Blaze Bayley: Novo álbum destoa negativamente de anteriores

Resenha - King of Metal - Blaze Bayley

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 6

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Blaze Bayley tem uma carreira solo respeitável, repleta de ótimos discos. Álbuns como "Silicon Messiah" (2000), "Tenth Dimension" (2002), "Blood & Belief" (2004) e "The Man Who Would Not Die" (2008) são excelentes trabalhos, que trazem um heavy metal ao mesmo tempo tradicional, moderno e atual. Entretanto, "The King of Metal", sexto disco de estúdio do vocalista, destoa dos anteriores, e negativamente.
654 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa5000 acessosMax Cavalera: triste ver uma banda tão importante virar uma merda

Bayley Alexander Cooke passou por diversos problemas em sua vida pessoal nos últimos anos. A morte repentina de sua esposa Deborah, em 27 de setembro de 2008, marcou profundamente o vocalista, e não tinha com ser diferente. As letras de "The King of Metal" refletem o complicado momento atravessado por Blaze em sua vida pessoal, com uma transparência poucas vezes vista em um disco de heavy metal. Porém, um álbum não se faz apenas com boas letras.

Ao lado de Blaze estão os guitarristas Thomas Zwijsen e Andrea Neri, o baixista Matteo Grazzini e o baterista Claudio Tirincanti. Produzido pelo próprio Bayley, o disco é decepcionante. As faixas soam repetitivas e pouco inspiradas. A péssima produção torna essas características ainda mais evidentes, puxando tudo para baixo. A performance vocal de Blaze não é das melhores, o que compromete bastante o resultado final. Ouça “Beginning”, a última música do álbum, e comprove.

Há poucos momentos dignos de nota em "The King of Metal". O quarteto inicial, com a faixa-título, “Dimebag” (em homenagem ao falecido guitarrista do Pantera e com um bonito solo), “The Black Country” e “The Rainbow Fades to Black” (outra homenagem, agora a Ronnie James Dio), contém os pontos mais altos do disco e, mesmo assim, são composições, no geral, apenas medianas.

É elogiável o fato de Blaze Bayley, apesar de todos os problemas que passou – e ainda está atravessando – em sua vida conseguir lançar um novo álbum. Porém, é triste perceber que "The King of Metal" está muito abaixo não só de todos os seus excelentes discos solo, mas também de tudo o que ele gravou com o Wolfsbane e o Iron Maiden – aliás, vale a pena dar uma conferida em "Wolfsbane Save the World", grande álbum lançado pelo Wolfsbane recentemente, e que é muito superior a "The King of Metal".

Espero que Blaze consiga superar todos os obstáculos que a vida colocou em seu caminho, e volte a gravar álbuns com a qualidade que sempre gravou. "The King of Metal", infelizmente, é um disco indicado, com muita boa vontade, apenas para os fãs.

Faixas:
The King of Metal
Dimebag
The Black Country
The Rainbow Fades to Black
Fate
One More Step
Fighter
Judge Me
Difficult
Beginning

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de King of Metal - Blaze Bayley

3904 acessosBlaze Bayley: Pior trabalho de sua excelente carreira solo3539 acessosBlaze Bayley: História de vida em forma de disco

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 19 de março de 2012
Post de 04 de abril de 2012

Iron MaidenIron Maiden
Show do Ghost é melhor, diz reportagem

654 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa453 acessosIron Maiden: Iron Maiden Ex Libris aborda as letras da donzela425 acessosThunderstick: ex-batera do Samson e Iron Maiden lançará novo disco0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
"O que você precisa saber sobre a banda está no palco!"

Iron MaidenIron Maiden
Uma análise sobre os últimos anos da Donzela

Iron MaidenIron Maiden
A ascenção, queda e ressurreição da Donzela

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Blaze Bayley"0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

Max CavaleraMax Cavalera
Triste ver uma banda tão importante virar uma merda

Ultimate GuitarUltimate Guitar
As 28 canções mais sombrias de todos os tempos

David BowieDavid Bowie
A última foto pública e a última foto privada

5000 acessosQuais são os rockstars mais chatos do mundo?5000 acessosSílvio Santos: "The Number Of The Beast" em ritmo de festa5000 acessosAC/DC: as 10 melhores músicas da banda com Bon Scott5000 acessosOzzy Osbourne: Madman revela pacto de suicídio com esposa Sharon3325 acessosAvenged Sevenfold: baterista de 10 anos detonando "Nightmare"5000 acessosRegis Tadeu: a experiência única de ouvir os álbuns do Rammstein

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online