Billy Gibbons: ZZ Top, Hendrix, Doors, Stevie Ray Vaughan

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Spinner, Tradução
Enviar Correções  

Décadas depois de abrir para o JIMI HENDRIX EXPERIENCE, o guitarrista do ZZ TOP, Billy Gibbons se lembra claramente da sua música favorita de Jimi Hendrix ao vivo.

"Eles fizeram a versão mais legal de 'The Wind Cries Mary', que ainda é uma de minhas favoritas," disse Gibbons. "Uma das razões é que era tocado em um tom excêntrico – era em Fá. É um acima do Mi, que é fácil de tocar. O Fá é o mais difícil de se encontrar. Fazer seus dedos tocarem as cordas em Fá é excruciante. Mas não há nada igual ouvir um baixo atingir uma nota grave em Fá, e o Noel Redding tocando um velho grande baixo Fender, ele alcançava aquele Fá grave, e fazia o Jimi pirar, porque o abalava."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas o que ele mais se lembra dos shows ao vivo é a musicalidade – e os detalhes técnicos que poucos outros perceberiam.

"Claro, Jimi estava usando amplificadores Marshall, mas eles também estavam usando amplificadores Sunn, e essa era uma linha de amplificadores que foi desenvolvida por Norm Sundholm" disse Gibbons, que é algo como um historiador do rock. "Ele era o baixista do Kingsmen, que gravou a música ‘Louie Louie’. O Norm desenvolveu sua bem sucedida linha de amplificadores que era magnífica. O amplificador tinha um gabinete que podia reproduzir o Fá grave, que é a freqüência mais difícil."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Antes de estar no ZZ TOP, Gibbons estava em uma banda chamada MOVING SIDEWALKS, que abriu para o JIMI HENDRIX EXPERIENCE e THE DOORS. "Éramos grandes fãs do The Doors porque aquele primeiro disco é muito bluesy", disse Gibbons.

Foi quando estava abrindo para THE DOORS que Gibbons se aliou aos futuros colegas de banda do ZZ TOP Dusty Hill e Frank Beard. "Conheci eles através do Jimmy Vaughan, irmão mais velho do Stevie Ray", disse Gibbons. "O Jimmy e eu estávamos conversando uma noite. Ainda é assim hoje em dia – tem algo com os músicos do Texas; tem uma ligação. É essa coisa da admiração implícita, dividida que todos tem. É muito legal. Jimmy me apresentou ao Frank, o baterista, e então o Frank me apresentou ao Dusty, e nós nos demos bem."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não tardou para o trio fazer som junto pela primeira vez, em 1969. "Nos reunimos uma noite e partimos para uma jam com o tom em Dó", disse Gibbons. "Três horas depois, estávamos rindo e ainda tocando, pensando, ‘Há algo nisso’".




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?E-Farsas
Papa Francisco era fã do Black Sabbath?

Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336 Cli336