Assassin: "Agora é pra valer, porra!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vicente Reckziegel, Fonte: Witheverytearadream
Enviar correções  |  Comentários  | 

O Assassin é um dos maiores expoentes do Thrash Metal alemão, iniciando suas atividades no início da década de 80, e que, após muito tempo de espera, finalmente irá apresentar-se no Brasil, fazendo logo uma mini turnê por aqui, realizando 9 apresentações no país. Nesta entrevista exclusiva com Michael Hoffmann (Guitarrista), ele fala sobre a expectativa dos shows aqui, e o que os fãs brasileiros podem esperar da banda. Fazem parte do Assassin Robert Gonnella (Vocal), Jürgen “Scholli” Scholz (Guitarra), Joachim Kremer (Baixo) e Björn “Burn” Sondermann (Bateria).

5000 acessosFotos de Infância: Dave Mustaine, do Megadeth5000 acessosMegadeth: Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko Loureiro

Vicente - Este mês vocês irão tocar pela primeira vez no Brasil. O que esperam encontrar?

Michael - Eu creio que muitos e grandes fãs do Assassin estavam esperando um longo tempo por este momento e que agora está perto de se transformar em realidade. Estamos muito felizes que tudo deu certo desta vez, depois de três tentativas.

Vicente - E o que os fãs daqui podem esperar do show do Assassin?

Michael - Apenas um Thrash Metal fudido! Nós não somos uma “show band”. Se você quiser ver balões, bolhas e confetes você provavelmente deveria ir e ver algum outro show. Se você quiser um som agressivo e rápido, você definitivamente deve ver o Assassin ao vivo.

Vicente - Quais são as músicas que nunca podem estar fora do set list do Assassin?

Michael - Assassin, Abstract War e Bullets são as únicas que foram tocadas em cada show realizado.

Vicente - Vocês já tocaram em muitos países nos últimos 30 anos. Você acha que esses dias estão melhores ou piores para as bandas em geral?

Michael - Para o Assassin estão melhores do que nunca. Chegamos a um número maior de pessoas do que na década de 1980 e, através da Internet, está se tornando mais fácil para se conectar com as pessoas certas no negócio da música também.

Vicente - Vocês lançaram um ótimo CD no ano passado "Breaking the Silence". Como está sendo a divulgação? Quando e onde foi gravado?

Michael - Nós gravamos esse álbum em 2011 com Harris Johns em vários estúdios e tivemos a sorte de ter a SPV na distribuição. Eles têm uma longa experiência no ramo.

Vicente - E a reação dos fãs foi como você esperava?

Michael - Nós sempre colocamos 100% de energia em nosso trabalho e, depois de um lançamento, não há mais nada que você possa fazer. Você sabe, quando "Upcoming Terror" foi lançado, muitos críticos não gostaram e o chamaram de “barulho”, mas ainda são os fãs que decidem e não os críticos. Os “Thrashers” acharam-no excepcionalmente bom, e isso que é importante para nós. Teve gente que nos disse que "Breaking the Silence" é o melhor álbum que fizemos até hoje. Se você perguntar a alguns “thrashers old school“, eles vão te dizer que "Upcoming Terror" é o único grande álbum do Assassin. Eu deixo assim.

Vicente - Você conhece bem o Rock e Metal no Brasil, correto?

Michael - Como você deve saber, eu estava morando na Bahia há cerca de 6 anos, onde trabalhei como engenheiro de som e produtor. Uma das produções que eu sempre lembro é o álbum “Goetia” do Mystifier. Foi muito divertido trabalhar com Armando e sua trupe.

Vicente - Olhando para trás, na década de 80, quem foi sua maior influência?

Michael - Se você quer dizer, qual a banda que abriu meu cérebro para o Thrash, foi o Metallica com seu primeiro álbum. Eu ouvi Metal Milita no rádio e fiquei paralisado. Eu já gostava de AC / DC, Motörhead e Iron Maiden, mas aquilo era totalmente diferente.

Vicente - Em poucas palavras, o que você pensa sobre essas bandas:

Tankard: Cerveja e Diversão.

Destruction: Grande banda e grandes caras.

Exumer: Para mim, eles eram apenas uma cópia barata do Slayer. Não sei o que eles fizeram depois. Eles ainda estão em turnê?

Kreator: “Pleasure to Kill” foi o meu favorito.

Sepultura: Grande banda! Estou em uma atmosfera Cavaleira Conspiracy, “Blunt Force Trauma” é o inferno em um álbum.

Vicente - Por fim, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que adoram o som do Assassin.

(Esta foi respondida totalmente em português)

Michael - Espero todos os “thrashers” brasileiros aparecer em nossos shows e finalmente testemunhar um evento único e irrepetível. Agora é pra valer, porra!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Assassin"

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Assassin"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Dave Mustaine, do Megadeth, muito antes da fama

MegadethMegadeth
Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko Loureiro

Metal AlemãoMetal Alemão
About.com elege as melhores bandas

5000 acessosAxl no AC/DC: O fiasco que se transformou numa surpreendente união5000 acessosThe Voice Kids: até Brian May ficou impressionado com brasileiro5000 acessosSolos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NME4559 acessosShagrath: Se eles assistem Dimmu Borgir no youtube, eu sinto pena5000 acessosMotorhead: filho relata a luta de Lemmy para subir ao palco5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988

Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online