Resenha - Back For My Life - Masterplan

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Clóvis Eduardo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Fui obrigado a me render a este EP por motivos óbvios. Estranho sermos tão fanáticos por algumas bandas, não é mesmo? Mas às vezes a qualidade faz valer a pena uns trocados a menos. Está duvidando que o material é tão bom assim? Então faça uma pesquisa aqui mesmo pelo Whiplash! Procure por EPs que tenham tantas músicas quanto tem este aqui. "Back For My Life" é um peixe fora d'água no quesito "CDs ridículos" em que as gravadoras, ou as próprias bandas gostam de investir. Mas fique ciente que este cd tem, mas ao mesmo tempo não tem seis faixas. Curioso não?

Bizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James DioTop 500: as melhores de todos os tempos segundo a Rolling Stone

Está começando a entender? São seis músicas que nem que eu queira, são o suficiente, mas mostram que bons músicos unidos fazem de poucas canções um trabalho marcante. Duas músicas são inéditas, duas estão presentes no álbum e duas se repetem. Dá a entender que o que eles querem mesmo é que o fã invista no disco, invista no EP, e que busque mais. Os preços nas lojas não são muito convidativos, mas saiba que cada centavo contado valerá muito à pena.

Roland Grapow (guitarra), Uli Kusch (bateria), Jorn Lande (vocal), Jans Eckert (baixo) e Axel Mackenrottn investiram em duas músicas bem legais como inéditas. "Love is a Rock" nem deveria ter ficado fora do álbum recém lançado, já que possui uma maestria digna de estar presente entre as melhores e mais lembradas de "Aeronautics". Já "Killing Time" é precisa no que se diz respeito a uma música bem tocada e composta, mas não se adequaria aos grandes destaques do CD. E se você quiser cantá-la sem o "pouco talentoso" Jorn Lande incomodando, pode optar pela faixa instrumental. Viu que chique?

Back For My Life, uma das mais cadenciadas, é repetida por duas vezes, com versões diferentes, mas nem tanto (sem ironia). O fato de uma passagem ou outra ficarem de fora não mudou muito na minha vida e espero não revolucionar a sua. Mas Se Jorn, Uli ou Roland sofreriam colapsos nervosos pelas duas não estarem presentes, acho melhor deixar mesmo. Assim, quem comprar apenas o EP, (uma coisa que eu de forma alguma indicaria) terá mais minutos de Masterplan, mesmo que de maneira repetitiva.

Do álbum vem também a destruidora "Crimson Rider". Boa música, e que rendeu um esboço de uma paixão de Roland Grapow na composição. Adorador de aviões de guerra, principalmente dos mais antigos, revelou que uma boa faixa de Heavy Metal deve soar como um motor e uma artilharia, e nesta faixa, ele se deu bem na intenção.

No final das contas, "Back For My Life" é sim um caça níquel, mas bem diferente dos que estamos acostumados a ver por aí. Tem até faixa multimídia, o que no caso, hoje, já não é uma regalia tão grande.


Outras resenhas de Back For My Life - Masterplan

Resenha - Back For My Life - Masterplan




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Masterplan"


Helloween: banda rejeitou música que se tornaria clássico do MasterplanHelloween
Banda rejeitou música que se tornaria clássico do Masterplan

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2003Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2003

Uli Kusch: Michael Jackson utilizava ingredientes do Metal em seu trabalhoUli Kusch
"Michael Jackson utilizava ingredientes do Metal em seu trabalho"


Bizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James DioBizarre Magazine
Quão bizarro é... Ronnie James Dio

Top 500: as melhores de todos os tempos segundo a Rolling StoneTop 500
As melhores de todos os tempos segundo a Rolling Stone

Bruce Dickinson: deixando o cabelo crescer novamente em ato de rebeldiaBruce Dickinson
Deixando o cabelo crescer novamente em ato de rebeldia

Fotos de Infância: Dave Mustaine, do MegadethFotos de Infância
Dave Mustaine, do Megadeth

Sgt. Peppers: O mais importante disco da história?Sgt. Peppers
O mais importante disco da história?

Slash: Adele é uma injeção no braço da indústriaSlash
"Adele é uma injeção no braço da indústria"

Ozzy Osbourne: quem manda no Black Sabbath é o Tony IommiOzzy Osbourne
Quem manda no Black Sabbath é o Tony Iommi


Sobre Clóvis Eduardo

Clóvis Eduardo Cuco é catarinense, jornalista e metaleiro.

Mais matérias de Clóvis Eduardo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336