King Diamond: "não dependemos do que é popular"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Brave Words, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Dark Winter, do site CryptMagazine.com, encontrou-se recentemente com KING DIAMOND; no bate-papo, dentre outros assuntos, foi comentada a perseverança da banda, mesmo nos tempos mais difíceis.

King Diamond: anunciada a cerveja da banda, batizada "Black Horsemen"Iron Maiden: Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil

Dark Winter: Eu estava me lembrando de quando a cena de Seattle decolou. Muitas bandas estavam perdendo vocalistas, se separando ou simplesmente jogando a toalha. Você seguiu em frente. Você sempre esteve lá.

King Diamond: "Sempre tem sido assim. Nunca pensamos que 'Ah, agora não podemos fazer shows' ou 'Ninguém vem nos ver'. Nós simplesmente continuamos. Isso tem muito a ver com o fato de que este estilo é clássico, já que nós decidimos nosso próprio caminho. Não dependemos do que é popular ou não. Isso também significa que, por outro lado, nunca ganharemos disco de platina. Com certeza isso não vai acontecer. Mas isso não é algo que importa muito para mim. Não foi só por acaso que eu tive esta incrível experiência de vida, mas também por todos aqueles que têm nos apoiado. Nós trabalhamos com algo que deveria ser apenas mais um hobby. Ou que parece ser um hobby. As vezes o trabalho é duro, com certeza. Mas é o que adoramos fazer. Não dá pra descrever como isso é legal. Mas eu prefiro estar aqui fazendo isso do que ter feito um álbum de sucesso nos anos 80 e talvez só mais uns dois álbuns".

DW: Você foi uma grande influência para muitas bandas. Mas muitas delas conseguiram muito mais popularidade. Você acha que as rádios são em grande parte responsáveis por isso?

KD: "Sim, acho que isso varia de área para área e de estado para estado. Em algumas áreas, as FMs tocam nossa música. Outras são estações de universidades que também dão bastante espaço para nós. Não é que elas não queiram tocar, mas acho que há muitas restrições. E aí você começa a entender como as estações de rádio são administradas. Quanto cada um recebe para tocar alguma coisa. (risos) E há outras coisas nessa política toda sobre as quais você não tem controle".

Leia mais no cryptmagazine.com.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "King Diamond"


King Diamond: anunciada a cerveja da banda, batizada Black HorsemenKing Diamond
Anunciada a cerveja da banda, batizada "Black Horsemen"

Mercyful Fate: Michael Denner revela chateação por ter ficado fora da reunião

King Diamond: revelado o nome do seu novo discoKing Diamond
Revelado o nome do seu novo disco

Mercyful Fate: reunião da banda é confirmada para 2020Mercyful Fate
Reunião da banda é confirmada para 2020

King Diamond: o apartamento assombrado e os caras do MetallicaKing Diamond
O apartamento assombrado e os caras do Metallica

King Diamond: vetado por Dave Mustaine em show do VolbeatKing Diamond
Vetado por Dave Mustaine em show do Volbeat

King Diamond: O que significa ser Satanista?King Diamond
O que significa ser Satanista?


Iron Maiden: Bruce Dickinson e sua preferência pelo BrasilIron Maiden
Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil

Cachês: nova lista revela quanto embolsam astros do Rock e MetalCachês
Nova lista revela quanto embolsam astros do Rock e Metal

Metal: as oito maiores tretas entre músicos do gêneroMetal
As oito maiores tretas entre músicos do gênero

Trues quase infartaram: Obituary mitou com Joelma e ChimbinhaTrues quase infartaram
Obituary mitou com Joelma e Chimbinha

Iron Maiden: Bruce Dickinson revela sua canção de merdaIron Maiden
Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"

Rush: Os quatro álbuns favoritos do baixista Geddy LeeRush
Os quatro álbuns favoritos do baixista Geddy Lee

Top 5: Os roqueiros mais chatos da históriaTop 5
Os roqueiros mais chatos da história


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

adClioIL