Vision Divine e Labyrinth: Entrevista coletiva com as bandas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos


Formada na Itália em 1991, a banda de power metal Labyrinth lançou em 1995 seu primeiro álbum, No Limits, obtendo sucesso imediato na Europa e Japão. Seus integrantes usam pseudônimos, à exceção do vocalista Joe Terry, que resolveu assumir seu nome de batismo, Fabio Lione. Após desentendimentos com o baterista e produtor da banda, Frank Andiver, Lione saiu para integrar a banda Athena, e logo em seguida rumou para uma das maiores bandas italianas de heavy metal da atualidade, o Rhapsody. Simultaneamente tornou-se vocalista da banda Vision Divine, também italiana. Com o novo vocalista Rob Tyrant, e sem Andiver, o Labyrinth explodiu nos EUA, através do selo Metal Blade, que lançou o álbum Return To Heaven Denied. Em 1998 a banda foi uma das maiores atrações do Gods Of Metal, festival europeu que reuniu nomes como Black Sabbath, Helloween, Blind Guardian, Iced Earth e Stratovarius. Com o seu 3º cd, Sons Of Thunder, a banda está no Brasil para mostrar um trabalho conceitual, requintado, mais sutil, e ao mesmo tempo com todo o peso do melhor power metal melódico. Além de Tyrant, o Labyrinth traz Mat Stancioiu (bateria), Andrew McPauls (teclados), Olaf Thorsen (guitarra-líder), Chris Breeze (baixo) e Anders Rain (guitarra).

Metallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For AllTom Araya: "Não sou ateu; acredito em Deus!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Thorsen, Stancioiu e McPauls também integram o Vision Divine, ao lado do baixista Andrea "Tower" Torricini e do líder e vocalista Fabio Lione (que continua no Rhapsody). Segundo Thorsen, o Vision Divine, formado em 1998, "era originariamente para gravar meus discos solo, totalmente instrumentais, mas quando Fabio juntou-se a nós, decidimos criar uma banda de verdade, não somente um projeto". E Lione conta "no começo não tínhamos idéia de que nome dar à banda, mas sabíamos que o disco teria que se chamar Divine. Pouco depois, pensamos em Vision para nos batizar, mas logo vimos que as duas palavras juntas soava mais legal". Em 1999 o álbum Vision Divine explodiu nas paradas, com um som diferente do praticado pelas outras bandas dos integrantes. Este álbum, assim como o último do Labyrinth, Sons Of Thunder, está sendo lançado no Brasil pela Rock Brigade/Laser Records. Para esses lançamentos e os shows que irão acontecer no Brasil, o selo nacional promoveu uma entrevista coletiva com os integrantes de ambas as bandas, na Via Funchal, em SP. Confira os principais trechos:

Por Paulo Haroldo

Pergunta - Fale sobre o último álbum do Labyrinth.

Rob Tyrant / Na gravação desse álbum ocorreram muitos problemas, principalmente com a produção. Nós brigamos com o produtor e tivemos que remixar o álbum inteiro, para deixá-lo mais pesado. Nessas circunstâncias, acho que o resultado final ficou muito bom.

Pergunta - Vocês têm formação clássica?

Olaf Thorsen / Sim, com exceção do Fabio. E não necessariamente música clássica, mas eu por exemplo dedico bastante do meu tempo ao estudo de música em geral (os demais não se manifestaram).

Pergunta - Como vocês vêem o crescimento das bandas italianas no cenário do Heavy Metal mundial?

Fabio Lione / Bom, sem dúvida agora está mais fácil para as bandas italianas fechar um contrato e gravar um álbum. Como conseqüência surgiram muitas bandas novas, mas por outro lado várias dessas bandas são ruins, por esse motivo é que acredito que o diferencial para o reconhecimento do seu trabalho é investir na sua personalidade, realizando algo bem pessoal.

Pergunta - O que vocês acharam do resultado do cd-tributo ao Helloween - The Keepers Of Jericho ?

Olaf Thorsen / Os tributos são uma moda, mas nesse caso específico acho que ficou muito bom, por que juntaram algumas das melhores bandas do metal atual.

Pergunta - Existe algum tipo de rivalidade entre as bandas na Itália?

Olaf Thorsen / O país é pequeno, com poucas lojas, poucos selos, poucos zines e poucos amigos... e acho que por isso mesmo o Labyrinth está numa boa situação. Nós fomos os primeiros a disparar essa cena. Mas não acho que exista uma rivalidade, exatamente.

Pergunta - O que você acha do rock dos anos 80?

Fabio Lione / Prefiro, na verdade, as bandas de rock dos anos 80. Elas têm atitude e feeling diferentes. Iron Maiden, Queensryche, Skid Row, Whitesnake... são as melhores, o que não quer dizer que as bandas atuais sejam ruins.


Pergunta - Você foi influenciado por algum vocalista?

Fabio Lione / Claro... todos querem imitar o Geoff Tate ou o Michael Kiske... eu também os admiro.

Pergunta - Que tipo de cuidado você tem com a sua voz?

Fabio Lione / Eu não fumo, não bebo e estudo técnicas vocais freqüentemente... brincadeira! Eu fumo e bebo pra caramba e não estudo nada...

Pergunta - Como está aquele projeto de reunir somente guitarristas do metal?

Olaf Thorsen / Nada certo por enquanto. E eu só entro nessa se for para fazer algo realmente pesado.

Pergunta - Como você divide seu tempo entre as bandas?

Fabio Lione / Não há problema. O Rhapsody não ocupa muito do meu tempo, então eu posso me dedicar mais ao Vision Divine.

Pergunta - O que vocês conhecem de música brasileira?

Todos / Na área de metal, vários: Angra (principalmente a música "Angels Cry", diz Rob Tyrant), Dorsal Atlântica, Viper... e fora disso, bossa nova, Tom Jobim... (adoro Tom Jobim repete Andrew McPauls). N.E.: nesse instante, risos surgem na platéia e os músicos ficam intrigados, até que perguntam ao tradutor por quê estão rindo - enquanto este entrevistador observa constrangido.

Pergunta - Fale alguma coisa sobre o último disco do Rhapsody, Dawn Of Victory.

Fabio Lione / Nesse álbum o Luca (Turilli) tocou mais guitarras, as letras estão mais fortes, a capa está mais feia e o som mais pesado, agressivo. Tentamos fazer algo diferente.

Pergunta - Como foi cantar ao vivo com o Vision Divine?

Fabio Lione / No começo foi estranho, por que somos uma banda nova e nunca tínhamos tocado ao vivo, e foi corajoso fazer 40 shows logo de cara, abrindo para o Stratovarius.

Pergunta - É muito cansativa a vida de roqueiro?

Olaf Thorsen / Nós damos o máximo no palco, então naquele momento é cansativo, mas acho muito menos cansativo do que trabalhar numa fábrica, por exemplo.

Pergunta - Quando sai o novo disco do Labyrinth?

Olaf Thorsen / Vai sair em 2001 e vamos tocar uma música nova, dele, nos shows.

Pergunta - Vocês vão tocar juntos em outros lugares?

Olaf Thorsen / Aqui na América do Sul, por causa do custo da turnê, e em um festival na Alemanha. Porém, vamos procurar dividir as coisas, por que queremos que as pessoas saibam diferenciar as bandas, reconhecendo o som de cada uma.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Vision Divine"Todas as matérias sobre "Labyrinth"


Metal Melódico: os 10 melhores álbuns dos anos 90 - Parte 1Metal Melódico
Os 10 melhores álbuns dos anos 90 - Parte 1

Angra: banda errou na escolha de Fabio Lione?Angra
Banda errou na escolha de Fabio Lione?


Metallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For AllMetallica
Jason explica o baixo apagado de And Justice For All

Tom Araya: Não sou ateu; acredito em Deus!Tom Araya
"Não sou ateu; acredito em Deus!"


adGoo336