Resenha - MTV Ao Vivo - Nando Reis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Nascimento
Enviar correções  |  Ver Acessos


Neste MTV ao Vivo, Nando Reis mostra ao público versões de seus maiores sucessos ao vivo, consolidando de vez a sua banda "Os Infernais", com o nome pela primeira vez na capa do cd.

Filmes sobre rock: A história do gênero no cinemaDe AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rock

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não curto muito discos ao vivo, mas nesse disco Nando retoma a veia roqueira do disco "Infernal", onde ele também faz releituras de sucessos seus gravados pelos Titãs, por outros artistas e por ele mesmo. Inclusive as músicas "doces" do disco anterior "A Letra A", como por exemplo a faixa título, ficaram mais animadas, roqueiras mesmo. O que dizer, por exemplo, da faixa "Luz dos Olhos", ufa! Uma versão de quase sete minutos de tirar o fôlego.

Nando Reis, que mesmo fora dos Titãs, já possui uma longa carreira, desfila hits mostrando que mesmo em um disco de dezoito faixas (4 inéditas), ele se dá ao luxo de deixar alguns hits seus de fora. Isso prova que já estava na hora mesmo de Nando lançar um disco ao vivo, e traçar uma espécie de ponto zero em sua carreira.

O público, que compareceu ao bar Opinião em Porto Alegre, retribui o privilégio de assistir a gravação do álbum com muito afinco, a galera aplaude e canta o tempo todo junto com Nando, em "O Segundo Sol", por exemplo, o barulho do público é ensurdecedor.

As músicas novas servem para confirmar o excelente momento que Nando vem passando, "Mantra", que está tocando nas rádio é linda, uma parceria de Nando com Arnaldo Antunes que lembra a fase solo de George Harrison, conta com as versões ao vivo e estúdio no álbum, todas com a participação do grupo "Hare Krishnas" no coro. "Por onde andei", é uma bonita balada que carrega o estilo particular de Nando de compor. "Quase que dezoito", é daquelas que tem o refrão fácil de cantar e melodia grudenta, na primeira audição você já aprende a cantar. "Pomar" traz a participação da banda gaúcha Ultramen e também é super divertida.

Enfim, o álbum é um passeio por quase vinte anos de música, e nos proporciona momentos super prazerosos, como o "link" de "Meu aniversário", do primeiro disco, para a música "Relicário". Vale o investimento.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Nando Reis"


Nando Reis: resolvido o mistério da música Segundo SolNando Reis
Resolvido o mistério da música "Segundo Sol"

Nando Reis: Ele acha as letras do sertanejo pouco desenvolvidasNando Reis
Ele acha as letras do sertanejo pouco desenvolvidas


Filmes sobre rock: A história do gênero no cinemaFilmes sobre rock
A história do gênero no cinema

De AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rockDe AC/DC a ZZ Top
Origens dos nomes de bandas e artistas de rock


Sobre Anderson Nascimento

Anderson Nascimento é Analista de Sistema e Professor Universitário de profissão, tendo cursado Pós-Graduação em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas na PUC-RJ. Sua grande paixão é a música, começou a colecionar discos ainda na época do vinil, em 1986, com o álbum Abbey Road dos Beatles. Esse foi o primeiro passo para esse hobby que viria a se tornar tão importante em sua vida. Entre as várias atividades no meio musical, Anderson é compositor e integrou a banda de rock Projeto:Paradoxo entre 1996 e 2004. Anderson é um ávido colecionador de discos e também escreveu sobre música em vários veículos de comunicação.

Mais matérias de Anderson Nascimento no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336