Blind Guardian: O lado mais cru e veloz em Battalions Of Fear

Resenha - Battalions Of Fear - Blind Guardian

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Luiz Paiz
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Blind Guardian, fantástico grupo alemão formado inicialmente como Lucifer's Heritage na década de 80, começou sua trajetória aqui, em seu primeiro álbum chamado "Battalions of Fear". Lançado em 1988, possui grande valor entre os fãs e também na discografia do grupo, pois mostra o lado mais cru que se tornaria a base a ser lapidada pela evolução dos músicos no futuro. Um speed metal que flerta diretamente com o trash, assim como fez o Helloween em "Walls of Jericho".

Blind Guardian: capa de novo álbum orquestrado é divulgadaCrianças: veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras

"Battalions of Fear" é um álbum muito muito bom. Pesado, veloz e de fácil assimilação. Você sairá cantando algumas melodias logo após a primeira audição. O que falta aqui é aprimoramento, o que não podemos exigir em um trabalho de estreia. Hansi ainda não tinha a experiência dos anos seguintes, sendo que não há aquelas grandes vocalizações que contribuem para enriquecer os refrãos. Seu foco aqui é tocar baixo e cantar como se fosse ao vivo. É um bom baixista, mas, quando se afastou do instrumento para se preocupar somente com os vocais, aí sim posicionou-se no topo da lista dos maiores vocalistas do metal de todos os tempos. A dupla de guitarristas André Olbrich e Marcus Siepen trocam solos e riffs pesados, demonstrando qualidade e técnica. Já Thomas "Thomen" Stauch, um monstro veloz e agressivo na batera. Fantástico!

"Majesty" abre os trabalhos. Um hino, figurando nos setlists da banda até os tempos atuais. Veloz, pesada e com ótimas linhas vocais, além de um refrão perfeito. Sete minutos que passam voando.

"Guardian of the Blind" começa com Stauch fuzilando os falantes. Speed Metal espetacular, com Hansi rasgando a garganta e ótimo refrão.

Com Hansi também atuando como baixista, era comum no período a inclusão de algumas faixas instrumentais. "Trial By The Archon" é curta e bem veloz, porém dispensável.

"Halloween - The Wizard's crow I'll take - on Halloween...". Ouça a melódica, também veloz e espetacular "Wizard's Crown", e fique como eu, cantando o refrão a todo instante.

Seguindo a linha do power metal mais melódico, "Run For The Night" trilha os mesmos caminhos, nos permitindo recordar do grande "Walls of Jericho", do Helloween. Uma pancada!

Cansou de balançar o pescoço? Quer descansar? Desista! "The Martyr" mantém o incansável Thomen Stauch fritando os bumbos, em mais uma faixa destruidora.

A faixa-título segue veloz, em mais um ótimo refrão. Aqui é possível ter uma leve impressão de que o álbum poderá começar a se tornar cansativo. Porém, felizmente não há tempo, pois "By The Gates Of Moria" chega de maneira instrumental, mudando os ares, realçando o trabalho das guitarras e concluindo os trabalhos.

Um álbum cru, veloz e pesado. Uma banda ainda começando a trilhar o seu caminho em destino a uma carreira muito bem-sucedida. A produção não é excelente, mas a qualidade das faixas e dos músicos consegue sobrepor este detalhe. Somando tudo isso, temos um grande álbum de estreia.

Tracklist:

Majesty 7:31
Guardian Of The Blind 5:11
Trial By The Archon 1:44
Wizard's Crown 3:50
Run For The Night 3:36
The Martyr 6:17
Battalions Of Fear 6:08
By The Gates Of Moria 2:53

Quer mais? Confira a página do 80 Minutos em:
https://80minutos.com.br

O 80 Minutos é um portal gratuito de avaliação de álbuns. Confira as resenhas e entrevistas dos nossos colaboradores e aproveite para dar a sua nota nos seus álbuns favoritos.


Outras resenhas de Battalions Of Fear - Blind Guardian

Blind Guardian: Som direto e matador em Battalions of Fear




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Blind Guardian"


Blind Guardian: capa de novo álbum orquestrado é divulgadaBlind Guardian
Capa de novo álbum orquestrado é divulgada

Blind Guardian: Em 1995, banda começa a ganhar o mundo

Rock: seis bandas que se inspiraram na cultura PopRock
Seis bandas que se inspiraram na cultura Pop

Blind Guardian: a carreira de modelo de Andre OlbrichBlind Guardian
A carreira de modelo de Andre Olbrich

1998: 40 discos de rock e metal que foram lançados há 20 anos1998
40 discos de rock e metal que foram lançados há 20 anos


Crianças: veja como cresceram as de Crianças
Veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras

Hall Of Fame: 500 Músicas Que Marcaram o Rock and RollHall Of Fame
500 Músicas Que Marcaram o Rock and Roll

Gosto duvidoso: As piores capas da história do Rock e Heavy MetalGosto duvidoso
As piores capas da história do Rock e Heavy Metal

Metallica: corrigindo a injustiça contra Jason NewstedMarilyn Manson: "Sou o monstro do Lago Ness! Sou o Bicho Papão!"Saxon: grunge foi bom para mostrar que o rock "não se trata de aparência"Slipknot: Corey Taylor explica o motivo de terem nove integrantes

Sobre André Luiz Paiz

André Luiz Paiz é formado em computação, funcionário público do estado de São Paulo e fanático por música. Criou o site colaborativo 80 Minutos para que os usuários se cadastrem e avaliem seus álbuns favoritos.

Mais matérias de André Luiz Paiz no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336