Lynyrd Skynyrd: curiosidades e números sobre "Freebird"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Filipi Junio, Fonte: Southern Rock Brasil
Enviar correções  |  Ver Acessos


A lista elaborada pelo site DigitalDreamDoor que faz um rankeamento das canções que mais exemplificam o Southern Rock, mostra no topo a faixa de encerramento do álbum "Pronounced 'Lĕh-'nérd 'Skin-'nérd", "Freebird". (Na versão original lançada em vinil, era a 4° faixa do lado B). Como single, ela alcançou a 19° posição na Billboard Hot 100 em 1975 e a 47° posição na Canada RPM Top Singles e a 21° posição na UK Singles Chart. Sua versão ao vivo também atingiu a Billboard Hot em 1977.

Canal Memórias do Rock: Rock contra o racismo em dez canções.Loudwire: as 10 melhores músicas do Nirvana

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É sempre complicado elaborar uma lista, mais difícil ainda é classicar, principalmente definir o topo de sua lista. Mas a lista referida acima não corre o risco de ser chamada de injusta ou de não ir de acordo com a realidade.

A música, sempre citada como uma homenagem a Duanne Allman, do Allman Brothers, é uma das mais executadas nas rádios americanas. Já teria sido tocada segundo estimativas da BMI pelo menos 2 milhões de vezes desde seu lançamento.

"Freebird" surgiu de uma bela seqüencia de acordes bolada por Allen. Ronnie acrescentou melodia e letras. "Ele escreveu a letra toda em três ou quatro minutos" - Gary. Durante as primeiras apresentações, Ronnie pedia a Allen e Gary que estendessem mais os solos da música. "Não está longo o bastante. Façam mais longo!" dizia Ronnie.

Uma das primeiras performances públicas da música em sua versão final foi durante a festa de casamento de Allen Collins. Este fez o overdub de um segundo solo, na versão de estúdio, criando o famoso duelo de guitarras que coroa a música. Ao vivo, as três guitarras - Gary no slide, Ed e mais tarde Steve na base e solos e Allen nos solo principal - reproduziam fiel e furiosamente a canção, geralmente pontuada com um eletrizante rave-up (técnica bolada pelos Yardbirds) e uma seção ritmica que remetia ao "bolero" (bastante similar a do final de "Beck's Bolero")

Gary Rossington afinou a segunda corda de sua guitarra em Sol, igualando com a terceira corda. Ele disse que fez isso para encorpar mais o som do slide. Para este efeito foi utilizada uma chave de fenda. A guitarra usada foi uma Gibson Les Paul/SG '61. Outro truque foi usar cordas mais grossas (0.17 gauge G) no lugar da terceira e segunda cordas. "Lembro que eu queria algo um pouco diferente do mesmo velho som de guitarra slide, então eu fiz com esse tipo de invenção", disse.

Ao vivo ele usava um vidro de Coricidin (como antes fizera sua confessa influência, Duanne Allman) como slide.

A música possui duas versões, uma com 9:06 (lançada no álbum) e outra com 4:41 (versão lançada no single). Prefiro a primeira por um simples motivo, a jam session, se assim posso chamar, que começa apartir do minuto 04:56. Os solos de Allen Collins e Gary Rossington, em ambas as versões, são marcantes e viciantes. É impossível ouvir essa música apenas uma vez, é necessário repeti-la mais vezes. Isso não é só a opinião de um fã.

Várias listas respaldam isso que falei, vamos à algumas:

- A Guitar World classificou "Freebird" como 3° colocada em seu "100 Greatest Guitar Solos", ficando atrás apenas de "Stairway to Heaven", Led Zepellin, e "Eruption", Van Halen.

- Está incluida no "The Rock and Roll Hall of Fame's 500 Songs that Shaped Rock and Roll".

- 191° na "The 500 Greatest Songs of All Time da Rolling Stone".

- 26° na "VH1 Top 100 Hard Rock Songs".

- 3° na pesquisa feita com os leitores da revista Blitz.

Algumas curiosidades:

O grupo americano de pop-dance Will to Power criou um medley de "Freebird" e "Baby, I Love Your Way" de Peter Frampton, em 1988. Intitulada "Baby, I Love Your Way / Medley Freebird", esta versão passou uma semana em 1 º lugar no Hot 100 da Billboard. Também foi regravada por Wynonna em seu álbum "Revelations", que chegou na 2° colocação U.S. Country Charts.

"Freebird" aparece em alguns games populares: Guitar Hero II, Guitar Hero: Smash Hits, Guitar Hero 5, Rock Band 3 e StarCraft II: Wings of Liberty, Grand Theft Auto: San Andreas

Já apareceu nas séries Californication, Freaks and Geeks, King of the Hill, My Name Is Earl, Gossip Girl, That '70s Show, Buffy - Caçadora de Vampiros, nos filmes Duets, Forest Gump, Rejeitados pelo Diabo, Elizabethtown (a execução de "Freebird" é sensacional, sendo o ápice do filme).

Na rede social Last.fm, a faixa possui 2.226.153 de audições feitas por 417.854 ouvintes, dando uma média de 5,32 execuções por ouvinte.

Letra:

If I leave here tomorrow
Se eu sair daqui amanhã
Would you still remember me?
Você ainda irá se lembrar de mim?
For I must be travelling on, now,
Pois eu preciso viajar agora
'Cause there's too many places I've got to see.
Porque há tantos lugares que eu tenho que ver
But, if I stayed here with you, girl,
Mas, se eu ficar aqui com você, garota
Things just couldn't be the same.
As coisas não podem ser do mesmo jeito
'Cause I'm as free as a bird now,
Porque agora eu sou como um pássaro livre
And this bird you can not change.
E você não pode mudar esse pássaro
Lord knows, I can't change.
O Senhor sabe, eu não posso mudar

Bye, bye, its been a sweet love.
Tchauzinho, tem sido um doce amor
Though this feeling I can't change.
De qualquer forma, não posso mudar esse sentimento
But please don't take it badly,
Mas por favor, não leve isso tão a mal
'Cause Lord knows I'm to blame.
Por que o Senhor sabe que eu tenho culpa
But, if I stayed here with you girl,
Mas se eu ficar aqui com você, garota
Things just couldn't be the same.
As coisas não podem ser do mesmo jeito
Cause I'm as free as a bird now,
Porque agora eu sou como um pássaro livre
And this bird you'll never change.
E você nunca irá mudar esse pássaro
And this bird you can not change.
E você não pode mudar esse pássaro
Lord knows, I can't change.
O Senhor sabe, eu não posso mudar
Lord help me, I can't change.
Senhor, me ajude, eu não posso mudar




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção CuriosidadesTodas as matérias sobre "Lynyrd Skynyrd"


Canal Memórias do Rock: Rock contra o racismo em dez canções.Em 17/10/1977: Lynyrd Skynyrd lançava o álbum Street SurvivorsLynyrd Skynyrd: o clássico primeiro álbum da lenda norte-americana (vídeo)

Larry Junstrom: baixista do 38 Special e Lynyrd Skynyrd morre aos 70 anosLarry Junstrom
Baixista do 38 Special e Lynyrd Skynyrd morre aos 70 anos

Fernando Haddad: após visitar Lula, ele canta Lynyrd Skynyrd em bar de CuritibaFernando Haddad
Após visitar Lula, ele canta Lynyrd Skynyrd em bar de Curitiba

Solos de guitarra estendidos: os melhores feitos em shows ao vivoSolos de guitarra estendidos
Os melhores feitos em shows ao vivo

Slayer e Testament: mandando a toca Raul dos EUA em ensaioSlayer e Testament
Mandando a "toca Raul" dos EUA em ensaio


Loudwire: as 10 melhores músicas do NirvanaLoudwire
As 10 melhores músicas do Nirvana

Stephanie Seymour: ex de Axl Rose mostra ótima forma aos 44Stephanie Seymour
Ex de Axl Rose mostra ótima forma aos 44


Sobre Filipi Junio

Carioca, nascido em 1989, bacharelando em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem como paixão as bandas Allman Brothers Band, Lynyrd Skynyrd, The Avett Brothers, Iced Earth e Hardcore Superstar. Alguns hobbies são: acompanhar o time do coração, Vasco; viciado em Star Wars, Tribal Wars, livros, Tolkien, etc. Criador e administrador do Southern Rock Brasil, blog especializado em Southern Rock, Jam Bands, Folk Rock e Country. Twitter: @southernrockbr.

Mais matérias de Filipi Junio no Whiplash.Net.

adGoo336