Resenha - Gods Of War - Manowar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6


Depois de 5 anos e alguns DVDs, o Manowar lança "Gods Of War", primeiro CD de estúdio depois do fraco "Warriors Of The World" (2002). Se a maré já não estava muito boa, ela não melhora nem um pouco.

Queen: Bowie, Mercury e a história de Under PressureKiss: as 10 músicas mais "demoníacas" da banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A verdade é que depois do maravilhoso "The Triumph Of Steel" (de 1992) e do mediano "Louder Than Hell" (1996), a banda ficou bastante ociosa em relação a material - de qualidade - de estúdio. As novas composições não são comparáveis com os antigos clássicos e o grupo continua com sua pior formação da história. Scott Columbus é um baterista medíocre e Karl Logan não é um guitarrista criativo, o que contribui bastante para o resultado final de "Gods Of War" ser bem abaixo das expectativas. Saudade dos tempos de Ross The Boss e David Shankle.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A primeira parte da trilogia que o Manowar pretende lançar sobre o universo dos deuses da guerra da mitologia nórdica é dedicada à figura Odin, Deus da Guerra. Até aí, mais Manowar impossível. Mas não é só com um belo tema que se faz um bom CD. Entre as 15 faixas (a última, "Die For Metal", é bônus), algumas são apenas narrações, outras são arranjos orquestrados e, por fim, o restante é uma série de músicas isoladas entre si, que perdem bastante força por estarem separadas. Só "Achilles", a primeira faixa - de quase 30 minutos - do disco "Triumph Of Steel", é mais épica, pesada e inspirada do que os quase 75 minutos gravados aqui. Com menos pompa e bem menos pretensão.

Falta punch, e com pouquíssimos riffs de guitarra (a maioria sem nenhuma criatividade) durante toda audição do CD, o trabalho fica a cargo de Eric Adams, que continua (graças a Odin) como um dos melhores cantores do estilo. Com interpretações emocionantes e técnica irrepreensível, o vocalista é, de longe, o maior destaque de "Gods Of War" e consegue dar alguma credibilidade ao trabalho desenvolvido.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bons momentos? Sim, eles existem. A já conhecida "King Of Kings", a excelente "Sons Of Odin" (totalmente Manowar), e as épicas "Gods Of War" e "Odin" são prova disso. Mas mesmo com esses momentos (finalizando com a já citada - e divertidíssima - "Die For Metal"), quando o CD acaba, parece que ainda falta alguma coisa. E falta o que eles mais defendem, boas músicas de heavy metal.

Formação:
Joey De Maio - Baixo/Teclados
Eric Adams - Vocais
Scott Columbus - Bateria
Karl Logan - Guitarras

Faixas:
"Overture To The Hynn Of Immortal Warriors"
"The Ascension"
"King Of Kings"
"Army Of The Dead, Part I"
"Sleipnir"
"Loki God Of Fire"
"Blood Brothers"
"Overture To Odin"
"The Blood Of Odin"
"Sons Of Odin"
"Glory Majesty Unity"
"Gods Of War"
"Army Of The Dead, Part II"
"Odin"
"Hymn Of The Immortal Warriors"
"Die For Metal"

2007 - Hellion Records (NACIONAL)

Site Oficial: http://www.manowar.com


Outras resenhas de Gods Of War - Manowar

Manowar: epopéia grandiosa e apoteóticaManowar: "Gods Of War" soa pretensioso demais?

Manowar: Gods of War é uma obra-prima sem precedentesManowar
Gods of War é uma obra-prima sem precedentes




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Manowar"


Eric Adams: caça é um estilo de vidaEric Adams
"caça é um estilo de vida"

Manowar: Teria Scott Columbus cometido suicídio?Manowar
Teria Scott Columbus cometido suicídio?


Queen: Bowie, Mercury e a história de Under PressureQueen
Bowie, Mercury e a história de Under Pressure

Kiss: as 10 músicas mais demoníacas da bandaKiss
As 10 músicas mais "demoníacas" da banda


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adGoo336