Resenha - Caught In The Game - Survivor

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo
Enviar correções  |  Ver Acessos


Bem, o que dizer de Caught In The Game de 1983, último disco com a formação pioneira do Survivor? Se não é uma obra-prima, pelo menos não perde em qualidade e mantém o nível da banda, afinal a banda impressionou ano passado com Eye Of The Tiger, é óbvio que as composições do próximo seriam menos motivo de vibração, porém o disco é ótimo.

Dream Theater: os segredos do álbum OctavariumHumor: O dia em que Steve Vai foi humilhado por Chimbinha

A começar pela vibrante e marcada faixa título, "Caught In The Game", seguida pela apenas marcada "Jackie Don't Go". A seguir vem a mela-cueca "I Never Stopped Loving You", cujo único atrativo é o solo de guitarra. O ritmo acelera de novo com "It Doesn't Have To Be This Way", música cativante, porém, quase sem nenhum atrativo especial, a não ser o solo de guitarra que mais uma vez salva uma música, e que solo! Depois dizem que o solo de guitarra está morto! Quem apostar nessa afirmação nos próximos anos vai se arrepender e muito, pois um bom solo de guitarra bem executado, sempre é bem vindo, e pode salvar uma música!

Logo, ouve-se a introdução quase épica de "Ready For The Real Thing", mais uma vez cativando o ouvinte com sua batida arrastada, boas linhas melódicas e um solo de guitarra bem colocado. Em seguida temos "Half-Life", uma cópia exata de "American Heartbeat" do album anterior, inclusive nas linhas de sinths. Porém, com riffs de guitarra interessantes e um solo muito bom. Depois, temos "What Do You Really Think", que aparenta não ter nada de interessante, e não decola, porém, acaba se salvando a partir dos 2:00 minutos, com uma melodia bem legal e depois entra em queda-livre de novo.

"Slander" começa com uma excelente introdução, e segue sem maiores surpresas, com uma batida marcante, porém, mostra-se poderosa e cativa o ouvinte com um riff matador, e acaba decolando, porém, poderia ser menos repetitiva no refrão. Solo de guitarra matador, mais uma vez, usando e abusando de escalas e efeitos de alavanca, seguido por uma excelente linha melódica de sinths e voltando no refrão. Excelente! É assim que se toca e cativa! Para terminar a balada "Santa Ana Winds", bonita música de encerramento.

Assim termina a fase Dave Bickler no Survivor, com um disco não muito bom, mas que também não deixa a desejar e mostra muito potencial.

FRANKIE SULLIVAN(G, Vo)
JIM PETERIK(G, Key, Vo)
DAVE BICKLER(Lead Vo, Key)
STEPHAN ELLIS(B)
MARC DROUBAY(Dr)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por escolha do autor os comentários foram desativados nesta nota.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Survivor"


Mundo AOR: dicas de álbuns do gênero para se ouvirMundo AOR
Dicas de álbuns do gênero para se ouvir

Para entender: o que é AOR?Para entender
O que é AOR?


Dream Theater: os segredos do álbum OctavariumDream Theater
Os segredos do álbum Octavarium

Humor: O dia em que Steve Vai foi humilhado por ChimbinhaHumor
O dia em que Steve Vai foi humilhado por Chimbinha


Sobre Ricardo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336