Cannibal Corpse: Entrosamento aliado à podridão musical

Resenha - Bloodthirst - Cannibal Corpse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Em meados da década de 90, o CANNIBAL CORPSE, que já era um gigante do death metal, passou por diversos problemas internos, que culminaram principalmente com a saída do vocalista Chris Barnes (SIX FEET UNDER), que era um dos grandes chamativos da banda. Contudo, mesmo após a saída do vocalista, a banda conseguiu força para continuar, e encontrou em George "Corpsegrinder" Fisher um frontman à altura de Barnes, além de aprimorar ainda mais a parte técnica instrumental de suas músicas, trilhando sua carreira de sucesso até os dias de hoje.

Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilHeavy Metal: "cristãos podem aprender muito com o gênero"

E após lançar o excelente "Vile" (1996) e bom "Gallery of Suicide" (1998), os caras colocaram no mercado, originalmente em 1999, este fantástico "Bloodthirst", o terceiro disco com George, que acaba de ser lançado no mercado nacional, mostrando ainda mais entrosamento aliado à podridão musical criada pela banda, em uma verdadeira aula de thrash metal técnico e vigoroso. Por óbvio, na época a banda ainda não tinha alcançado o nível de técnica atingido em, por exemplo, "The Wretched Spawn" (2004), mas mesmo assim conseguiu ampliar ainda mais seu número de fãs, construindo um material bem sólido e cativante.

Desde a abertura, com a "Pound Into Dust", até o encerramento, com "Condemned to Agony", passando pelas clássicas "Dead Human Collection" e "Raped by the Beast", o CANNIBAL CORPSE mostra como se fazer death metal técnico e brutal sem soar cansativo, com riffs e solos precisos (graças ao trabalho fantástico da dupla Jack Owens e Pat O'Brien), uma cozinha ultra técnica (o que Alex Webster toca é um absurdo!), e com os urros matadores de George, que fazem as caixas de som tremerem sem misericórdia.

A capa do material segue a mesma temática dos discos anteriores, prezando pelo gore, assim como a temática lírica das músicas, que apesar de extremamente brutais, soam até um pouco pueris, vez que, nessa época, a banda já havia amadurecido, e poderia ter adotado algo mais complexo.

Enfim, se você é fã de música extrema, eis a oportunidade de ter em sua coleção mais um grande registro do CANNIBAL CORPSE, sendo "Bloodthrist" um daqueles discos que não dá pra deixar passar!

Bloodthrist - Cannibal Corpse
(1999 - 2012 - Die Hard Records/Voice Music/Rock Brigade/Rock Machine - Nacional)

Formação:
George "Corpsegrinder" Fisher - Vocals
Jack Owen - Guitar
Pat O Brien - Guitar
Alex Webster - Bass
Paul Mazurkiewicz - Drums

Track List:

1. Pounded Into Dust
2. Dead Human Collection
3. Unleashing the Bloodthirsty
4. The Spine Splitter
5. Ecstasy in Decay
6. Raped by the Beast
7. Coffinfeeder
8. Hacksaw Decapitation
9. Blowtorch Slaughter
10. Sickening Metamorphosis
11. Condemned to Agony



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cannibal Corpse"


Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilCannibal Corpse: álbum "Torture" é relançado em versão deluxe no Brasil

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1992Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1992

Guitarras: as 15 músicas mais complicadas para tocarGuitarras
As 15 músicas mais complicadas para tocar

Melhores de 2012: as escolhas do redator Leonardo Daniel TavaresMelhores de 2012
As escolhas do redator Leonardo Daniel Tavares


Heavy Metal: cristãos podem aprender muito com o gêneroHeavy Metal
"cristãos podem aprender muito com o gênero"

Queen: algumas curiosidades sobre a bandaQueen
Algumas curiosidades sobre a banda

Iron Maiden: A tour de Powerslave quase acabou com a bandaIron Maiden
A tour de Powerslave quase acabou com a banda

Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaRafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In RioPra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 1995Guns N' Roses: Éramos mais Judas Priest que o Judas Priest!

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.