Lazarus A.D.: Quando um discípulo torna-se mestre

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Don Roberto Muñoz, Fonte: mindequalsblown
Enviar correções  |  Ver Acessos

"𝑅𝑜𝑐𝑘'𝑛'𝑅𝑜𝑙𝑙
𝑛ã𝑜 𝑠𝑒 𝑎𝑝𝑟𝑒𝑛𝑑𝑒
𝑛𝑒𝑚 𝑠𝑒 𝑒𝑛𝑠𝑖𝑛𝑎."
Rᴀᴜʟ Sᴇɪxᴀs

Estrelas cadentes. Exuberantes símbolos da boa nova. Passam rapidamente, mas deixam a pioneira marca sobre belos agouros vindouros. JAMES DEAN atuou apenas em três filmes, bastou. A maior disputa entre o Bem e o Mal na cinematografia do HORROR marcou posição no filme "Incubus", 1966 - inexiste rival sobre o tema, bastou. "-𝐸 𝑎í!?!" Ora, o LAZARUS A.D. teve a honra de fincar tal posição no Heavy Metal Rock, sim senhor.

LAZARUS A.D. - "Revolution" 𝑙𝑖𝑣𝑒 𝑖𝑛 𝐽𝑎𝑝𝑎𝑛

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No caso, trata-se menos de uma análise comparativa do que um sentimento intutivo captado em horizontalizado espaço permeável a radiantes influências solares. Creio que o maior legado comportamental do EXODUS foi o resgate da 𝑓𝑢𝑐𝑘𝑖𝑛' 𝑝𝑎𝑟𝑡𝑦 𝑜𝑛 𝑡ℎ𝑒 𝑠𝑡𝑎𝑔𝑒 com os amigos - bah cara, isso não tem preço, inesquecíveis foram os momentos no palco quando vocalista era eu noutrora. O EXODUS simplesmente resgatou a alegria do BLACK SABBATH em palco.

EXODUS - "The Toxic Waltz"

Sim, meios de comunicação com mentalidade burguesa - como a 𝑀𝑎𝑠𝑠 𝑀𝑒𝑑𝑖𝑎 - acreditam piamente que uma banda de rock deve ter semblante sombrio por ser criada sob inspiração de um filme com BORIS KARLOFF, para citar um exemplo. Francamente, o SABBATH com OZZY sorria direto em palco tamanha a satisfação da turma. E dá-lhe cruzes estampadas em colares diversos. Evidente, caras felizes no rock'n'roll 𝑜𝑛 𝑡ℎ𝑒 𝑠𝑡𝑎𝑔𝑒, a partir dos anos 80, século passado, devem também ao VAN HALEN, fato inegável.

VAN HALEN - 1983 US Festival, Devore, CA

Muito aprendi com GASTAO MOREIRA a respeito do EXODUS, exímio estudioso do barulho roqueiro. Apresentava o histórico "Fúria Metal", extinto programa de Rock Pauleira da "ÊME TEVÊ" - apropriada reivindicação terminológica de CAETANO VELOSO para uma empresa multinacional de música instalada em território brasileiro. Ora, alguém duvida da qualidade musical da "Terra de Santa Cruz"? TOM JOBIM, AMARAL VIEIRA, CARLOS GOMES, HEITOR VILLA-LOBOS, só para citar os eruditos. Devemos impor respeito como uma legítima autoridade musical no planeta.

GASTAO MOREIRA entrevista OZZY OSBOURNE - Programa "Fúria Metal" 𝑏𝑦 ÊME TEVÊ

Alegria e vitalidade. Em palco, o LAZARUS A.D. parece estar tomando o "café da manhã", tamanha a naturalidade em meio a tanta energia. Impressiona no ato! Assisto dois vÍdeos da obra-prima sonora "Revolution" - 𝐿𝑖𝑣𝑒 𝑖𝑛 𝐽𝑎𝑝𝑎𝑛 e o vídeo oficial - e dá vontade de sair tocando, pulando e vibrando, crasso êxtase sonoro. Mas a gente também assiste o videoclipe da música "Kill the Hero" do ATTOMICA, new álbum 2018, e dá gosto de ser roqueiro na terrinha. Não poderia ser diferente diante de fundamentos roots: RATOS DO PORAO, OS REPLICANTES, CAMISA DE VÊNUS, entre outros.

ATTOMICA - "Kill The Hero"

Noutra vertente. O 𝑟𝑜𝑎𝑑𝑖𝑒 dificilmente é notado. Apesar dessa suposta invisibilidade, o 𝑟𝑜𝑎𝑑𝑖𝑒 é o sustentáculo estrutural de um show, robusta vigília da galera dos bastidores. A sonoridade conquistada pela banda na citada apresentação no Japão foi algo, e no vídeo oficial desta música, visível é a tranquilidade deles, os 𝑟𝑜𝑎𝑑𝑖𝑒𝑠. Isto significa simplesmente a inserção de trabalhadores focados, preciso movimento empático. E como suporte de uma banda em início de carreira? Intocável o ardor dos representantes do referido ofício.

LAZARUS A.D. - "Revolution" vídeo oficial

"-𝐼ℎ, 𝑜 𝑐𝑎𝑟𝑎 𝑓𝑎𝑙𝑎 𝑠ó 𝑑'𝑢𝑚𝑎 𝑚ú𝑠𝑖𝑐𝑎/ 𝑣í𝑑𝑒𝑜 𝑒 𝑗á 𝑐𝑜𝑙𝑜𝑐𝑎 𝑎 𝑏𝑎𝑛𝑑𝑎 𝑛𝑜 𝑝𝑒𝑑𝑒𝑠𝑡𝑎𝑙?" Porém, vejo outros videoclipes, seja "Thou Shall Not Fear", "Absolute Power" ou "The Ultimate Sacrifice" e reitero o mesmo sentimento da magistral pegada de "Revolution". A banda pediu a Deus para ter "punch" e entrou 99 vezes na fila com final meritório. Eis um vanguardista estilo agraciado pelas musas da música com uma eloquência sonora ímpar. "-𝐴ℎ, 𝑜 𝑠𝑒𝑔𝑢𝑛𝑑𝑜 á𝑙𝑏𝑢𝑚, "𝐵𝑙𝑎𝑐𝑘 𝑅𝑖𝑣𝑒𝑟𝑠 𝐹𝑙𝑜𝑤", 2011, 𝑝𝑒𝑐𝑎 𝑝𝑒𝑙𝑎 𝑐𝑎𝑑ê𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑒𝑥𝑐𝑒𝑠𝑠𝑖𝑣𝑎..." Bem, o "progressivo" "Hell Awaits" do SLAYER jamais será esquecido, considero.

LAZARUS A.D. - "The Ultimate Sacrifice"

Até hoje, o Heavy Metal nunca foi tão longe pós Big Five - não consigo excluir o EXODUS. 𝑆𝑜𝑙𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑒 dois álbuns, entretanto, dois petardos essencialmente matadores. "O Espírito sopra onde quer", recado divino para fariseus e zelotes - tipos supranaturalmente destituídos de Fé e Comunhão. Sim, o discurso musical retórico também acontece no mundo do Heavy Metal, e guiado é por fórmulas certeiras que funcionam em determinados momentos, 𝑐𝑜𝑢𝑟𝑠𝑒. Grandes modas sempre surgirão no ideário musical pulsante no coração das pessoas, até porquê de nada adianta sufocar a expressão das "modas", algo também necessário no cotidiano humano.

LAZARUS A.D. - "Thou Shall Not Fear"

Resume o LAZARUS A.D. a virulência do Big Five com exuberante maestria em arranjos intuitivos de alto gabarito, incontestável galhardia sonora. LAZARUS A.D. é o 𝑃é𝑔𝑎𝑠𝑜𝑠 do Heavy Metal, indomável selvageria mítica à serviço do 𝑓𝑢𝑐𝑘𝑖𝑛' Rock! 𝐻𝑎𝑢𝑡𝑒 𝐶𝑢𝑙𝑡𝑢𝑟𝑒, diriam as elites francesas de índole carolíngia. A excelência materializa-se rapidamente na alma do Heavy Metal, a despeito da preponderância comercial do carrossel midiático, quando a Unidade musical do estilo irradia seus fundamentos fidedignamente.

Dᴏɴ Rᴏʙᴇʀᴛᴏ Mᴜñᴏᴢ




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por escolha do autor os comentários foram desativados nesta nota.


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Lazarus A.D."


Kiss: Perguntas, respostas e curiosidades diversasKiss
Perguntas, respostas e curiosidades diversas

Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões


Sobre Don Roberto Muñoz

Don Roberto Muñoz, escritor.
Rio-grandense farroupilha nascido em Porto Alegre.

Mais matérias de Don Roberto Muñoz no Whiplash.Net.

Cli336x280