Resenha - Best of 1990 1999 - Yngwie Malmsteen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

7


O único ser humano capaz de ser mais rápido que um foguete é Yngwie Malmsteen. A maneira como ele "frita" notas é impressionante, e aliada a sua técnica e habilidade como compositor rendeu ao mesmo um local no pódio dos melhores guitarristas da atualidade. Mas o fato é que o cara andou em baixa no final dos anos 80 e durante parte dos anos 90. Se ainda continuava tocando barbaridades, como sempre, o mesmo não podia ser dito de seus álbuns. Alternando momentos inspirados com medíocres demostrações de virtuosismo, Malmsteen passou a década de 90 tentando se re-encontrar. O que fez no final dos anos 90, e mantém regularmente durante os anos atuais.

Esta coletânea é centrada de 1990 a 1999 ("Seventh Sign" até "Alchemy") e ratifica o que foi dito acima. Iniciando os trabalhos, a versão para "Gimme, Gimme, Gimme" do mais que "coverizado" ABBA ficou excelente. Os vocais de Mark Boals funcionaram muito bem, e Yngwie soube dosar seus solos com o andamento da música. Mas nem tudo são flores. Se "Never Die" e "Facing the Animal" são maravilhosas, "Brothers", "Vengeance" (com os vocais do talentoso Michael Vescera) e "Like an Angel" deixam muito a desejar. Já as versões ao vivo de "Rising Force" (com o excepcional Mats Léven nos vocais) e "Gates of Babylon" do Rainbow ficaram bem intberessantes.

publicidade

Quer um conselho? Pare por aí.... nem ouça "Blue", "Hangar18, Area51" e "Cavalino Rampante"... você não estará perdendo nada, e poupará seus ouvidos de excessos de solos, que ofuscam o instrumental e os vocais. Quem reclama da falta de material clássico neste CD deve entender que o mesmo abrange outra época da carreira do guitarrista, portanto nada de "I’ll see the Light Tonight" ou algum dos covers de "Inspiration" (CD lançado em 1995).

publicidade

Um produto para quem curte toda a carreira do sueco... mas quer uma dica? Pule este "best of" e vá direto para "Attack" e "Unleash the Fury", aonde o gorducho guitarrista re-aprendeu como fazer música com sua guitarrra... vai por mim!!!

Material Cedido por:
ST2 MUSIC
http://www.st2.com.br




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Steel Panther: por que Eddie Van Halen foi melhor que Malmsteen, segundo SatchelSteel Panther
Por que Eddie Van Halen foi melhor que Malmsteen, segundo Satchel

Iron Maiden: não daria certo se fossem três Yngwie Malmsteens na guitarraIron Maiden
Não daria certo se fossem três Yngwie Malmsteens na guitarra


Mikael Akerfeldt: Yngwie Malmsteen é um grande guitarrista, mas só tem feito merdaMikael Akerfeldt
Yngwie Malmsteen é um grande guitarrista, mas só tem feito merda

Yngwie Malmsteen: humilde, ele diz que seu primeiro disco salvou a FenderYngwie Malmsteen
Humilde, ele diz que seu primeiro disco salvou a Fender


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin