Pantera: Europa, Judas Priest e frango de merda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fotoboard Tramparia, Fonte: Rex Brown - Mark Eglinton
Enviar correções  |  Ver Acessos

Os metaleiros americanos do Pantera ficaram em estado de êxtase, ao receberem o convite para abrirem os shows de uma turnê do JUDAS PRIEST.

Milhões: Os eventos com maior público da história da músicaTwisted Sister: segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"

Mas nem tudo foram flores nessa louca viagem pelo continente europeu. Os garotos texanos, ainda desconhecidos na cena heavy metal, passaram alguns perrengues dentro e fora dos palcos.

Esse grande passo na carreira do PANTERA, além de mais algumas loucuras, você confere no trecho retirado da biografia do baixista REX BROWN, do autor Mark Eglinton.

Local de Publicação: São Paulo | Ano: 2014 | Páginas: 274 | Editora: Edições Ideal | Capa e Diagramação: Guilherme Theodoro | Foto de Capa: Joe Giron Photography
Local de Publicação: São Paulo
Ano: 2014
Páginas: 274
Editora: Edições Ideal
Capa e Diagramação: Guilherme Theodoro
Foto de Capa: Joe Giron Photography

Quando estávamos em Toronto, em algum momento antes do Natal de 1990, tocando em um lugar chamado Diamond Club, chamamos a atenção de ROB HALFORD, que nos viu ser entrevistados - DIME usava uma camiseta do disco British Steel - na TV em seu quarto de hotel.

A sua banda, JUDAS PRIEST, também estava na cidade. Acho que, naquele momento, ele entrou em contato com DARREL, foi ao Diamond Club e, de repente, estava no palco tocando "Metal Gods" e "Grinder" conosco, músicas que costumávamos tocar quando fazíamos covers nas casas noturnas do Texas.

Logo depois disso, surgiu uma oferta para irmos à Europa com o JUDAS PRIEST, naquela parte da turnê Painkiller, em uma época em que pensávamos ser bons nesse negócio de turnê.

Foram três meses dividindo ônibus com os caras do Annihilator e, naquela época, na Europa, ninguém sabia quem éramos. Mas nem ligamos.

Éramos invencíveis e todos saberiam sobre nós, certo? Dezoito imbecis em um ônibus e simplesmente não era divertido.

Alguns dos caras apanharam algumas vezes, mas, no geral, nos dávamos bem.

Tocar com o JUDAS PRIEST causou mais problemas do que você possa imaginar porque, ao abrir para bandas como essa, o público fica impaciente para ver logo a banda principal: eles jogam garrafas com mijo em você e sabe Deus mais o quê, além de, muitas vezes, nem ligar pra banda de apoio, por princípios.

Não foi assim com o PANTERA, porém. Mais gente curtiu do que não curtiu. Era assim, com o PANTERA - tocávamos tanto e tão bem que eles tinham que gostar da gente.

Também tivemos muita sorte, mas éramos jovens e empolgadões demais para perceber isso.

Lá estávamos nós, um bando de moleques burros do Texas tocando na Europa em locais como K.B. Hallen, em Copenhague, onde bandas de verdade tinham tocado antes de nós - ZEPPELIN, BEATLES, - sabe, os caras grandes, que eu lia a respeito em livros como Hammer of the Gods e tal.

Eu adorava ler as histórias e o drama por trás das bandas de rock'n'roll e o que elas faziam nas turnês, ou seja, esses lugares realmente significavam algo pra mim.

Eu só queria ter passado mais tempo aproveitando aquelas cidades visitando pontos importante e explorando a cultura em vez de ficar jogado em um quarto de hotel, mas você nem pensa nisso quando é jovem e novo na cena.

Sim, nós queríamos dominar o mundo quando subíamos no palco, mas não curtimos a Europa como poderíamos; era tudo muito "estrangeiro" pra nós.

Estávamos acostumados em ter uns trocados no bolso e comprar uns burritos na loja de conveniência mais próxima.

Era basicamente disso que vivíamos: qualquer coisa que pudéssemos bancar.

Um sanduíche aqui, uma refeição para uma garota ali, qualquer coisa, então era bem esquisito comer esses lances que nunca havíamos provado antes.

Olha só, nos deram só alguns pedaços de pão, queijo e carne; se você não acordava cedo, se fodia.

Como DIME e eu acordávamos umas 3 horas da tarde, não havia mais porra nenhuma, e por isso acabávamos tomando cerveja.

Claro que VINNIE e DIME queriam as salsichas com feijão que sua mãe fazia ou o macarrão do jeito que ela cozinhava, mas você não encontra essas coisas na Europa. Phil e eu tínhamos a cabeça um pouco mais aberta, mas demorou um tanto para nos acostumarmos.

Afinal, não dá para viver só de frango na Alemanha. Tinha o mesmo gosto de merda do dia anterior e é a comida mais sem graça que você pode comer.

Essa matéria faz parte da categoria Trecharias BioRockers e da Biblioteca Cifranegriana - Portalblog cifranegramisterial.com.

Coleção Cifranegriana: Camiseta e álbum do PANTERA Official Live:101 Proof, e a biografia do baixista Rex Brown.
Coleção Cifranegriana: Camiseta e álbum do PANTERA Official Live:101 Proof, e a biografia do baixista Rex Brown.
Seu Cifro, trajando a camiseta do PANTERA - Official Live 101 Proof.
Seu Cifro, trajando a camiseta do PANTERA - Official Live 101 Proof.


GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Pantera"Todas as matérias sobre "Judas Priest"


Rob Halford em filme pornô: Mas esse assunto é tão místico...Rob Halford em filme pornô
Mas esse assunto é tão místico...

Judas Priest: Lemmy significou muito para Rob HalfordJudas Priest
Lemmy significou muito para Rob Halford


Milhões: Os eventos com maior público da história da músicaMilhões
Os eventos com maior público da história da música

Twisted Sister: segundo Dee, ser pobre e famoso é uma merdaTwisted Sister
Segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"


Sobre Fotoboard Tramparia

Fotógrafo artístico que registra e cria cenários com objetos ligados a cultura pop/rock, como CDs, livros, camisetas etc. Edita textos, fotos e divulga bandas no Portalblog cifranegramisterial.com. Desde os tempos de guri, ouve Led Zeppelin, The Cult, Rush, AC/DC, Iron Maiden, Guns N' Roses, Alice In Chains, entre outras inúmeras lendas do rock/metal. Toca piano e teclado, pratica esportes e está sempre em busca de energia rock and roll e da natureza.

Mais matérias de Fotoboard Tramparia no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin