Andre Matos: Nada clássico, mas digno de sua carreira

Resenha - Mentalize - Andre Matos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fernando Queiroz
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Depois de dois anos do lançamento de Time To Be Free, Andre Matos voltou com o bom Mentalize, mais direto e menos melódico, o que pode desagradar algumas pessoas, mas sem duvidas não tira a qualidade do álbum, que se mostra muito superior a seu antecessor.
1937 acessosAngra: Os primórdios de Angel's Cry antes da Demo Reaching Horizons5000 acessosSeparados no nascimento: Ozzy Osbourne e Jim Carrey

O disco começa com a enigmática Leading On, com um início muito misterioso e cadenciado, e que entra em um refrão forte e marcante, com coros muito bem colocados.

Ja em I Will Return, a música começa com um coro bem animado, o que continua na música, a animação.

Someone Else é uma canção mais progressiva e pesada, vale pelo solo, que é excelente.

Já emenda em Shift The Night Away, que é uma típica música de Power Metal ao estilo de bandas tradicionais do estilo, como as anteriores de Andre.

Back To You é uma das baladas do disco. Muito bonita e com coros muito bem colocados. Merece destaque, pois é lindíssima mesmo.

A faixa-título do álbum começa bem normal, nada acima da média, mas o refrão é bem marcante, e a música continua muito boa, apesar de nada diferente.

The Myriad é, na minha opinião, a pior do disco. Muito parada e simples, mas nada que tire o encanto do álbum.

Já When The Sun Cried Out é outra faixa mais progressiva com aspectos bem melódicos. Conta com uma introdução matadora!

Mirror Of Me é uma música boa, mas, assim como Shift The Night Away, não faria falta no disco, visto que não é nada diferente de qualquer coisa que já se ouviu.

Violence é outra música mais Power Metal, digna de grandes nomes do estilo. Muito empolgante, ficaria ótima ao vivo.

A Lapse In Time é uma das melhores do álbum! Uma balada lindíssima só com piano e voz.

PowerStream é outra mais power, digna de encerramento de disco, muito empolgante e gostosa de se ouvir.

A versão brasileira do álbum ainda traz uma regravação excelente de canção do Angra que nunca foi lançada em álbum nenhum se não a demo Reaching Horizons. A música segue os padrões da original, mas muito melhor gravada e mixada.

O álbum é bom. Nada fora de série, ou que seja lembrado no futuro como clássico, ou coisa assim, mas digno da carreira de um músico como Andre Matos.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

AngraAngra
Banda reage à tragédia com Adrenaline Mob

1937 acessosAngra: Os primórdios de Angel's Cry antes da Demo Reaching Horizons960 acessosAngra: mais um vídeo das gravações do novo álbum1923 acessosBlind Guardian e Rhapsody: Como seria Hansi e Lione cantando juntos?2692 acessosAngra: Uma rara versão acústica de "Carry On" com Andre Matos0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

VozVoz
10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas (Parte I)

AngraAngra
Quem Kiko Loureiro acha que deve ocupar a sua vaga?

AngraAngra
Rafael dando aula de bateria para Bruno Valverde

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Andre Matos"0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Ozzy Osbourne e Jim Carrey

Luís Mariutti para Nando MouraLuís Mariutti para Nando Moura
"Estádio não se lota com views ou likes"

Total GuitarTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história

5000 acessosVelocidade: Top 10 de músicas de Metal para ser multado5000 acessosMetromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rock5000 acessosSlash: Um dia Michael Jackson ficou puto com ele?5000 acessosBlack Sabbath: o riff de "Paranoid" foi copiado de outra banda?5000 acessosSoundgarden: Matt Cameron faz breve comentário sobre Chris Cornell4294 acessosIron Maiden: a homenagem à Nintendo em "Speed Of Light"

Sobre Fernando Queiroz

Fernando Queiroz ama o metal como sua vida. Vive no meio nacional ha 6 anos e não se arrepende de nada. Colabora com o Whiplash desde 2007. Nas horas vagas, Fernando, ou Fe Luppi, como eh chamado pelos amigos, é estudante de Relações Internacionais.

Mais matérias de Fernando Queiroz no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online