RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Damned: excentricidade e fúria no terceiro álbum do grupo

Resenha - Machine Gun Etiquette - Damned

Por Jonathan Silva
Postado em 26 de junho de 2013

O The Damned, com seu primeiro álbum "Damned, Damned, Damned", fez com que uma geração inteira pulasse frenética ao som de "New Rose", provando assim que bandas punks inglesas poderiam fazer um álbum completo de qualidade, sem se apegar a singles e EP's. Mas a quintessência do grupo iria atingir um nível muito maior de inovação a partir do seu terceiro álbum, "Machine Gun Etiquette", na qual todo o experimentalismo do grupo foi exposto de maneira brilhante e totalmente original, muito diferente de qualquer material feito pela cena na época. Brian James havia saído do grupo, ficando com seu lugar ocupado por Captain Sensible, antes baixista do grupo. Sensible também ficou responsável, junto com o vocalista Dave Vanian, com a parte criativa do álbum, que foi produzido com Roger Armstrong em conjunto com a banda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Logo de inicio, "Love Song" surpreende com um diálogo nonsense e seu refrão cínico ("Só para você, aqui está uma canção de amor [...]. E isso me faz feliz em dizer, foi um lindo dia, está tudo bem."), mas com uma velocidade feroz e impetuosa, que continua sem cessar com a faixa título, na qual Rat Scabbies toca como se fosse Phil "Philthy Animal" Taylor (baterista do Motorhead, que excursionou com o grupo durante o final da década). O pós punk de "I Just Can't Be Happy Today" tem como base o baixo de Algy Ward (substituto de Sensible) dando à música uma aura soturna e melancólica, fazendo com que o single chegasse a 46ª posição nos charts britânicos. Melody Lee (inspirada em um personagem da revista em quadrinhos Bunty) tem uma introdução melódica nada convencional, mas que explode em punk logo em seguida.
Há também momentos inusitados que mostram que o grupo estava disposto a criar algo ousado e genial. "Plan 09 Chanel 07", uma homenagem ao filme Plano 9 do Espaço Sideral, faz com que o ouvinte viaje a uma outra dimensão guiado pelo vocal hipnótico de Dave Vanian, mas é com "Smash it Up", dividida em duas partes, que o grupo mostra toda a sua energia acumulada. A primeira parte é uma homenagem a Marc Bolan, falecido anos antes e que apoiava de forma entusiasta o movimento punk. Já a segunda é um new wave energético e furioso, que criticava a cultura hippie de forma anárquica, fazendo com que o hit fosse banido da rádio BBC. Mesmo asssim, a canção ficou em 35º lugar nas paradas.
O disco também traz Looking At You (cover do MC5), "Noise Noise Noise", "Antipope" alem de faixas bônus e outros covers incluídas nos relançamentos do álbum. A capa, mostrando o grupo atravessando a rua com seus trajes altamente característicos, faz junto com as músicas um álbum clássico definitivo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Perc3ption: A arte em situações extremas

"Here Comes The Rain", último registro do Magnum com Tony Clarkin, é mais um bom registro

Resenha - Nebro - Vesperaseth

Sepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhante

Deep Purple: Who Do We Think We Are é um álbum injustiçado?

Deep Purple: Stormbringer é um álbum injustiçado?

Megadeth: recuperando a fúria que faltava


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Jonathan Silva

Jonathan Silva, freak de nascença, é um aspirante medíocre a jornalista e interessado em literatura marginal e vídeo games violentos. Começou a ouvir na infância bandas do mainstream do rock nacional até o momento em que descobriu o Iron Maiden. Daí, começou uma miscelânea de estilos, que vai desde o jazz erudito até o mais barulhento das bandas de grindcore, passando por várias esquisitices sonoras. EM pleno séc. XXI, ainda é um comprador de CDs e DVDs, só que gasta com isso um valor bem menor do que gostaria.
Mais matérias de Jonathan Silva.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS