nordestinas, outro povo que muitas vezes é subestimado, mas já estou fazendo uma programação visual mais nordestina... Um dos leques da banda.

Fãs Arandu Arakuaa: Você já acompanha a banda ha bastante tempo; há algum fato ligado à história da banda que você gostaria de compartilhar com a gente?

Saulo: Na época em que não ensaiávamos em estúdio, teve um ensaio que jogaram água na gente e logo depois chamaram a polícia... Doces lembranças...

Fãs Arandu Arakuaa: Na sua visão, como tem sido a aceitação do público quanto à temática da banda?

Saulo: De início a surpresa é geral, mas rapidamente a galera entende a proposta e curte muito...

Fãs Arandu Arakuaa: O que você espera para o futuro da Arandu Arakuaa?

Saulo: Que o nosso projeto se expanda ao máximo possível e que leve ao mundo o que o Brasil tem de melhor.

Fãs Arandu Arakuaa: Você gostaria de deixar algum recado para os fãs?

Saulo: Que continuem conosco nos apoiando porque as pessoas precisam conhecer mais nossa terra... O Brasil é grande...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Arandu Arakuaa"


Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palcoBandas Novas
10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco

Megadeth: fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeoMegadeth
Fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeo


Sobre Jakline Costa

Formada em química, atualmente envolvida com qualquer tipo de trabalho literário. Meu primeiro contato com o rock foi por volta dos 12 anos de idade, quando fui em uma loja e comprei sem ao menos conhecer, uma camiseta do Iron Maiden. Chegando em casa meu tio todo orgulhoso ficou decepcionado ao saber que mesmo com a camiseta não conhecia nenhum som da banda e a partir daquele momento o objetivo de vida dele foi me ensinar os caminhos do rock. Graças a ele hoje conheço de Iron a Led e tenho todas as minhas influências musicas. Obrigada tio.

Mais matérias de Jakline Costa no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280