Saxon: "a venda de nossos álbuns está aumentando"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Silvio Somer, Fonte: Metal-Experience.com, Tradução
Enviar Correções  

Metal-Esperience.com conduziu recentemente uma entrevista com Biff Byford, vocalista do SAXON, que comentou, dentre outras coisas, sobre a atual situação do Heavy Metal.

Metal-Experience.com: Podemos voltar ao seu álbum mais recente, "The Inner Sanctum", por um momento? Quais você acha que são as principais diferenças entre "The Inner Sanctum" e "Lionheart"?

publicidade

Biff: "Coisas óbvias, na verdade. São álbuns obviamente diferentes! A verdade é que não somos previsíveis e não fazemos sempre as mesmas coisas. É difícil perceber onde estamos indo com os diferentes estilos às vezes. Só acho que 'Lionheart' foi um álbum bem britânico e 'The Inner Sanctum' não. 'The Inner Sanctum' é meio rock 'n' roll e meio heavy metal, e acredito que nós exploramos mais isso nesse álbum do que em 'Lionheart'. Creio que encontramos um objetivo único para nós ali. Ele tem um som fresco, mas algumas das músicas são bastante tradicionais".

publicidade

Metal-Experience.com: Que ingrediente é de grande importância para uma música do SAXON?

Biff: "A primeira coisa que gostamos de ter, embora nem sempre nós tenhamos, é o riff de guitarra, o riff principal que começa a música. É sempre bom ter isso. Ele pode durar só trinta segundos, mas nós gostamos de um bom riff pra começar. E, basicamente, nós trabalhamos a partir daí, arranjando e dando forma. No caminho nós decidimos se ficará soando da mesma forma ou no mesmo tempo ou ainda se vamos tentar outras coisas. E então eu coloco as melodias e a última coisa que inserimos são as letras".

publicidade

Metal-Experience.com: Quão importante é para você que as pessoas prestem atenção às suas letras?

Biff: Bem, é muito importante. Se você faz uma música sobre algo que realmente signifique alguma coisa, não apenas sobre dirigir carros velozes, mas alguma coisa como 'Red Star Falling', eu acho que é importante que as pessoas prestem atenção, mas se elas fazem ou não eu não sei. Eu sei que não faço! (risos) Sou um vocalista e normalmente apenas ouço os refrões e o primeiro verso, e só! Então sou tão ruim quanto qualquer um. Se eu faço algo histórico ou se eu estou escrevendo sobre algo que é importante pra mim, então isso importa. Eu gasto muito tempo escrevendo letras mas eu não sei se as pessoas realmente prestam atenção a elas. Talvez as pessoas as leiam no encarte. Veja algumas das músicas mais antigas, como 'Crusader', todos sabem o primeiro verso e o refrão, mas todos sabem todos os versos? O refrão geralmente é o que as pessoas lembram mais, especialmente quando falamos sobre o SAXON".

publicidade

Metal-Experience.com: Qual é a sua opinião a respeito da cena de Heavy Metal atual, está faltando alguma coisa?

Biff: "Na verdade eu acho que ela é ótima no momento. A venda dos nossos álbuns estão aumentando, acabamos de ir ao Japão, o que foi fantástico, e nós tocamos num festival lotado na Inglaterra. As revistas estão vendendo mais, os websites têm feito bem. Nosso website está atualizado atualmente e vez ou outra fazemos um podcast, não é necessário ficar com medo de mostrar como a coisa realmente é. Não é necessário ficar incomodado demais em parecer fantástico o tempo todo! No mundo real ninguém é sempre, ou é?!"

publicidade

A entrevista completa (em inglês) está no link abaixo.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


David Lee Roth: o vergonhoso teste de Matt Sorum para a bandaDavid Lee Roth
O vergonhoso teste de Matt Sorum para a banda

Rita Lee: Ela participou de suruba com o Yes e furtou a cobra de Alice CooperRita Lee
Ela participou de suruba com o Yes e furtou a cobra de Alice Cooper


Sobre Silvio Somer

Inicialmente meu gosto musical foi marcado por bandas como Black Sabbath, Iron Maiden e Deep Purple, mas o que revolucionou minha forma de perceber a música foi a primeira vez em que ouvi o álbum "2112" do Rush, embora eu já conhecesse algumas músicas da banda, foram os acordes de "Overture" que colocaram tudo em uma nova perspectiva. Foi assim que aos 14 anos de idade coloquei o mundo que me cercava em cheque. Meu gosto por literatura, então, encontrou sua contra-parte de forma bastante harmônica e ambos são essenciais em minha vida. Atualmente moro em Florianópolis e estudo piano e faço o curso de letras. "We've taken care of everything / The words you hear the songs you sing".

Mais informações sobre Silvio Somer

Mais matérias de Silvio Somer no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin