Primal Fear: Entrevista exclusiva com o baixista Mat Sinner

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos


Entrevistador: Rafael Carnovale

Rock Brasileiro: uma lista das 10 maiores bandasMetal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entrevista formulada por Rafael Carnovale e Anderson Guimarães.

É óbvio que o Primal Fear já tem seu espaço no cenário metálico, conquistado com muita competência e com cd's de alto nível. Desde o auto-intitulado "debut" ao mais recente "Devil's Ground", a banda sempre teve como marca registrada os vocais carismáticos e potentes de Ralph Scheepers e o baixo marcante e os "backings" de Mat Sinner, aliádos as guitarras de Tom Naumann e Stefan Leidbing e a bateria de Randy Black, recém admitido na banda. Nesta entrevista, um simpático Mat Sinner responde perguntas sobre todas as fases da carreira da banda, e promete muitas surpresas para a turnê brasileira, que ocorrerá em junho, confira:

WHIPLASH - Vamos começar falando sobre o primeiro cd do Primal Fear, que muitos consideraram como um excelente "debut" para uma banda de heavy metal. Gostaria que você falasse um pouco sobre ele e sobre duas músicas que fizeram muito sucesso no Brasil, "Formula One" e "Promised Land":

MAT SINNER / Começamos a banda basicamente porque vi que Ralph (Scheepers) estava decidido a abandonar a música, e eu queria fazer algo junto com ele. Inicialmente não sabia se isso seria um projeto solo, do tipo Ralph-Mat ou Mat-Ralph, mas as coisas foram andando e com o passar do tempo, após algumas demos, vimos que tínhamos um excelente material em mãos, o que originou um bom contrato. Tom (Nauman) estava conosco e Klaus (Sperling, baterista) juntou-se a banda, que começou a gravar com bastante entrosamento. "Promised Land" foi escrita por Tom e eu e é uma típica música do Primal Fear, com um andamento bem cadenciado. Já "Formula One" é de Ralph, Tom e eu, e seu contexto vem do fanatismo de Ralph pelo automobilismo (risos). É legal lembrar delas e saber que os fãs curtiram, pois adoro tocá-las.

WHIPLASH - Neste momento, durante a turnê, Stefan (Leibing, Guitarrista) tocava junto com a banda, ele chegou a gravar algo em estúdio?

MAT SINNER / Tom fez todas as guitarras sozinho, pois tínhamos muito conhecimento mútuo desde a época do Sinner, mas ao vivo achamos bom ter Stefan, que se mostrou uma ótima escolha.

WHIPLASH - Como foram os primeiros shows e a primeira aparição no "Wacken Open Air"?

MAT SINNER / Foi fantástico. Jamais imaginei que o público responderia de maneira tão positiva. Estávamos nervosos, embora já tivéssemos experiência de palco, mas o pessoal foi extremamente receptivo.

WHIPLASH - Vocês perderam Tom em 1999 por problemas de saúde. Como você se sentiu e como Alex (Beyrodt) foi chamado?

MAT SINNER / Tom e eu somos grandes amigos, desde antes do Primal Fear, foi muito triste, mas ele não tinha condições de continuar nossa turnê européia. Alex me foi indicado rapidamente, quando Tom comunicou que não tinha condições de manter-se na banda, e o entrosamento foi rápido.

WHIPLASH - Nesta mesma turnê, a banda veio Brasil, como foram os shows, e gostaria de que você falasse sobre o show carioca, que foi organizado num local pequeno e incomum para shows de metal:

MAT SINNER / Me lembro bem deste show. O local era pequeno, mas o som estava ótimo. O público, apesar de reduzido, foi muito vibrante. O show de São Paulo foi num local maior, com muito mais gente, mas o som estava péssimo, mas ambos foram ótimos shows.

WHIPLASH - É verdade que a banda foi convidada para participar do Tributo ao Helloween mas recusou?

MAT SINNER / Não sei. De fato não sei. Creio que pode ser ligado ao fato de Ralph ter sido cogitado uma vez para ser o vocalista do Helloween (quando Kai Hansen decidiu largar os vocais e se concentrar apenas na guitarra), mas não fomos convidados. Realmente não me lembro de ter acontecido algo nesse sentido.

WHIPLASH - A banda acabou recebendo Tom de volta quando Henny (Wolter, guitarra) saiu, após as gravações do cd "Black Sun". Porque Henny Saiu e como foi ter seu velho amigo Tom de volta?

MAT SINNER / Henny sempre sentiu falta de sua família, e com o nascimento de seu filho ele acabou decidindo sair da banda. Foi ótimo ter Tom de volta, pois tocamos juntos desde o Sinner, mas Henny é um grande cara.

WHIPLASH - Ralph e Stephan também serão pais em breve. Você teme que algo como o que aconteceu com Henny possa se repetir?

MAT SINNER / (Rindo Muito) Boa pergunta!!! Ralph e Stefan têm o Primal Fear como suas bandas e duvido que possam querer sair. O caso de Henny foi muito especial, e não dá para comparar com Ralph ou Stephan, que vivem o Primal Fear cada dia.

WHIPLASH - "Black Sun" e "There Will Be Execution" (novo cd do Sinner) são extremamente agressivos. Há alguma comparação entre os dois, e você concorda em algum tipo de conexão com ambos?

MAT SINNER / Rock and Roll é a conexão. Os "riffs" ditam o estilo do cd. De fato ambos são bem agressivos, mas era o que queríamos fazer. Tanto o Sinner, que era mais orientado para o Hard, como o Primal Fear desejavam isso.

WHIPLASH - "The History of Fear" DVD está sendo lançado agora no Brasil. Vocês já cogitaram em fazer um álbum completo ao vivo?

MAT SINNER / Ainda não achamos que chegou o momento certo, mas assim que sentirmos que vale a pena faremos com certeza. O DVD tem dois shows completos e já é um bom começo.

WHIPLASH - Os fãs brasileiros curtiram muito ver a capa do DVD com a banda vestindo camisas de times paulistas de futebol (risos):

MAT SINNER / Foi muito legal fazer isso. Era último show no Brasil e quando a idéia nos foi apresentada pareceu excelente. O Brasil é o país do futebol e foi nossa forma de homenagear os fãs, que nos receberam com muito carinho.

WHIPLASH - Só que vocês criaram um problema com os fãs de outros estados, principalmente os do Rio de Janeiro (Risos Gerais)!

MAT SINNER / Ohhhhhhhhhhh!!! (Rindo Muito) Mas não se preocupem. Eu prometo que em nosso show carioca prestigiaremos os times cariocas, usando suas camisetas. Se você quiser, traga a do seu time para que eu possa usar!!! (GARGALHADAS!!)

WHIPLASH - Vocês incluíram algumas imagens do show em São Paulo no DVD. O que você poderia falar sobre os shows da turnê, especialmente sobre o show de Blumenau (SC)?

MAT SINNER / Eu me lembro!! Estava muito quente, quase não dava para respirar (risos). Mas mesmo com o calor foi um show maravilhoso, os fãs foram fantásticos.

WHIPLASH - Klaus deixou a banda recentemente. O que houve com ele? É verdade que você e ele tiveram desentendimentos? Alguns "Websites" veicularam esta notícia.

MAT SINNER / Não. Não. Absolutamente Não. Klaus queria tocar algo mais "hard-rock", e não queríamos mudar o estilo da banda. Não tivemos nenhum tipo de desentendimento.

WHIPLASH - Bom, voltemos ao DVD. Joacim Cans (Hammerfall) toca uma cover do Judas Priest com a banda, e vc aparece no DVD do Hammerfall ("One Crimson Night),como funcionário da Nuclear Blast. Como é a amizade entre as duas bandas.

MAT SINNER / Somos grandes amigos, e tocar juntos em qualquer ocasião sempre será um grande prazer. Espero que isto aconteça sempre, pois adoro os caras.

WHIPLASH - Você demonstra ser uma pessoa bem acessível, com um papo fácil. O que você acha dos músicos que ainda teimam em ser "rockstars", sendo inacessíveis ao público?

MAT SINNER / SHIT! É uma merda que algum músico seja mal-educado com um fã. Os fãs são tudo para uma banda. Amamos os nossos e se alguém quer ser mal educado com seus fãs, sinto pena dele.

WHIPLASH - Vamos falar sobre "Devil's Ground" (o novo cd). O que você pode adiantar para o público, já que o cd está sendo lançado no Brasil?

MAT SINNER / Este é nosso melhor cd, sem dúvida. Sentimos que fizemos nossas melhores melodias, nossos melhores "riffs", e que as músicas foram num caminho que nos deixou super satisfeitos. A grande diferença entre "Black Sun" e "Devil's Ground" talvez esteja no melhor balanço entre agressividade e melodia. Estou muito ansioso com este novo cd.

WHIPLASH - E quanto a uma turnê brasileira? Há planos já definidos?

MAT SINNER / Sim. Estamos fechando uma turnê por aí em Junho, e no show do Rio usaremos as camisetas dos times de futebol daí! (GARGALHADAS).

WHIPLASH - Recentemente o mundo do metal foi balançado com o retorno de Rob Halford para o Judas Priest e a entrada de Tim Owens no Iced Earth. O que você espera para estas bandas, já que o cd do Iced com Tim ("The Glorious Burden") acaba de ser lançado e o Priest começou a compor músicas para um novo cd com Rob?

MAT SINNER / Gostei muito de ouvir o Iced Earh com Tim. Ele se encaixou bem na banda. Sou grande fã do Priest com Rob. Merdas acontecem, mas acho que foi para o bem geral. Espero um grande cd do Priest, no estilo de "Painkiller". Eles são grandes compositores, mas se tiverem algum problema podem me telefonar que irei compor com eles!!!!!!!! JUST CALL MAT!!!! (GARGALHADAS).

WHIPLASH - Mat, foi um grande prazer falar com você, e este espaço é seu para deixar uma mensagem para seus fãs, que aguardam o Primal Fear ou o Sinner em breve:

MAT SINNER / Vocês são muito importantes para nós, e iremos ao Brasil em breve. O Brasil é muito importante para nós. E agora estamos na melhor forma de toda nossa carreira. Faremos um grande show para vocês, e nós divertiremos muito juntos!!!!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Primal Fear"


2000 a 2002: 10 shows/turnês pouco comentados2000 a 2002
10 shows/turnês pouco comentados

Rhapsody: o Angra reabriu as portas do metal, diz Luca TurilliRhapsody
O Angra reabriu as portas do metal, diz Luca Turilli


Rock Brasileiro: uma lista das 10 maiores bandasRock Brasileiro
Uma lista das 10 maiores bandas

Metal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21Metal Sucks
Os melhores álbuns de metal do século 21


adClio336|adClio336