Resenha - Unleashed In The East - Judas Priest

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Swancide
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


À primeira vista, um dos melhores discos ao vivo de todos os tempos, documentando a banda-símbolo do Heavy Metal no fim dos anos 70 e início dos 80.
10 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosMötley Crüe: a ousada tattoo de modelo paulista em tributo à banda

Claro, estamos falando do JUDAS PRIEST, então no seu auge, após quatro clássicos em seguida, expandindo o vocabulário do Heavy Metal para além do legado glorioso do BLACK SABBATH. Sad Wings Of Destiny, Sin After Sin, Stained Class, Hell Bent For Leather já tinham mostrado qual era a melhor banda do estilo em estúdio. Faltava, então, documentar toda a experiência, JUDAS PRIEST tocando seus clássicos em frente a platéias sedentas.

Pena que, coisa comum nos anos 70, o disco foi substancialmente refeito em estúdio. Por exemplo, Rob Halford, o eterno vocalista do JUDAS, confessou em entrevistas que seus vocais tinham sido gravados de forma terrível ao vivo, sendo depois refeitos INTEGRALMENTE em estúdio, num só take.

À parte essa decepção, o disco é um poderoso documento da melhor banda de Heavy Metal do mundo anabolizando seus números mais marcantes com peso e velocidade inauditos no período pré-Thrash (sem aquela sujeira toda do MOTORHEAD, claro).

A influência do JUDAS no Heavy Metal era clara à época e hoje, inegável. Confira por si quantos desses números deram nome a bandas e discos (e plágios): "Running Wild" (em versão venenosa com as guitarras duplas de KK Downing e Glenn Tipton uivando como nunca antes), "Exciter" (cujo riff apareceria depois em "Wicker Man", dos rivais IRON MAIDEN), "Genocide" (mais rápida, mas menos pesada que a original), "The Ripper" (com Halford rasgando o gogó como seu substituto Tim Owens - "batizado" pelos fãs com essa música - jamais conseguiria), "Victim of Changes" (borrando com tinta metálica a linha que separa as duas partes dessa grande canção, a primeira cortesia do vocalista original Al Atkins, a segunda um antigo número da banda solo de Rob Halford, HIROSHIMA), "Sinner" (em sua versão definitiva, com Ian Hill assombrando no baixo e Les Binks matando na bateria) e a subestimada "Tyrant", um dos clássicos perdidos de Sad Wings.

O disco ainda conta com duas covers extraordinárias, demonstrando a versatilidade do JUDAS em transcrever canções de outros estilos para o vocabulário do Heavy Metal. "Diamonds and Rust", da cantora folk JOAN BAEZ, se torna uma melancólica câmara de texturas mórbidas e riffs desencapados. "The Green Mahalishi (With The Two-Pronged Crown)", clássico Blues do FLEETWOOD MAC da fase Peter Green, é eletrocutado como seus autores jamais teriam pensado.

Enfim... Um disco que supera com sobras seu "mal de origem", tornando-se adição obrigatória na discoteca do apreciador de Heavy Metal e JUDAS PRIEST. 44 minutos de energia incessante. Ao vivo e em estúdio.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MastodonMastodon
Dailor sofreu após Hinds dizer que Judas Priest não é metal

10 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores1481 acessosLoudwire: em vídeo, os 10 maiores riffs de metal dos 80's456 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Judas Priest"

Judas PriestJudas Priest
Rob Halford lista 11 melhores filmes de terror

"Ripper" Owens"Ripper" Owens
A origem do apelido, Judas Priest, Iced Earth e mais

MegatallicaMegatallica
Iron Maiden + Judas Priest em "The Wicker Eye"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Judas Priest"

Mötley CrüeMötley Crüe
A ousada tattoo de modelo paulista em tributo à banda

MetallicaMetallica
Garoto de 10 anos destrói com Enter Sandman em programa de TV

Whiplash.NetWhiplash.Net
O site publica matérias pagas ou protege quem anuncia?

5000 acessosPearl Jam: banda tenta tocar Rush em homenagem a Geddy Lee mas desiste5000 acessosRatos de Porão: O elogio de João Gordo aos garotos do Restart5000 acessosBehemoth: Nergal mitando em foto no Aeroporto de Guarulhos5000 acessosSlash: arrepiando no hino nacional norte americano antes de jogo2371 acessosRonnie James Dio: em propaganda de Budweiser de 19834192 acessosRandy Blythe: puto com fã no memorial de Oderus Urungus

Sobre Swancide

Swancide é resenhista musical desde 1998 e líder da banda minimalista OBLIQUE. Além do Whiplash, publica em diversos sites. É o resenhista de fora da América do Norte mais popular no site mundial de resenhas Epinions. É fã de quase todos os estilos de Rock e uma penca de outros.

Mais matérias de Swancide no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online