Joey Ramone: Nível de elevado padrão de qualidade

Resenha - Ya Know? - Joey Ramone

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Nunes Campos
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Quando pus a mão no novo disco de Joey Ramone não pude evitar um sorriso no canto dos lábios. Trata-se de um punhado de faixas recuperadas do arquivo pessoal do ex-vocalista dos Ramones. O projeto foi capitaneado por Michey Leigh( irmão do Joey/produtor executivo) e Ed Stasium( produtor musical ) além de contar com a ajuda de amigos e convidados que fizeram parte da vida de Joey. Richie Ramone, Steven Van Zandt(E Street band), Joan Jett(Runaways), Bun E. Carlos(Cheap Trick) e outros tantos dão as caras em participações discretas que não nos deixam esquecer em nenhum momento quem é o artista principal. Normalmente em projetos como este as faixas são bastante variadas e compõem uma miscelânea sem sal.

Iron Maiden: as dez melhores músicas, segundo a LoudwireMusas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidade

Felizmente não é o que se observa nesse disco. As faixas apresentam um nível de elevado padrão de qualidade. Rock'n Roll is the answer surge com os vocais mágicos do velho Joey. Going Nowhere Fast veloz e pungente me pega de jeito... Como canta Joey?! Não daquela forma tecnicamente correta e sem feeling que acometem muitos no mundo da musica. Seu timbre característico e anos de batalha na cena rock tornaram-no um músico experiente que sabia como usar sua limitada voz. New York City me lembra como eu gosto de Ramones. Waiting for the railroad é daquelas baladas a la Stones, sensacionais que o mestre Joey sabia fazer com excelência. Rocks e sons garageiros ecoam aqui e ali em canções como I couldn't sleep, Seven Days of Gloom, Party Line. Sua voz evoca Bubblegum, Ronettes, Motown, Beach Boys, Beatles e os primórdios do Rock. Os mais chatos vão dizer que é sacrilégio musical escarafunchar no baú de gente morta, que se ele estivesse vivo as coisas seriam diferentes, blábláblá..... Joey Ramone tinha tudo pra dar errado na vida. Portador de Transtorno Obsessivo-Compulsivo grave com um histórico médico capaz de encher um livro de anomalias( Teratoma congênito na coluna vertebral, espinha bífida, Sindrome de Marfan etc...); Joey nos mostrou que apenas nós mesmos podemos escrever nossa historia e impor nossos limites. Sua vida foi salva pelo rock'n roll e Joey elevado a categoria de astro. Altamente recomendado para aqueles que esqueceram o que é rock'n roll.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Joey Ramone"


Joey Ramone: em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'RJoey Ramone
Em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'R

Ídolos imortais: Joey Ramone, o homem que agradou gregos e troianosÍdolos imortais
Joey Ramone, o homem que agradou gregos e troianos


Iron Maiden: as dez melhores músicas, segundo a LoudwireIron Maiden
As dez melhores músicas, segundo a Loudwire

Musas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidadeMusas do Metal Nacional
Combo de talento e sensualidade


Sobre Rafael Nunes Campos

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336