Destruction: uma sonoridade incrivelmente inesperada

Resenha - D.E.V.O.L.U.T.I.O.N - Destruction

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bruno Pasquini
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


25 anos de estrada não foi o bastante para esgotar a criatividade e a pegada desta vigorosa banda alemã de Thrash Metal. Schimier, Mike e Marc Reign conseguiram de novo, o mais novo trabalho do DESTRUCTION é forte candidato ao play Thrash do ano. E embora o Destruction não seja lá muito chegado em experimentações, “D.E.V.O.L.U.T.I.O.N.”, o trabalho em questão traz uma sonoridade incrivelmente inesperada.
5000 acessosAs tatuagens de Rob Halford5000 acessosSeparados no nascimento: Ritchie Blackmore e Mr. Bean

É no mínimo admirável que após tantos anos, o baixista e vocalista Schmier ainda mantenha a mesma energia e paixão pela música pesada, e parece disposto a evoluir e não repetir apenas o que já fez durante sua longa e bem sucedida trajetória.

Embora em um primeiro momento você pense consigo mesmo "putz, já ouvi isso antes", “D.E.V.O.L.U.T.I.O.N.” se mostra com uma pegada atual e cheia de inovações, a começar pela produção de Jacob Hansen até os riffs avassaladores, pesados e quebrados de Mike Sifringer. Alguns têm até certo groove, como “L.ast Desperate Scream” e, no geral, o Destruction está mais veloz e agressivo do que em 'Metal Discharge e 'Inventor of Evil'.

A variedade de andamentos, inclusive, é o ponto forte do trabalho, pois prende a atenção do ouvinte e não deixa que as faixas soem todas parecidas. A inovação não pára na produção, vale mencionar as participações especiais dos guitarristas Gary Holt (Exodus) e Jeff Waters (Annihilator) em “U.rge (The Greed of Gain)”, além do solo 'fodástico' de Vinnie Moore (Ufo) em “V.icious Circle - The Seven Deadly Sins”.

Algumas dessas faixas são aguardadas no set-list dos shows que o DESTRUCTION fará em Fortaleza e em São Paulo neste final de semana e na terça-feira em Porto Alegre, prometendo sacudir estas cidades com sua passagem apocalíptica.

O review desta apresentação de Porto Alegre estará disponível aqui no Whiplash logo após o show, para reavivar a memória dos headbangers que acompanharam a destruição e para causar uma certa sensação de arrependimento aos desafortunados que deixaram essa oportunidade de presenciar uma verdadeira aula de Thrash passar.

Believe, believe, believe in Thrash Metal!!!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Destruction"

Metal AlemãoMetal Alemão
About.com elege as melhores bandas

Thrash MetalThrash Metal
Álbuns injustiçados nos anos noventa.

Metal HeavyMetal Heavy
10 clássicos para entender o Thrash Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Destruction"

HalfordHalford
O que há escondido sob a roupa de couro?

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Ritchie Blackmore e Mr. Bean

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Joe Satriani e Lord Voldemort

5000 acessosManowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted Sister5000 acessosTotal Guitar: os melhores e piores covers da história5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história5000 acessosFoo Fighters: tentaram cover de Yes mas era difícil, tocaram Rush5000 acessosPower Metal: As bandas mais populares segundo o Facebook5000 acessosSlipknot: Vivendo a Vida Loca com Rick Martin

Sobre Bruno Pasquini

24 anos, de São Paulo - SP, publicitário. Trabalha com marketing promocional na Editora Abril.

Mais matérias de Bruno Pasquini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online