Resenha - Echos - Lacrimosa

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

7


Taí uma banda complicada para resenhar. Os alemães do Lacrimosa (de fato apenas Tilo Wolff e Anne Nurmi) se utilizam de uma mistura de estilos que vai do clássico, passando pelo gótico, com algumas passagens pop e metal. Ou seja, uma mistureba dos diabos. E se saem bem. Apesar de particularmente ter sentido a falta de peso em seu antepenúltimo cd ("Elodia") o seu sucessor ("Fassade") veio para corrigir tal erro. E agora, após serem aclamados como um dos melhores nomes do cenário gótico, a banda solta mais um petardo, o aguardado "Echos". Mas, o que se esconde no caldeirão de Tilo e Anne?

publicidade

"Kyrie", a primeira faixa, não dá grandes pistas. Trata-se de um instrumental de 12 minutos com uma orquestra afinadíssima e uma sonoridade que serviria de trilha sonora para qualquer seqüência épica de filmes. Soa agradável aos ouvidos, mas torna-se cansativa pelo exagero de movimentos, de andamentos. Já "Durch Natch and Flut" (ou "Through Night and Flood’, já que o encarte traz a letra como ela é cantada em alemão e sua tradução para o inglês) já soa mais agradável, com a orquestra sendo complementada por um ritmo mais pop, aonde contrastam as vozes de Tilo e Anne, com um belo resultado. A levada mais agitada compensa muito.

publicidade

O Lacrimosa peca neste cd por abusar de climas, de arranjos exagerados e por tentar criar uma atmosfera densa, que soa por demais cansativa, como ocorre em "Sacrifice" (com seus 9 minutos que se fossem 4 seriam bem menos enjoativos). Já "Apart" (ou "Getrennt" – esta é cantada em inglês), soa bem mais agradável, com a banda economizando, sendo mais compacta e a voz de Anne soando como um sussurro agradável.

publicidade

O resto do cd mantém a temática inicial de fusão de orquestra-gótico-rock-pop, com bons resultados, como na melancólica "Ein Flauch Von Menschlichkeit" (ou "A Touch of Humanity") e na emotiva (a orquestra aqui está muito bem colocada, sem os exageros) "Eine Natch in Euvigkeit" (ou "One Night in Eternity") e na mais pesada "Malina" (com belos arranjos de teclados). Mas quando tudo ia bem, eis que o cd fecha com "Die Schreie sind Verstummt" (ou "The Screams are Silenced") com mais 12 minutos de excessos, alternâncias de andamento e orquestras em exagero, sendo um final entediante.

publicidade

É injusto afirmar que trata-se de um cd ruim. Nem de longe. Há um cuidado todo especial na produção, na elaboração e composição. Mas o Lacrimosa precisa decidir se vai compor óperas exageradas ou músicas mais compactas. Nada contra a banda, mas uma ou duas músicas mais diretas seriam o ideal. No geral, um cd razoável.

Site oficial: Http://www.lacrimosa.com

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Idioma: bandas que já cantaram em sua língua natalIdioma
Bandas que já cantaram em sua língua natal


Queen: Estaríamos fazendo música se Freddie estivesse vivo, mas não sei de JohnQueen
"Estaríamos fazendo música se Freddie estivesse vivo, mas não sei de John"

U2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da bandaU2
As 10 melhores músicas de todos os tempos da banda


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin